Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:42

Transcrição de vídeo

(música alegre) - Meu nome é Tess Winlock. Eu sou engenheira de software da Google. Aqui está uma pergunta. Como uma foto, mensagem de texto, ou e-mail é enviada de um aparelho para outro? Não é por mágica. É pela Internet, um sistema físico, tangível que foi criado para a troca de informações. A Internet se parece bastante com o serviço postal, mas as coisas físicas que são enviadas são um pouco diferentes. Ao invés de caixas e envelopes, a Internet transporta informação binária. A informação é feita de bits. Um bit pode ser descrito como qualquer par de opostos, ligado ou desligado, sim ou não. Geralmente nós usamos o número um para indicar ligado ou um zero para indicar desligado. Como um bit tem dois estados possíveis, nós o chamamos de código binário. Oito bits juntos formam um byte. Mil bytes juntos formam um kilobyte. Mil kilobytes formam um megabyte. Uma música é tipicamente codificada com aproximadamente de três a quatro megabytes. Não importa se é uma foto, um vídeo, ou uma música. Tudo na Internet é representado e enviado na forma de bits. Eles são os átomos da informação, mas isto não significa que nós estamos enviando fisicamente números um e zero de um lugar ao outro, de uma pessoa a outra. Então, como são as coisas físicas que realmente são enviadas através dos fios e das ondas de rádio? Bom, vamos ver um pequeno exemplo de como humanos podem se comunicar fisicamente para enviar um único bit de informação de um lugar ao outro. Digamos que nós podemos ligar uma lâmpada para indicar um ou desligá-la para indicar zero, ou usar sons ou coisas similares, como código Morse. Estes métodos funcionam, mas eles são bastante lentos, propensos a erros, e totalmente dependentes de humanos. O que nós realmente precisamos é de uma máquina. Através da história, nós construímos muitos sistemas que podem ser usados para o envio de informação binária através de diferentes tipos de meios físicos. Hoje, nós enviamos bits fisicamente através da eletricidade, luz e ondas de rádio. (zumbido de eletricidade) Para enviar um bit via eletricidade, imagine que você tem duas lâmpadas conectadas por um fio de cobre. Se um dos operadores do aparelho liga a eletricidade, as lâmpadas se acendem. Sem eletricidade, não há luz. Se os operadores em ambos os lados combinarem que a luz acesa significa um e a luz apagada significa zero, nós temos um sistema para enviar bits de informação de uma pessoa a outra usando eletricidade. Mas então nós temos um pequeno problema. Se você precisar enviar um zero cinco vezes seguidas, como você pode fazer isso de tal maneira que as duas pessoas podem contar o número de zeros? Bom, a solução é introduzir um relógio ou cronômetro. Os operadores podem combinar que o remetente enviará um bit por segundo, e o destinatário irá contar cada um dos segundos e verificar o estado da lâmpada. Para enviar cinco zeros seguidos, você simplesmente desligaria as lâmpadas e esperaria cinco segundos. A pessoa do outro lado da linha anotaria todos os cinco segundos. Para enviar o número um cinco vezes seguidas, você ligaria as lâmpadas por cinco segundos, anotaria cada segundo. Obviamente, nós gostaríamos de enviar as coisas um pouco mais rápido do que um bit por segundo, então nós precisamos aumentar nossa largura de banda, a capacidade máxima de transmissão de um aparelho. A largura de banda é medida por taxa de bits, que é a quantidade de bits que nós podemos enviar em um determinado período de tempo, geralmente medido em segundos. Uma medida diferente de velocidade é a latência, que é a quantidade de tempo que leva para um bit viajar de um lugar ao outro, de sua fonte até o aparelho solicitante. Na nossa analogia humana, um bit por segundo era bem rápido, mas um pouco difícil para um humano conseguir acompanhar. Então digamos que você queira baixar uma música de três megabytes em três segundos. Como um megabyte tem 8.000.000 bits, esta seria uma taxa de mais ou menos 8.000.000 bits por segundo. Obviamente, humanos não conseguem enviar ou receber 8.000.000 bits por segundo, mas uma máquina pode fazer isso sem problemas. Agora, neste caso, há também a dúvida a respeito de que tipo de cabo nós devemos usar para enviar estas mensagens e quão longe os sinais podem chegar. Com um cabo Ethernet, do tipo que você encontra na sua casa, ou no seu escritório ou na escola, você começa a observar uma perda de sinal ou interferência mensurável após apenas algumas dezenas de metros. Para a Internet funcionar ao redor de todo o mundo, nós precisamos de um método alternativo para enviar bits a distâncias realmente grandes. Estamos falando de atravessar oceanos. Então o que mais nós podemos usar? Bom, o que nós sabemos que se move muito mais rápido do que a eletricidade em um fio? Luz! Nós podemos enviar bits na forma de raios de luz de um lugar ao outro usando um cabo de fibra ótica. Um cabo de fibra ótica é um fio de vidro criado para refletir luz. Quando você envia um raio de luz através do cabo, a luz pula de cima para baixo por toda a largura do cabo até ser recebida na outra ponta. Dependendo do ângulo que a luz pula, você pode até enviar múltiplos bits simultaneamente, todos eles viajando na velocidade da luz. Então fibra ótica é muito, muito rápida, mas, mais importante que isso, o sinal não se degrada mesmo a longas distâncias. É assim que você consegue alcançar centenas de quilômetros sem perda de sinal. É por isso que nós usamos cabos de fibra ótica através do chão dos oceanos para conectar um continente ao outro. Em 2008, um desses cabos acabou sendo cortado próximo de Alexandria, no Egito, o que interrompeu a Internet para a maior parte do Oriente Médio e Índia. Nós tomamos a Internet como uma certeza, mas ela é, na realidade, um sistema físico bem frágil. E fibra ótica é excelente, mas também é muito cara e difícil de trabalhar com. Para a maior parte dos propósitos, você vai encontrar fios de cobre sendo usados. Mas como nós fazemos para mover coisas sem usar fios? Como nós enviamos as coisas pelo ar? Máquinas que enviam bits sem usar fios tipicamente usam sinais de rádio para enviar bits de um lugar ao outro. As máquinas precisam traduzir os uns e zeros para ondas de rádio de diferentes frequências. A máquina que recebe o sinal reverte esse processo e converte o sinal novamente para binário no seu computador. A capacidade de transmitir informação sem fios tornou nossa Internet móvel, mas um sinal de rádio não consegue chegar tão longe antes de tornar-se completamente irreconhecível. É por este motivo que você não consegue escutar uma rádio de Los Angeles em Chicago. Por melhor que seja a transmissão sem fios, atualmente ela ainda precisa se apoiar na Internet com fios. Se você está em uma cafeteria usando o Wi-Fi, os bits vão ser enviados para um roteador sem fios e depois transferidos a um cabo físico para poder viajar as enormes distâncias da Internet. O método físico usado para enviar bits pode mudar no futuro, seja por meio de laser enviado entre satélites ou ondas de rádio de balões ou drones, mas a representação binária das informação que está por baixo de tudo isso e os protocolos usados para envio das informações e recebimento das informações têm permanecido, na maior parte, os mesmos. Tudo na Internet, sejam palavras, e-mails, imagens, vídeos de gatos, vídeos de cachorros, tudo se resume aos uns e zeros sendo entregues por meio de pulsos elétricos, raios de luz, ondas de rádio, e muito, muito amor. (música alegre)