If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:58

Transcrição de vídeo

Nós todos entramos em contato com empresas. Você talvez trabalhe para uma companhia. Você talvez compre algo de uma companhia. Você talvez, eu não sei, você talvez possua ações de uma companhia. Então nós temos uma ideia do que elas sejam. Mas eu quero deixar essa ideia um pouco mais precisa nesse vídeo, e também te dar uma noção de porquê as corporações existem. Portanto, uma corporação, e você talvez já tenha uma ideia disso, é uma entidade legal. É uma entidade legal que pode agir como que... que pode agir como uma pessoa... como uma pessoa. Eu coloquei agir entre aspas porque obviamente existem algumas coisas que pessoas podem fazer, mas corporações não. Uma pessoa pode sorrir. Eu acho que é discutível se uma corporação também pode. Quando eu digo agir, significa legalmente. Então uma corporação pode processar uma outra ou uma pessoa. Uma corporação pode ser processada por outra corporação ou pessoa. Uma corporação pode deter bens, assim como uma pessoa detém bens. Uma corporação pode dever coisas a outras pessoas ou corporações. É isso que eu quero dizer por "agir". Uma corporação não pode pular ou rir como uma pessoa. Bem, isso... talvez isso seja uma discussão filosófica para um outro vídeo. Mas, meu foco é, além do significado de corporação, é o motivo pelo qual elas existem. Então, por que uma corporação existe? Em minha mente existem duas grandes razões; a primeira, e essa é realmente a maior é a responsabilidade limitada. Parece uma palavra bem elegante, mas nós iremos ver em outro exemplo, que não é tão... não é tão elegante. Então existe responsabilidade limitada e também algo como a transferência de titularidade das ações. Titularidade das ações. Mas o que eu quero fazer aqui-- basicamente mais de uma pessoa pode deter a corporação, eles podem transferir as ações entre pessoas, podem negociá-las. Mas quero focar na responsabilidade limitada, porque mesmo se houver apenas uma pessoa que detenha a companhia, se ela possuir toda ela, ainda faz sentido para ela criá-la por causa da responsabilidade limitada. E para entender isso, deixe me te dar um pequeno exemplo. Vamos dizer que... Digamos, digamos que existe um cara. Digamos que ele é o Bill. Digamos que esses são... Digamos que esses são os ativos do Bill e que ele possua uma casa. Digamos que ele possua uma casa no valor de $500.000. Digamos que ele possua um carro, talvez ele tenha um carro muito bom. Suponha que o carro valha $100... Não, isso é muito por um carro. Isso é muito... Bem, carros podem custar isso, mas vamos supor... isso... $50.000 ainda é um bom carro. Suponha que ele possua alguns investimentos, algumas propriedades ou talvez algumas ações que valem outros... outros $500.000. E digamos que ele está interessado, você sabe, ele dá uma olhada na cidade e vê que há várias pessoas que precisam de carona. Para conseguir um dinheiro extra, ele quer iniciar um serviço de carros ou táxis. Então ele sai, e não pensa em abrir uma companhia e ele apenas sai e compra um carro, um táxi e paga as licenças. Um táxi mais licenças. E essas coisas são na verdade muito mais caras do que você imaginaria. Você poderia com... Na próxima vez que estiver em um táxi, custa muito mais do que o custo do carro, o que talvez seria $20.000 ou $30.000. Chega próximo a seis casas. Mas digamos que isso tudo custa $80.000. E que ele gaste mil dólares, ao menos no primeiro ano. Suponha que ele gasta mil dólares com seguro, em seguro de responsabilidade. Ele percebe: "Ei, veja, talvez, você sabe, talvez alguma coisa ruim aconteça. Isso é um táxi e eu poderia atropelar alguém e ser processado. Logo, eu quero um seguro de responsabilidade." Então isso é o seguro de responsabilidade, no caso de algo como aquilo acontecer. Suponha que isso seja... que isso seja uma apólice de $100.000 Ele diz: "Você sabe, como eu posso, você sabe...". Talvez ele seja um pouco otimista e ele ache que ninguém pode processá-lo em mais de $100.000. Então é uma.... É uma apólice de $100.000. Agora, ele sai para a cidade. Ele começa a dirigir o seu táxi, pegando pessoas, deixando-as e um dia por acidente, ele passa por cima do pé de alguém. E essa pessoa que ele acabou de esmagar o pé acabou por ser... você sabe, um jogador profissional de futebol. Então ele arruinou a carreira dessa pessoa. Ele arruinou a carreira. Então aqui, aqui está o futebol... o jogador de futebol bem aqui, que a carreira foi arruinada ou se você está vendo isso de fora dos Estados Unidos, um jogador de futebol. De qualquer modo, existe esse jogador de futebol. O seu quebrado... O seu pé está quebrado. Então ele processa o Bill porque ele é dono do táxi. E a corte... então ele processa. Deixe-me escrever. Ele processa o Bill... processa o Bill em $1.000.000. Um