Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Resgate 2: Valor contábil

Balanço bancário hipotético. O que significa valor contábil. Versão original criada por Sal Khan.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA22JL - Olá, tudo bem com você? Você vai assistir agora a mais uma aula de economia e, nessa aula, vamos começar a conversar sobre o capital próprio de um banco e o “book value” ou valor contábil. Mas, antes disso, é importante lembrar que, antes de assistir a essa aula, é importante que você compreenda os conceitos de falta de liquidez e insolvência, que, inclusive, é conversado em outro vídeo. Após compreender isso, podemos ver agora como seria o balanço de um banco com problemas. Não vamos entrar em detalhes agora, vou dar apenas um panorama geral do que é mais importante. Esses bancos têm muitos ativos, de modo geral, tanto bancos comerciais quanto bancos de investimento têm muitos ativos. Em outro momento, eu explico a diferença entre os dois tipos e o que significa regulação e alavancagem. Mas imagine agora como seria normalmente um balanço financeiro bancário. Inicialmente, nós temos os ativos. Eu vou inventar algumas coisas aqui. Digamos que o banco tenha um bilhão em títulos de dívidas do governo dos Estados Unidos. Eu vou fazer uma lista para mostrar os vários tipos de ativos. Digamos, também, que ele tenha 10 bilhões em títulos corporativos “triple A”, que são empréstimos feitos a empresas de alta credibilidade. Títulos corporativos “triple A” de empresas de excelente nível de fluxo de caixa e com chances mínimas de não pagarem um empréstimo. É bom lembrar que títulos são empréstimos feitos a terceiros. Se você me emprestar dinheiro, eu entrego uma promissória dizendo que devo a você, por exemplo, $10,00. Esse documento seria um título de uma dívida minha com você. Um bilhão em títulos do governo é um ativo em que o governo deve ao banco um bilhão de dólares e, até liquidar essa dívida, vai pagando juros. Da mesma forma, títulos corporativos atestam que as empresas que os emitiram devem o total de 10 bilhões de dólares e, até liquidarem a dívida, pagarão juros. Isso é o que significa um ativo, algo que tem um valor econômico futuro. Esses títulos de dívidas, da mesma forma, valem o pagamento dos juros e valem a promessa de que serão devolvidos os 10 bilhões de dólares, ou talvez 10 bilhões seja o somatório dos juros mais a dívida principal de uns 9 bilhões. Eu estou inventando números, tudo bem? Isso não importa agora. Vamos imaginar outro grupo de ativos. Digamos que o banco tenha 10 bilhões de dólares em hipotecas comerciais, que seriam empréstimos feitos a empresas que querem comprar terras para construir ou comprar edifícios para alugar. São empréstimos a terceiros e, quando eu empresto a terceiros, tenho um ativo, pois me devem juros, e, um dia, vão pagar meu dinheiro de volta. Finalmente, sem grandes detalhes, eu vou tratar do cerne da questão. Digamos que o banco tenha... Deixe eu ver aqui, a soma está em 21, então, eu vou usar um número par aqui. Então, vamos supor que seja 4 bilhões de dólares. Assim, o total vai para 25. O banco tem 4 bilhões de dólares em CDOs residenciais. CDO é a sigla em inglês para obrigações de dívidas colateralizadas e, nesse caso, são CDOs residenciais. Em outro momento, eu converso melhor sobre CDOs, mas, resumindo, o CDO é um instrumento derivativo, que pode soar um pouco complicado, mas significa que tem origem em outro instrumento, o que sinaliza para que a falência começa nessa parte do balanço financeiro. O derivativo é como juntar um monte de hipotecas. Eu vou mostrar aqui para ficar melhor de visualizar. Eu pego várias hipotecas de casas. Ao agrupar um milhão delas, acabo formando um título garantido por hipoteca. O título garantido por hipoteca é um empréstimo a um grande número de pessoas que são agrupadas para que seja possível aplicar propriedades estatísticas, porque emprestar para uma única pessoa não é igual a emprestar para um grupo de pessoas. São maiores as chances de negociação com várias pessoas, porque fica mais fácil de entender tudo o que está acontecendo. Por exemplo, em um grupo, cerca de 8% não conseguirão pagar, mas esse também não é o cerne da questão. Já há aqui um vídeo inteiro sobre títulos garantidos por hipotecas, mas os CDOs ou obrigações de dívidas colateralizados saem de títulos garantidos por hipotecas. Por isso, são chamados derivativos. Com a CDO, agrupam-se vários títulos garantidos por hipotecas, que são empréstimos a pessoas em diversas regiões do país e divide-se em várias partes. É o que se faz. Divide-se no que chamamos de tranches, como eu já expliquei em detalhes em outros vídeos. Aí, fica decidido que esse grupo de CDO receberá os primeiros