If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:12:24

Transcrição de vídeo

Agora que temos em mente uma estrutura geral de como todas as mecânicas se encaixam, o que quero fazer nesse vídeo é discutir sobre por que os diferentes participantes fazem seus papéis. Como eles podem se beneficiar ou se machucar nesse ciclo. E por que é tão difícil de desenrolar esses participantes, por que é tão difícil desconectá-los do cenário. Onde eu terminei no último vídeo, eu falei sobre mais dinheiro nos bolsos dos americanos porque, essencialmente, com dívidas mais baratas, o governo pode gastar mais dinheiro, baixar juros. E isso é mais dinheiro para comprar produtos chineses, mas em geral mais dinheiro para americanos gastarem um com os outros Eles podem comprar casas uns dos outros ou comprar serviços uns dos outros. Então de diferentes maneiras, isso estimula a economia. Para Keynesianos aí, quanto mais você gasta, isso vai estimular a economia, baixar juros. Para os mais conservadores, isso também pode estimular a economia. Em geral, dívidas mais baratas baixam as taxas de juros, todas essas coisas estimulam a economia. Normalmente quando você está estiulando a economia desse jeito, e você tem todos esses fatores, você tem o risco de uma inflação mais alta. Mas lembre que a inflação, ou pelo menos, o preço da inflação, é o preço por todos os seus bens. Mas note que, nós estamos comprando bens mais e mais baratos, e os juros estão baixos. Então, de alguma forma, esse ciclo todo também continua, ele parece, acho que você poderia dizer, o crescimento que o consumidor médio americano experimenta parece muito positivo e a inflação permanece devagar. Então nós também podemos guardar dinheiro, dinheiro para comprar serviços uns dos outros. Com isso dito, vamos pensar sobre por que os diferentes participantes querem fazer isso. Vamos pensar sobre isso na perspectiva chinesa. Se você é a China e está começando, você é um verdadeiro país comunista talvez 30 anos atrás. E você começa a ter reformas de mercado e você realmente quer entrar no mundo desenvolvido. Mas você não tem a base industrial no fim dos 70 e início dos 80 para competir com Alemanhas, Américas e Japãos e quando eu digo Americas, quero dizer Estados Unidos. Uma vantagem do crescimento baseado em exportação é que no início do desenvolvimento, você tem uma sociedade menos desenvolvida, você tem uma base industrial menor. Quando você tem crescimento baseado em exportação, você pode construir, você encoraja investimento em fábricas que podem produzir coisas para o mundo desenvolvido. Para o mundo desenvolvido. E mantendo sua moeda com baixo valor, artificialmente mantendo-a com baixo valor. Serei mais claro. Com apenas livre comércio padrão, custos de mão-de-obra serão mais baratos em um lugar como a China ou a Índia, que tem padrão de vida mais baixo. Então haveria livre comércio sem manipulação da moeda. Você teria coisas que se mudariam para fora do país, manufatura e serviços que se mudariam para fora. Mas se você forçar, se você deixar ainda mais barato para produzir, para fazer negócios na China, isso aceleraria o investimento em produção na China. Esse crescimento baseado em exportação... Deixe-me colocar dessa forma. Moeda artificialmente barata. Isso também aconteceu com o Japão depois da segunda guerra. Moeda artificialmente barata. E nós queríamos isso de certo modo, porque queríamos o Japão mais ligado aos E.U.A. Queríamos que ele tivesse sucesso. Nós vimos o que aconteceu com a Alemanha depois da primeira guerra, quando ela foi tão mal-sucedida economicamente, que foi muito fácil para um personagem como Hitler chegar ao poder. Aprendemos nossa lição. Dissemos: "Quer saber, nunca é bom para outro país não ter uma recuperação econômica." Nós, na verdade, muitas pessoas pensam que encorajamos isso no Japão. Mas de qualquer forma, você artificialmente suprime a moeda, isso torna as exportações mais baratas. E isso então encoraja mais investimentos em produção doméstica. E isso leva a mais produção doméstica. E nesse caso, quando falo de casa, estou falando de China ou Japão. E mais produção doméstica quer dizer mais investimento doméstico. Mais investimento. Se você está produzindo mais na China, você precisará construir mais fábricas. Mais investimento doméstico. E isso significa literalmente mais empregos, em grande escala, dinheiro para os chineses. Mais empregos e capital. E à medida que você se torna mais eficiente e progride na curva de desenvolvimento, você se torna mais e mais competitivo em uma série de indústrias. E a ideia é, assim que as pessoas se tornam suficientemente desenvolvidas, você terá capital doméstico suficiente. Você terá uma base consumidora doméstica suficiente para que parte dessa capacidade extra volte para a sua própria população. Para que você possa vender esses bens para a sua população e melhorar o padrão de vida deles. No começo, você está vendendo máquinas de lavar e geladeiras para Estados Unidos e Europa. E por você estar construindo essas máquinas de lavar, esses trabalhos são para os Chineses e, eventualmente, assim que tiverem dinheiro assim que houver uma massa de classe média chinesa, essa mesma capacidade pode ser usada para vender máquinas de lavar e geladeiras para os chineses, e isso melhoraria o padrão de vida deles. Então isso constrói uma base produtiva e um mercado interno. Vou colocar assim. Então do ponto de vista da China, parece bom, sem dúvida. Isso constrói uma base produtiva e um mercado