Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:4:01

Transcrição de vídeo

Vamos entender melhor como fazer a demonstração do fluxo de caixa da empresa simplificada, a transportadora, do nosso exemplo. É simplificada pois esta demonstração de receitas é bem simples a cada período e não estão mostrando todas as despesas e todos os detalhes de uma transportadora real, mas só nos interessa a contabilidade. Digamos que começamos este anos fiscal, quando comecei a companhia, tinha 60 mil dólares. Sabemos do exemplo que usamos os 60 mil dólares para comprar um caminhão de 60 mil dólares. No demonstrativo do fluxo de caixa você expressou o gasto de 60 mil dólares em despesas de capital, ou poderia ser imobilizado. Você põe 60 mil dólares aqui, em despesas de capital. Espero que entendamos isto um pouco. Lembre-se, a demonstração do fluxo de caixa é uma forma de conciliar o lucro com o caixa inicial e final. Pensemos sobre isto um pouco. Nosso lucro aqui, se pegarmos o número que temos aqui, nosso lucro no primeiro período é 30 mil dólares, supondo que nada suspeito ocorre com contas a pagar e a receber, e que não mudam durante no curso do ano. É sobre a depreciação que queremos pensar um pouco neste vídeo, o que a depreciação muda na demonstração do fluxo de caixa? Escreverei os números primeiro. Temos este valor de depreciação. Esta é a depreciação do caminhão. Não é só o valor do gasto do caminhão, dissolvemos o custo em três anos. Vinte mil em três anos é a vida desse caminhão. A depreciação em cada período é 20. Mostrarei aqui como descobrir o valor das operações, quanto dinheiro cada operação produz. Queremos devolver a depreciação ao lucro, então, nosso caixa operacional será 50 mil dólares. Pode não parecer óbvio agora, mas quero que pense nisso. Estes 20 mil dólares mostrados como despesa em cada período e seria mais óbvio se pensarmos sobre o período dois ou o três. É mostrado como despesa, mas não houve uma saída de 20 mil dólares no ano dois ou no ano três. Só mostramos algumas despesas de anos anteriores. Nenhum dinheiro saiu pela porta. Então, em cada um destes períodos, a despesa com depreciação deve ser somada de volta ao lucro operacional, para descobrirmos o caixa operacional. Talvez você diga: "Mas gastamos aqueles 60 mil dólares no ano um". E isso vai aqui, em Despesas de Capital. As operações não subtraíram este dinheiro do negócio, é apenas um investimento que fizemos. Tudo funciona bem, pois como se vê, temos 50 mil em caixa, das operações, e faz sentido, pois nossa receita foi de 100 mil. Só de salários foram 50 mil, então são 50 mil de lucro. Não foi uma despesa do caixa, mas em operações tivemos 50 mil dólares. Mas tivemos a despesa de capital, de 60 mil dólares, pelo caminhão. Então nosso caixa final seria 60 mais 50 menos 60. O caixa final será 50 mil dólares. Para entender melhor, vejamos o próximo período. Nosso caixa inicial aqui é 50 mil dólares, o caixa final do período anterior. Nosso lucro, outra vez, é 30 mil dólares. Somamos lucro e depreciação, temos 50 mil dólares, o mesmo que no ano anterior, de caixa operacional, e faz sentido, pois nossas operações não mudaram. Temos um negócio muito constante. Mas este ano não tive despesas de capital. Estou usando o mesmo caminhão do ano passado. Agora, nosso caixa final... Nosso caixa inicial era 50. Tínhamos 50 mil de operações e agora nosso caixa final é 100 mil dólares. Espero que tenha entendido porque se soma a depreciação ao calcular o caixa operacional, e como aparece no demonstrativo de fluxo de caixa. [Legendado por Laércio Junior]