milhão de dólares por ter arruinado sua carreira. Na verdade, isso... ele provavelmente merece mais do que isso se ele fosse um jogador profissional. E a corte, você sabe, diz: "Veja, você acabou com esse cara. Você... você... você foi... o pé dele, você foi negligente. Você ficou perto demais do meio-fio. O pé dele foi quebrado." Então ela decide em favor do jogador de futebol. E agora Bill está na mira pelo montante de um milhão de dólares. Então o Bill terá que vender sua casa. Ele terá que vender o seu carro. Bem, ele não precisa já que tem investimentos. Vender os investimentos e dar a sua casa, ou o valor pela venda da casa casa e seus investimentos para o jogador de futebol. Então só resta a Bill seu carro e o seu táxi e não muito mais, então o que isso fez... esse negócio de táxi não deu muito certo para o Bill. É uma parte pequena do portfólio. Ele nem teve a chance de ganhar muito com isso e apenas perdeu dinheiro. Agora, o que o Bill deveria ter feito era criar uma corporação separada, uma corporação separada, chamada... chamada Serviço de Carros do Bill Incorporações. e transferido dinheiro o suficiente para que o táxi, as licenças e o seguro pudessem ser detidas por essa entidade legal, por essa corporação. Então aqui você teria os táxis... táxis mais a licença. Então, ele teria transferido $80.000 para a corporação e ela teria comprado eles no nome da corporação. Lembre-se, ela pode agir como uma pessoa, pode comprar em seu nome. O dono desse táxi é Serviços de Carro do Bill, não o Bill. Ele também poderia conseguir o seguro, o seguro de $100.000, talvez, esse seja o valor que acham razoável para qualquer um que gere um negócio de táxis. Você precisa de ao menos $100.000. Na realidade, é provável que o valor seja bem maior e ele gasta mil dólares para ter essa apólice e, lembre-se, isso é um seguro de responsabilidade de $100.000. Agora, vamos simular a mesma situação. O táxi ainda atropela o pé do jogador de futebol. O pé do jogador de futebol quebra, não pode mais jogar futebol, processa quem quer que seja o dono do táxi em um milhão de dólares. Mas agora o dono do táxi não é mais o Bill. É o Serviço de Carro do Bill. Então ele processa isso, processa o Serviço de Carro do Bill e deixe-me ser claro. Nessa realidade, os ativos do Bill não mais incluiriam o táxi, as licenças e o seguro. Ele agora incluiria, cem por cento da posse dos serviços de carro, dos Serviços de Carro do Bill. Então os ativos são agora as ações, 100% da propriedade nisso mas isso é uma entidade legal separada. Agora, o jogador de futebol processa o serviço de táxis em $1.000.000. A corte dirá: "Ei, você deve para ele $1.000.000. Você acabou com a carreira dele." Mas, infelizmente para o jogador e, eu acho, felizmente para Bill, não quero escolher um lado, isso é como a realidade funciona e isso é o que a obrigação limitada é, agora tudo que o serviço de carros pode produzir é... Bem, eles podem vender... Eles podem talvez vender esses ativos por $80.000 e eles terão $100.000... Eles terão $100.000 do seguro, então tudo que essa corporação poderá fazer é dar para ele $180.000 e então a corporação irá entrar em falência. Então irá declarar falência corporativa. Ela irá falir. Então isso que o Bill possuía, o serviço de carros que talvez no início ele pudesse registrar nos livros como valendo $81.000, tinha apólice de seguro e tudo isso. Vale agora zero. A corporação não vale nada, mas o jogador de futebol não pode ir atrás de mais nada. Nós falaremos no futuro sobre as razões pelas quais ele não pode. Se ele não tinha seguro suficiente ou se não... se ele geria isso como o seu negócio pessoal. Se o serviço de carros não tivesse sua própria conta bancária ou se... Se estivesse subcapitalizada, se ele não tivesse dinheiro suficiente nela, então talvez a corte teria deixado o jogador de futebol, como eles dizem, "desconsiderar a personalidade jurídica" , o que é um jeito bem elegante de ainda ir atrás dos donos da corporação. Mas, enquanto essa corporação estiver razoavelmente capitalizada, e eu apenas inventei esses números, o jogador de futebol conseguirá ir atrás apenas dessa corporação. Então, o vemos aqui é que a responsabilidade do Bill era limitada. Isso era responsabilidade limitada. O máximo que ele poderia perder, enquanto gerisse o serviço de carros decentemente, tivesse seguro e dinheiro suficiente na organização atual, enquanto ele gerisse da maneira correta, o máximo que ele poderia perder seria o valor da organização. Se a organização, você sabe, atinge alguém ou passa por cima do pé de alguém, e... mas fosse gerida apropriadamente, eles não podem ir atrás do resto dos seus ativos. Então essa é a razão número um pela qual as pessoas possuem corporações: responsabilidade limitada. [Legendado por LucasF] [Revisado por: Karoline]