If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:4:37

Transcrição de vídeo

Digamos que temos dois bancos, banco A e banco B. E você já deve saber que todos os bancos emprestam a maior parte do dinheiro que obtêm como depósitos, mas mantêm algum dinheiro como reservas, caso algum depositante queira sacar parte do seu dinheiro e também porque o banco central diz que você deve manter uma certa parte dos depósitos em reserva. Há um requisito de reserva. Mas você pode imaginar, ao fazer transações, milhares delas por dia, talvez milhões, pode o banco B, ter mais de seus depositantes aparecendo e dizendo: "Me devolva parte de meus depósitos!" Obviamente, eles emprestaram muito do dinheiro e fica com as reservas baixas. Talvez para o banco A, os depositantes não tenham pedido seu dinheiro, por qualquer razão, o banco A tem muito dinheiro. Assim, nessa situação, o que acontece é que o banco A vai emprestar reservas, irá emprestar dinheiro ao banco B. Isto significa emprestar algum dinheiro. E eles cobrarão uma taxa de juros por emprestar esse dinheiro. Talvez cinco por cento de juros. Mas não cinco por cento por dia. Geralmente são em base diária e a cada dia são renegociados. Mas não é cinco por cento ao dia, mas cinco por cento ao ano, uma fração bem menor. Mas geralmente, como mencionei, emprestam por uma base diária. E dizem: "Olhe o dinheiro para esta noite, se precisar para a próxima nos falamos." E talvez sejam outros cinco por cento ou pode mudar novamente. Agora, digamos que o Banco Central, por alguma razão, queira estimular a economia. O Banco Central começa a imprimir dinheiro. Deveria fazer o dinheiro em verde! O Banco Central imprime dinheiro e quer fazer duas coisas: injetar este dinheiro no sistema bancário, que irá, esperamos, entrar na economia, e também querem baixar a taxa de juros, especialmente a de curto prazo, para empréstimos <i>overnight</i>. Lembre-se, esta é a taxa anual de juros, mas é um empréstimo <i>overnight</i>. Empréstimo <i>overnight</i>. Assim, quando falo em taxa de curto prazo, estou falando dos juros para empréstimos que são feitos por curtos períodos. O Banco Central faz operações de mercado aberto. Ele vai ao mercado, talvez diretamente a estes bancos ou alguns outros, e compra seus títulos. Eles darão este dinheiro ao mercado, e em troca, geralmente compram títulos do tesouro, às vezes outra coisa, mas geralmente títulos muito seguros. E talvez seja uma compra temporária. Falarei sobre isso no futuro. E o que acontece é que este dinheiro vai para as mãos de quem acabou de vender estes títulos do tesouro, e eles têm que depositá-lo em bancos, talvez depositem neste banco aqui, ou outro banco. Mas o efeito líquido é que há mais dinheiro no sistema bancário. E se há mais dinheiro no sistema bancário, este cara aqui precisa menos dinheiro, então reduz a demanda. Reduz a demanda por dinheiro. Então, este cara tem mais para dar, então aumenta a oferta. Aumenta a oferta pois algumas pessoas podem pegar algum dinheiro e depositar. Assim, aumenta a oferta e este cara precisa de menos, assim, a taxa para emprestar irá cair. Talvez caia de cinco por cento para quatro por cento. Então o que acontece, é a redução da curva de rendimentos de curto prazo. Deixe-me traçar a curva de rendimentos. Tenho vencimento neste eixo, e este é o rendimento. Digamos que a curva anterior fosse assim. Era assim, e isto aqui é cinco por cento. É <i>overnight</i>. Este deve ser o rendimento para débito de um ano e este deve ser o rendimento para, talvez, um débito de cinco anos. Ao fazer a operação de mercado aberto, o Banco Central atingiu os dois objetivos. Conseguiu injetar dinheiro, dinheiro impresso, na economia e também conseguiu baixar a taxa de juros de cinco por cento para quatro por cento. Agora, por causa das operações de mercado aberto, feitas pelo Banco Central a curva de rendimentos será assim. [Legendado por Laércio Junior]