If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:4:56

Dívida corporativa versus hipotecas tradicionais

Transcrição de vídeo

O tipo de dívida mais conhecido são as hipotecas, que podem nos deixar sem casa. Neste vídeo, quero esclarecer como a hipoteca é diferente dos outros tipos de dívidas que muitas corporações teriam que assumir. Então se tivesse que tirar uma hipoteca de um milhão, o banco define um pagamento fixo que eu possa pagar todos os meses e à medida que pago, o valor não mudará ao decorrer do termo de hipoteca. Digamos que seja uma hipoteca de 10 anos. O valor não muda, mas ao pagar a hipoteca, eu pago uma parte dos juros, e outra parte para abater a hipoteca. Então, no início da vida da hipoteca, talvez no primeiro pagamento, a maior parte do pagamento será de juros e uma pequena parte da hipoteca corresponderá ao pagamento do capital. O capital, este pequeno bloco rosa, na verdade será usado para pagar a dívida da hipoteca. Assim, depois do primeiro pagamento, o débito é um pouco menor. Farei o mesmo pagamento total da hipoteca, mas já que agora a dívida total é menor, o valor... A taxa é a mesma, estou supondo que há uma taxa de juros fixa. O valor dos juros será menor, pois já paguei parte do capital. Então no próximo pagamento, o valor do juros será um pouco menor e para este novo pagamento fixo, serei capaz de pagar mais capital. E continuamos fazendo isso. Vou usar a mesma cor. No pagamento seguinte... Não é a mesma cor. O pagamento após esse, mesmo sendo exatamente o mesmo valor, terá menos juros porque já paguei um pouco mais da dívida, e normalmente não acontece rápido assim, mas é só para dar uma ideia. e também terá mais capital. Assim que você avançar todo o caminho até perto do fim do prazo, ou seja, muitos pagamentos depois, no fim de 10 anos... Acho que falei que era uma hipoteca de 10 anos. No último pagamento, mesmo que todos os pagamentos tenham sido iguais... O pagamento da hipoteca foi o mesmo total em todos os meses. Mas no último pagamento a parcela de juros será bem pequena e a maior parte será de capital. Depois do último pagamento, a pessoa que assumir a hipoteca, deverá ter liquidado a dívida. Dívida paga. Agora sou o dono da casa pela tradicional taxa hipotecária fixa. Com o débito corporativo não é assim, geralmente. A dívida corporativa geralmente são juros apenas da dívida. Há situações em que as empresas pagam as parcelas do empréstimo de tempos em tempos, mas não é um modelo de pagamento fixo para liquidar a dívida em certo período, a maioria dos débitos corporativos. Digamos que a empresa pegue emprestado um milhão de dólares pelo prazo de 10 anos também. Porém, a empresa pagará somente os juros, o tempo todo. Assim, não importa o montante que seja, é o que a empresa pagará todo mês. Eles pagarão exatamente aquele valor a cada período, talvez a cada trimestre, ou cada ano, o que for. Vamos avançar para o final do termo do empréstimo. Eles pagam sempre o mesmo montante, e ao fim do termo do empréstimo, terão que pagar o montante mais o total do capital, de uma só vez. Agora, a maioria das empresas não dispõe de todo o capital, mas de qualquer forma, terão que pagar todo o capital, de uma só vez. ao fim do termo do empréstimo. Se tiver o dinheiro, liquidará a dívida, mas se não tiver o dinheiro, e muitos não o terão, nesta situação. Afinal esse é o motivo do empréstimo. Então, a empresa pede um novo empréstimo com o mesmo montante do capital. Talvez no mesmo banco, ou em outro, mas com uma taxa de juros diferente ou termos de empréstimo diferentes. A empresa pede um novo empréstimo ao fim do período do termo, e usa isso para pagar o capital de sua dívida antiga, e continua pagando o juros para os termos de sua nova dívida. É um processo diferente e quero ter certeza que entenderam. Há outros tipos de empréstimos corporativos: com taxa de juros fixa ou variável; há outros, chamados convênios, em que o banco ingressa na empresa para verificar se há atividades arriscadas que afetem a capacidade da empresa de liquidar a dívida, ou a leve a fazer um novo empréstimo para saldar a dívida. O banco tem mecanismos para verificar as condições da empresa, perto do final do termo, mas é totalmente diferente do processo das hipotecas. [Legendado por Marília Figueira]