If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:15

Transcrição de vídeo

Para entender melhor o relaxamento quantitativo no contexto americano, especialmente no contexto em que Ben Bernanke está falando, eu quero ler esse trecho de uma palestra que Ben Bernanke deu na Escola de Economia de Londres no dia 13 de janeiro de 2009. Isso foi logo depois de boa parte da loucura da crise financeira e que ainda estava acontecendo. Ele está dizendo "Nossa abordagem, que poderia ser descrita como 'relaxamento de crédito', se parece com relaxamento quantitativo em certo sentido." Ele diz que não é bem relaxamento quantitativo, apesar de efetivamente ser. "Isso envolve uma expansão do balanço patrimonial do banco central." Só para entender do que ele está falando, o banco central tem seus passivos e ativos, com qualquer corporação, e seus passivos mais o patrimônio líquido têm que bater com os ativos. Só para simplificar, vamos fazer os ativos e os passivos se alinharem. Digamos que este é o balanço patrimonial do banco central. Esses são seus ativos circulantes, e esses são os passivos, e esse é o patrimônio líquido, apesar de que o patrimônio líquido do Fed, o banco central dos Estado Unidos, é um pouco estranho, não é como o tradicional, em que eles recebem os lucros excedentes, na verdade, o lucro excedente vai para o governo dos Estados Unidos. Mas quando o Fed imprime dinheiro, o que eles literalmente fazem é que eles criam passivos e ativos compensados. Então, quando eles imprimem dinheiro, digamos que eles estejam imprimindo dinheiro aqui, esse é o dinheiro que eles estão imprimindo, essas seriam literalmente notas do banco central sendo criadas ou seja, elas são essencialmente notas de dólares. Essas são notas de dólares sendo emitidas, tanto fisicamente quanto eletronicamente. Depois, eles tem um passivo compensatório, que são reservas excedentes, o que literalmente significa que essas são notas que nós criamos. Reservas excedentes é o outro lado do balanço patrimonial. Só para examinar o texto, ele diz que "relaxamento de crédito se parece com relaxamento quantitativo em certo sentido, isso envolve a expansão do balanço do banco central." Essa é a expansão do balanço do banco central. Na prática, isso é a mesma coisa que imprimir dinheiro. O banco central vai colocar essas notas em circulação indo até o mercado e comprando ativos. Tradicionalmente, quando o Fed está mais focado nas taxas de juros de curto prazo, nas taxas interbancárias overnight, ele usaria esse dinheiro para comprar títulos de curto prazo, que aumentam a quantidade de dinheiro lá fora, a quantidade de dólares lá fora, e isso diminuiria a taxa de juros para as pessoas comprarem e venderem dólares, ou melhor, contrairem ou concederem empréstimos, não comprarem e venderem. Dar e pegar dinheiro emprestado. A taxa overnight entre bancos vai diminuir pois há mais dólares disponíveis, o custo de pegar dinheiro emprestado vai diminuir. Normalmente, é com isso que o Fed se preocupa. E eles dizem "Relaxamento quantitativo é apenas essa ideia de expandir o balanço patrimonial." Vamos continuar lendo: "Entretanto, em um regime de relaxamento quantitativo puro, o foco dessa política é a qualidade das reservas do banco, que são passivos do banco central; a composição dos empréstimos e títulos no lado do ativo no balanço patrimonial do banco central é incidental." Então ele está dizendo que no relaxamento quantitativo tradicional, o banco central diz "Veja, só estou preocupado em imprimir dinheiro", então os seus passivos crescem da mesma forma. Isso são reservas excedentes novamente, e a altura aqui é proporcional a quanta moeda eles emitem. Talvez isso seja outro trilhão de dólares que estão imprimindo. Mas o que o Fed está dizendo é que, no relaxamento quantitativo tradicional, o banco central só está preocupado em imprimir dinheiro e colocá-lo em circulação, eles não estão muito preocupados com para que esse dinheiro está sendo usado. Então sempre que esse dinheiro entra em circulação, eles vão e compram ativos, normalmente títulos do tesouro, e depois dizem "De fato, por mais que a política do Banco do Japão..." -- ele está comparando o que o Japão fez quando enfrentaram crise deflacionária -- "De fato, por mais que a abordagem do Banco do Japão durante o período de relaxamento quantitativo fosse multifacetada, o desempenho geral de sua política foi medido principalmente em termos das suas metas para reservas bancárias." Então você está dizendo "Quando os japoneses estavam tentando superar uma crise deflacionária bancária, eles seguiram imprimindo dinheiro, portanto continuaram aumentando o lado do passivo do seu balanço patrimonial, continuaram emitindo moeda, e eles