interno consumidor. O que quer dizer que as pessoas na China, assim que tiverem emprego e dinheiro, vão poder comprar bens próprios. E o mercado consumidor interno. Qual o ponto negativo aqui? Você poderia imaginar, se você está em um país desenvolvido comprando esses bens, eles seriam baratos no começo, mas agora eles estão ainda mais artificialmente baratos. Bem, você perde sua base produtiva. Se você olha do ponto de vista americano, você perde a base produtiva. E é muito claro que isso está acontecendo, você pode falar especificamente do Japão ou no geral, nós estamos perdendo base produtiva para outros países. Alguns veem isso como uma coisa boa. Alguns dizem "Nós estamos avançados na curva de desenvolvimento. Nós não deveríamos focar em manufatura, haja visto que a manufatura tende a ir para quem pode produzir pelo preço mais baixo. Nós deveríamos nos focar em conhecimento, seja indústria farmacêutica ou indústria de TI. Então talvez haja uma discussão aqui. Mas a outra razão por que isso talvez seja atraente para os Estados Unidos são os custos mais baixos. Então parece negativo, e é realmente negativo de certa forma, mas acho que podemos chamar de superficial positivo é o baixo custo para consumidores americanos. Então se você não é uma das pessoas que perdeu o emprego em uma fábrica, e você está na maioria do restante dos americanos, parece uma coisa boa. Tudo está mais barato para você: Roupas dos filhos, O carro é barato. Uma geladeira fica mais barata. Um ar condicionado fica mais barato. O problema é, quando e como isso acaba? Porque todo esse ciclo que criamos, pode soar bem para a China. Na teoria, soa bem. Você reprime a moeda, seus bens são baratos, mais produção em casa, mais investimento doméstico mais dinheiro e empregos, eventualmente, apontam que o capital, apontam que há investimento no seu mercado doméstico, agora você está desenvolvido. Parece fazer todo sentido, mas é mais fácil falar que fazer. Não é uma coisa trivial fazer todo esse mercado consumir tanto quanto um mercado desenvolvido externo. O outro problema é que todo esse tempo, lembre o que está acontecendo. Você está acumulando essa massa de, nesse caso, dólares americanos e usando para essencialmente emprestar aos Americanos, emprestar ao governo, e isso essencialmente é emprestado ao povo americano. No momento que você para, pense no que acontece. No minuto que você para, nem vamos pensar em desenrolar isso, digamos que no minuto que você para de comprar dólares, sua moeda vai inflar e os <i>holdings</i> esses trilhões de dólares em ativos, vão perder valor. No minuto em que você para, os trilhões de dólares acumulados perdem valor. Porque no minuto que você para de comprar dólares, os mercados de câmbio vão permitir que o yuan valorize, que o dólar desvalorize. Então parar de comprar leva a uma desvalorização. E isso se eles pararem de comprar. E se eles tentassem desenrolar essa situação, assim que eles começassem a vender, isso derrubaria o valor dos dólares ou dos tesouros americanos ainda mais, e tudo mais que eles mantivessem também perderia valor. Então durante todo o tempo, para manter a moeda sustentada, eles compraram ativos, eles compraram esses dólares. Mas o ato de desenrolar vai - Não vou dizer tornar inútil - mas vai fazer o valor de suas holdings cair dramaticamente. Então você tem uma situação difícil para os chineses. É uma situação difícil de sair. E também muito difícil para os E.U.A. porque se você pensar, muitas pessoas olhariam para isso e diriam "Ei, isso é horrível. É por isso que nossa base industrial se foi." E é parcialmente verdade. E então eles diriam "Ei, deixem as moedas livres. Sem mais distorções artificiais. Sem mais manipulação pelo governo. Deixem as moedas serem livremente comercializadas. Mas o que então aconteceria aos Estados Unidas?" No minuto que a China parasse isso, parasse artificialmente de segurar sua moeda, ou ainda pior, no minuto que eles começarem a liberar esses dólares acumulados o que aconteceria? Eles começarão a vender tesouros americanos, haverá menor demanda por tesouros americanos pois não estão comprando, estão vendendo. Taxas de juros vão subir. Juros de longo prazo. Juros de longo prazo subiria nos Estados Unidos. Quando as taxas de juros de longo prazo subirem, isso significa que está mais difícil de emprestar, que as pessoas vão querer mais juros para te emprestar dinheiro, que as taxas de cartão de crédito vão subir e, em geral, toda a economia dos Estados Unidos vai piorar. Por que a recessão agora? Porque está mais difícil emprestar. Fomos tão dependentes de dívidas baratas, e quando a dívida fica um pouco menos barata, tudo para de funcionar. Seria ainda pior, se os chineses parassem de comprar nossas dívidas e permitissem que os juros subissem. Então estamos presos nesse ciclo perverso, onde apesar de parecer que os chineses estão certamente aproveitando-se disso, eles estão acumulando esses ativos e no minuto que eles param de acumular esses ativos, o valor deles vai cair. E apesar de parar que os Estados Unidos está com sua base industrial esgotada. E isso é verdade. Eles estão tendo suas bases industriais esgotadas por causa disso, eles estão mantendo-se os juros baixos. Se você é um político, você gostará disso. Isso faz o ambiente parecer positivo. Vou te deixar aqui para que você possa pensar um pouco sobre isso. No próximo vídeo, vou tentar fazer um pouco de analogia para ver onde isso pode ir. [Legendado por Erick Yoshida] [Revisado por Eloá Davanzo]