If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:48

Transcrição de vídeo

Vejamos como o mecanismo de margens e a marcação a mercado em contratos futuros garante a ambas as partes, vendedor e comprador, a proteção desejada para que não fiquem vulneráveis à oscilação de preço da maçã. Ambos querem vender maçã por 20 centavos o quilo, tanto quanto comprar maçã por 20 centavos o quilo. Nem o agricultor quer arriscar vender maçã por apenas 10 centavos o quilo, nem a fábrica de tortas quer comprar por 30 centavos o quilo. Vejamos como isso se dá. Originalmente, o preço contratado é 200 dólares por mil quilos, que é igual a 20 centavos o quilo. Como vimos no vídeo anterior, o preço de entrega, em mercados futuros, varia diariamente, então, quanto mais perto da data de entrega, ocorrem transferências de dinheiro entre a conta de margem do comprador e a conta de margem do vendedor. À medida que o preço baixa... Para baixar o preço de entrega de 200 para 190 dólares e depois para 185 dólares, é preciso buscar um contrato melhor no preço de entrega. Para equilibrar as coisas, é repassada a mesma quantia para a conta de margem do vendedor. Imaginemos duas situações. Digamos que perto do dia 15 de novembro, que é a data de entrega, o preço de entrega será quase o mesmo que o preço de mercado. Imediatamente antes da data de entrega o preço contratado e o de mercado não serão tão diferentes. Vamos supor que baixe até 100 dólares. No geral, este preço contratado vai baixando até chegar a 100 dólares. Então, naquela data, o vendedor conseguirá negociar mil quilos de maçã por apenas 100 dólares. Não haveria vantagem, para o vendedor, vender suas maçãs por apenas 10 centavos por quilo. Ele estaria vulnerável à oscilação de preços de mercado. Mas lembre-se: por causa da marcação a mercado e das transferências nas contas de margem, à medida que o preço de entrega cai de 200 até 100 dólares, haveria um repasse desta conta de margem para esta conta de margem no valor de 100 dólares. Em vez de apenas obter 100 dólares pelos mil quilos de maçãs, o vendedor tem contrato futuro e também consegue outros 100 dólares transferidos para sua conta de margem. Então o valor econômico final é 200 dólares. Não importando o que aconteça, para os mil quilos de maçãs, será 20 centavos o quilo. Imaginemos outra situação. E se o preço de entrega aumentar perto da data de entrega? Digamos que chegue a 300 dólares por mil quilos. Seria a sorte grande do vendedor e a falência do comprador que teria que comprar a 30 centavos o quilo? Mas lembre-se que quando o preço sobe e fica favorável ao vendedor, por causa do mecanimo de margens, o vendedor terá que repassar 100 dólares, caso haja aumento de preço, para a conta de margem do comprador. Desta forma, mesmo que pague 300 dólares pelos mil quilos, que é o preço de mercado, ele receberia 100 dólares do vendedor. O resultado é que pagaria apenas 200 dólares. E embora este aqui venda por 300 dólares, ele terá que repassar 100 dólares. Na verdade então, vende por 200 dólares. De todas as formas ambas as partes negociam por 200 dólares, ou 20 centavos o quilo. [Legendado por Angela Barbosa] [Revisado por Marília Figueira]