If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Estratégias de fundos de hedge – Arbitragem de fusão 1

Caso simples de arbitragem de fusões em que há uma aquisição de todo o caixa. Versão original criada por Sal Khan.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

Vamos definir uma empresa "A" aqui e pensar sobre o desempenho de suas ações. Digamos que as ações tenham este desempenho ao longo de um dia, oscilando naturalmente ao longo do dia, mas de repente aqui, digamos às 10 da manhã , é divulgado que a empresa "B" pretende comprar a empresa "A", que nesse momento tem valor de mercado de 5 dólares por ação, mas a notícia diz que B pagará 10 dólares por ação. Deixe-me escrever isto, a 10 dólares por ação. Então imagine, que eles digam que comprarão em dinheiro. E falaremos em outros vídeos como seria se comprassem com as próprias ações. Mas eles querem comprar em dinheiro. Então se eles compram a empresa A todos que têm ações de A vão ganhar 10 dólares por isso. As ações vão para a empresa B, que será dona de A de repente. Então o que você acha que aconteceria com as ações de A? Sabemos que B quer comprá-las pagando 10 dólares por ação. Bom, você pode imaginar que se todos acharem que isso acontecerá, que qualquer um que tenha ação de A vai receber 10 dólares por elas, o preço da ação pularia imediatamente para um valor próximo de 10 dólares. Por volta de 10 dólares a ação e sem oscilar muito, já que todos sabem o preço no futuro. Então isso seria se você soubesse que essa aquisição iria ocorrer. A verdade é que você nem sempre sabe que B definitivamente vai comprar A. Talvez precisem de um aval jurídico de que não estão criando um monopólio. Talvez precisem de financiamento, pegar algum empréstimo, para concretizar o negócio, então pode não se concretizar ainda. Talvez outra empresa queira comprar A e ofereça uma oferta melhor. Nós não temos certeza sobre o que pode ou não acontecer. Assim, geralmente acontece que em vez de subir tudo, o valor da ação fica no meio. Então, em vez de pular de 5 para 10, talvez vá de 5 para 8 dólares e oscile um pouco aqui. Você perguntará porque a oscilação a 8 dólares? Perceba que se há 100% de chance, a ação chegará até 10 dólares, certo? Porque é o valor atual da ação A já que B vai pagar isso. Mas, se for a 8, o mercado sinaliza que vai pagar 3/5, certo? De 5 para 8 são 3. Então são 3/5 do salto total, se tivesse 100% de certeza. Ou seja, o mercado acha que tem 60% de chance da aquisição acontecer. Quem acha que a probabilidade é maior que 60%, e devem acreditar nisso com segurança, já que planejam todas as possibilidades, eles devem comprar as ações por 8 dólares, pois acreditam que vale 10. Quem não acredita na compra; que B terá problemas de financiamento ou regulatórios deve vender a ação quando chegar aqui, porque se a aquisição não acontecer, o preço vai abaixar de novo, voltando para o preço de 5 dólares antes do anúncio. Assim, as pessoas e, especialmente, fundos de investimento, que agem de acordo com o que acreditam, se a compra é mais ou menos provável, talvez baseado em pesquisas, modelos quantitativos ou informações exclusivas legais ou não, vão fazer suas apostas. Quem achar que a compra vai ocorrer comprará esperando que chegue a 10. Quem acha que não acontecerá, ficará vendido esperando que caia para 5 dólares. E esse jogo de expectativas é chamado de "arbitragem de fusão". O nome é arbitragem porque alguém que sente que a aquisição vai acontecer pode comprar por 8 para vender por 10 em algum momento futuro quando B comprar a empresa. Ou se acham que a aquisição não ocorrerá, podem ficar vendidos a 8 e recomprar por 5, arbitrando na diferença de preço. Eles acham que algo que vale 5 está sendo negociado a 8 na expectativa de baixa e acham que o que vale 8 valerá 10 na expectativa de alta. [Legendado por: Marcus Mota] [Revisado por: Laura Drachmann]