usaram esses recursos para um monte de coisas, eles usaram esse dinheiro para comprar um monte de ativos, mas o foco da intervenção foi apenas o quanto eles imprimiram. Eles não deram a mínima, eles não se planejaram para onde aquele dinheiro foi. Eles não estavam tentando mudar o que acontece nos mercados em que eles participam. Vamos continuar lendo o que o Fed disse. "Diferente disso, a abordagem de relaxamento de crédito do Fed foca na mistura de empréstimos e títulos em seu portfólio e em como essa composição de ativos afeta as condições de crédito para as famílias e negócios." O que eles está dizendo é que, mecanicamente, nós estamos fazendo a mesma coisa que o Japão fez, nós estamos expandindo nosso balanço patrimonial, que é análogo a imprimir dinheiro, e nós também estamos comprando um monte de coisas, assim como o Japão fez, o Japão tinha uma abordagem multifacetada, era assim que eles colocavam o dinheiro em circulação, mas o que Bernanke está dizendo é que nossa abordagem não foca apenas na quantidade de moeda emitida, nosso foco está em onde estamos colocando esse dinheiro, como nós podemos usar esse dinheiro que imprimimos para, de certa forma, garantir liquidez, para facilitar as coisas em certas partes da economia. Para entender o que ele está falando, vou desenhar aqui uma curva de rendimentos. Vou desenhar a curva de rendimentos. No eixo horizontal está a maturidade, e essa é a taxa de retorno, e vou desenhar a curva de rendimento para títulos do tesouro. Digamos que a taxa de curto prazo overnight para empréstimos, vamos desenhar a curva de rendimentos para títulos do tesouro, talvez ela se pareça com algo assim. As taxas de curto prazo já estão bem perto de zero, e talvez você saiba que isso é algo, eu não sei a porcentagem, talvez seja algo perto de quatro por cento. Não é acurado, mas é só para dar uma ideia. Então essa é a curva de rendimento de títulos do tesouro. Também poderia haver uma curva de rendimento para outros tipos de títulos. Você pode ter um título corporativo AAA, um título corporativo bem seguro, de segurança percebida, mas não são tão seguros quanto um título do tesouro, então talvez a curva de rendimentos possa se parecer mais ou menos com isso, e essa diferença, para qualquer maturidade, esse pode ser 10 anos, esse título tem maturidade de 10 anos. Essa diferença entre esse título corporativo AAA e um título do tesouro, essa diferença é o chamado spread. Talvez o Fed consiga, por meio de intervenção, eles são capazes de imprimir dinheiro, normalmente eles compram títulos de curto prazo, mas talvez eles comecem a comprar títulos de longo prazo do tesouro, e talvez isso ajude a trazer a curva de rendimentos dos longo prazo dos títulos do tesouro um pouco mais para baixo. Ajude a trazer para baixo. Mas talvez os títulos corporativos AAA não reajam, talvez seu spread não fique constante, talvez o spread se acentue. Talvez aconteça o mesmo com outros tipos de títulos. Esse é um título garantido por hipoteca bem avaliado, talvez ele tenha uma taxa de juros ligeiramente mais alta. Por mais que a taxa de juros dos títulos do tesouro estejam descendo enquanto intervêm, por causa da loucura que está a economia, o spread entre o tesouro e os títulos garantidos por hipoteca AAA, ou o spread entre os títulos do tesouro e os títulos corporativos AAA, talvez ele aumente, ou outra maneira de pensar nisso é que as taxas de juros do tesouro estão descendo, enquanto essas coisas aqui não estão acompanhando, então quando Ben Bernanke diz "Nós estamos fazendo relaxamento quantitativo, estamos imprimindo dinheiro, e estamos usando esse dinheiro para comprar coisas e estamos aumentando a quantidade de dinheiro que está na economia, mas o nosso objetivo não é aumentar as reservas ou a quantidade de moeda, pois isso não está mudando o comportamento dos bancos. O que nós vamos fazer é comprar coisas como títulos garantidos por hipoteca bem avaliados, ou coisas como notas promissórias, títulos corporativos AAA, para que esse tipo de coisas, os juros e tudo mais, comecem a descer. Obviamente, se alguém está disposto a pagar mais por uma certa quantia em títulos, e eu já falei sobre isso em outro vídeo, talvez não seja tão óbvio, as taxas de juros sobre eles irão diminuir. Então o que eles estão fazendo, o que Bernanke está dizendo é que eles se preocupam mais com o que acontece no lado do ativo do balanço patrimonial do Fed, pois ele pega esses dólares impressos, compra coisas, e ele que colocar alguns títulos garantidos por hipotecas aqui, ele quer colocar aqui alguns títulos corporativos AAA. Talvez isso eles também comprem alguns títulos de longo prazo do tesouro, ou alguma outra coisa. [Traduzido por Pedro Barros]