If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Como os Estados Unidos e outros países vivenciam a inflação

Como a inflação afeta o bem estar de um país? Quais são alguns exemplos de inflação alta e baixa?

Pontos Principais

  • Na economia dos Estados Unidos, a taxa anual de inflação nas últimas duas décadas normalmente foi de cerca de 2% a 4%.
  • Os períodos de inflação mais elevada nos Estados Unidos no século XX ocorreram durante os anos após a Primeira e Segunda Guerras Mundiais e na década de 1970. O período de inflação mais baixa — na verdade, deflação — foi na Grande Depressão da década de 1930.
  • Deflação é a inflação negativa; durante a deflação, a maioria dos preços na economia está caindo.
  • Hiperinflação é uma explosão de alta inflação que muitas vezes é vista — embora não exclusivamente — quando economias mudam de uma economia controlada para uma economia orientada para o mercado.

Como os Estados Unidos e outros países enfrentam a inflação

Nas últimas três décadas, a inflação tem sido relativamente baixa na economia dos Estados Unidos, com o índice de preços ao consumidor subindo normalmente de 2% a 4% por ano. Olhando para trás ao longo do século XX, houve vários períodos onde a inflação causou o aumento do nível de preço a taxas de dois dígitos, mas nada chegou perto de hiperinflação — uma explosão de inflação alta que muitas vezes é vista quando as economias mudam de uma economia controlada para uma economia orientada para o mercado.

Histórico de inflação na economia americana

O diagrama A abaixo mostra o nível de preços do Índice de Preços ao Consumidor, ou IPC, desde 1916. Neste diagrama, os anos base—quando o IPC foi definido como 100—foram definidos para a média dos preços que ocorreram de 1982 a 1984. O diagrama B abaixo mostra as variações percentuais anuais no IPC ao longo do tempo, que é a taxa de inflação.
O gráfico A mostra a tendência do nível de preços dos EUA de 1916 a 2014. Em 1916, o gráfico inicia próximo a 10, comma, a, u, m, e, n, t, a, p, a, r, a, c, e, r, c, a, d, e20 em 1920, fica em torno de 16, o, u17 até 1931, e então salta para cerca de 15, point, A, u, m, e, n, t, a, g, r, a, d, u, a, l, m, e, n, t, e, comma, c, o, m, q, u, e, d, a, s, p, e, r, i, o, with, acute, on top, d, i, c, a, s, comma, a, t, e, with, acute, on top, 2014, comma, q, u, a, n, d, o, e, s, t, a, with, acute, on top, e, m, a, p, r, o, x, i, m, a, d, a, m, e, n, t, e236. O gráfico B mostra as tendências das taxas de inflação nos EUA de 1916 a 2014. Em 1916, o gráfico inicia com 7,7%, salta para perto de 18% em 1917, cai drasticamente para próximo de –11% em 1921 e então tem altas e baixas periodicamente até se estabilizar próximo a 1,5% em 2014.
Crédito da imagem: Figura 1 em "How the U.S. and Other Countries Experience Inflation" por OpenStaxCollege, CC BY 4.0
Vamos observar melhor o diagrama B. As duas primeiras ondas de inflação são fáceis de localizar em termos históricos: elas estão logo após a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. No entanto, também existem dois períodos de severa inflação negativa—chamado de deflação— nas primeiras décadas do século XX. Um destes períodos seguiu a profunda recessão de 1920–21 e o outro foi durante a Grande Depressão da década de 1930.
Uma vez que a inflação é um período em que o poder de compra do dinheiro em termos de bens e serviços é reduzido, a deflação é um período em que o poder de compra do dinheiro em termos de bens e serviços aumenta. Para o período entre 1900 e por volta de 1960, as maiores inflações e deflações quase equilibraram-se entre si, então a taxa média anual de inflação ao longo destes anos foi apenas cerca de 1% por ano. Uma terceira onda de inflação mais grave chegou na década de 1970 e partiu no início dos anos 1980.
Tempos de recessão ou depressão muitas vezes parecem ser momentos em que a taxa de inflação é baixa, como a recessão de 1920-1921, a Grande Depressão, a recessão de 1980-1982 e a Grande Recessão de 2008-2009. Houve alguns meses em 2009 que foram deflacionários, mas não em uma taxa anual.
As recessões são tipicamente acompanhadas por níveis mais elevados de desemprego; a demanda total por bens cai, puxando o nível de preços para baixo. Por outro lado, a taxa de inflação frequentemente — mas não sempre — parece começar a subir quando a economia está crescendo muito fortemente, por exemplo, logo após períodos de guerra.