pagamentos. Assim que qualquer pagamento for feito, irá direto para esse tranche sênior. Os seguintes irão para este e a tranche de cima, chamada tranche júnior ou tranche de capital próprio, receberá apenas o que sobrar. Se todos pagarem, ele terá a parte que lhe cabe, mas, se muitos não pagarem, isso vai afetar esse tranche. É bom falar aqui que uma tranche é apenas uma camada ou fatia. Eu não quero ficar usando palavras muito rebuscadas aqui. Para recompensar quem está na tranche que assuma o maior nível de risco, ou seja, esses outros tranches deixam todo o risco para esse tranche aqui, essa pessoa terá um rendimento mais alto. Por exemplo, essa parte aqui vai receber apenas 6%. Já essa outra fatia, 7% do dinheiro. E, talvez, essa receba 12% do seu dinheiro. Outro fato interessante para quem tiver mais garantia, as agências de notação realizarão classificações para esses tranches. Esse aqui pode receber a nota “triple A” e, talvez, essa aqui receba um duplo A, mas essa tranche vai receber uma nota mais baixa e, por isso, não vai ter muitas pessoas interessadas em comprá-la. Portanto, a pessoa que montou essa carteira de CDOs e vendeu essas tranches ao mercado, a propósito, isso é chamado de securitização, em que se produz valores imobiliários a partir de ativos que são vendidos a fundos de investimentos, as pessoas preferem comprar essas duas tranches aqui. Então, o banco vai precisar descobrir o que fazer com essa tranchea insolvente de capital próprio. Com isso, ele vai acabar mantendo isso aqui no seu balanço, já que o setor imobiliário se apresentava muito forte e não indicava queda. Com isso, isso daqui poderia dar um retorno altíssimo. Logo, o banco resolveu ficar com essa tranche. São nesses CDOs residenciais que vamos concentrar a nossa atenção. Tendo dito isso, agora, eu quero mostrar a classificação destas CDOs. Elas não são do tipo triple A. Talvez algumas sejam, mas vamos supor que sejam todas de alto risco, os "junk bonds" ou insolventes. Enfim, nesse banco fictício, esses são os ativos. Agora, vamos pensar nos passivos, digamos que sejam vários empréstimos. O empréstimo A, de 10 bilhões de dólares... Vamos voltar aqui e colocar dinheiro no ativo, um bilhão de dólares em espécie. É preciso ter dinheiro em caixa, caso alguém queira sacar o seu dinheiro de um banco comercial. Tendo dinheiro, o banco estaria pronto para realizar uma liquidez imediata, mas, voltando ao passivo, o empréstimo A é uma dívida de 10 bilhões de dólares. Há também o empréstimo B, que, vamos supor, outros 10 bilhões de dólares. E digamos que há um empréstimo C. O empréstimo C, para ficar interessante, seria de 3 bilhões de dólares. Nesse exemplo, se os valores dos ativos e dos passivos estiverem todos corretos, qual vai ser o capital próprio do banco? E, caso fosse uma empresa de capital aberto, qual seria o capital próprio dos acionistas? O capital próprio é o patrimônio líquido de uma empresa e, para descobrir isso, subtraímos o total em ativos pelo total em passivos. Então, vamos fazer isso aqui agora. Inicialmente, encontramos o total em ativos somando 1, com 10, com 10, com 4 e com 1, que é igual a 26 bilhões de dólares em ativos. Já o total em passivos é 10, mais 10, mais 3, que é 23 bilhões de dólares. 26 bilhões em ativos, menos 23 bilhões de passivos é igual a 3 bilhões de dólares. Ou seja, o capital próprio da empresa é igual a 3 bilhões de dólares. É bom lembrar aqui também que, em diversos momentos, o capital próprio costuma ser chamado de “equity”. Então, essa empresa tem o “equity” de 3 bilhões de dólares. Sabendo disso, vamos entender o que é o capital próprio de uma empresa de capital aberto. Se você detém uma ação da empresa, você detém uma parte do capital. Vamos ver isso aqui melhor no caso desse banco que vou chamar de banco A. Vamos supor que o banco A tenha 500 milhões de ações. Quando abro algum site especializado para saber quantas ações a empresa tem, eu vejo que são 500 milhões de ações e que o valor contábil da empresa ou “book value” é de 3 bilhões de dólares de capital, com base no balanço. Por isso é chamado de capital contábil, porque o balanço da empresa é o seu instrumento de contabilidade. Os 3 bilhões de capital próprio é o número total de ações e cada ação valerá 3 bilhões divido por 500 milhões, que é igual a $6,00 de capital contábil por ação. É importante compreender isso. Todos pensam que quando o preço de uma ação chega a zero, significa que podemos comprar a empresa por nada, mas não é verdade. Apenas significa que o capital da empresa vale zero. Enfim, eu espero que você tenha começado a compreender sobre isso, mas, em outro momento, eu vou continuar nossa conversa. Então, eu quero deixar aqui para você um grande abraço e até a próxima!