Inflação ao redor do mundo

No resto do mundo, o padrão de inflação tem sido muito misturado, como pode ser visto no gráfico abaixo, que mostra as taxas de inflação ao longo das últimas décadas. Muitos países industrializados — não apenas os Estados Unidos — tinham taxas de inflação relativamente altas na década de 1970. Por exemplo, em 1975, a taxa de inflação do Japão foi superior a 8% e a taxa de inflação para o Reino Unido foi de quase 25%. Na década de 1980, as taxas de inflação caíram nos Estados Unidos e na Europa e em grande parte permaneceram em baixa.
Países com taxas de inflação relativamente baixas, 1960–2014
O gráfico mostra que os Estados Unidos, Japão, Alemanha e Reino Unido tiveram períodos de alta inflação na década de 1970 e início dos anos 1980, embora a Alemanha não tenha tido taxas de inflação nem de perto tão altas como as vistas em outros países.
Desde o início dos anos 1990, todos os quatro países tiveram taxas de inflação inferiores a 5%, com a taxa do Japão consistentemente inferior em relação as da Alemanha, do Reino Unido e dos Estados Unidos. No entanto, o gráfico também mostra que, a partir de 2014, o Japão teve a maior taxa de inflação dentre os quatro.
Crédito da imagem: Figura 2 em "How the U.S. and Other Countries Experience Inflation" por OpenStaxCollege, CC BY 4.0
Países com economias controladas na década de 1970 — como a União Soviética e a China — historicamente tinham taxas muito baixas de inflação medida porque os preços eram proibidos de aumentar por lei, exceto nos casos em que o governo considerava que um aumento de preço era devido a melhorias de qualidade. No entanto, estes países também tinham uma escassez de bens permanente, uma vez que a proibição de aumento dos preços atua como um teto de preços e cria uma situação em que a quantidade demandada muitas vezes excede a quantidade ofertada.
Como a Rússia e a China fizeram uma transição em direção a economias mais orientadas ao mercado, também passaram por explosões de inflação, embora as estatísticas para estas economias devam ser consideradas um tanto incertas. A inflação na China foi de, em média, cerca de 10% ao ano para a maior parte da década de 1980 e início dos anos 1990, embora tenha caído desde então. A Rússia experimentou hiperinflação — uma explosão de alta inflação — de 2.500% ao ano na década de 1990, embora em 2006, a inflação dos preços ao consumidor da Rússia tenha mergulhado abaixo de 10% ao ano, conforme mostrado nos gráficos abaixo.
O mais próximo que os Estados Unidos já chegaram da hiperinflação foi durante a Guerra Civil, 1860-1865, nos Estados Confederados.
Países com taxas de inflação relativamente altas, 1980–2013
O primeiro gráfico mostra que o Brasil teve uma inflação extremamente alta—mais de 2000%—em 1990. O segundo gráfico, que está em escala menor, mostra que a Rússia teve um salto nas taxas de inflação ao final da década de 1990. Embora as taxas na Rússia tenham ficado baixas na última década, elas ainda estão relativamente altas.
Crédito da imagem: Figura 3 em "How the U.S. and Other Countries Experience Inflation" por OpenStaxCollege, CC BY 4.0
Muitos países da América Latina experimentaram violenta hiperinflação durante a década de 1980 e início dos anos 1990, com taxas de inflação, muitas vezes, bem acima de 100% ao ano. Em 1990, por exemplo, o Brasil e a Argentina viram a inflação subir acima de 2.000%. Certos países na África também experimentaram taxas extremamente elevadas de inflação, às vezes beirando a hiperinflação, na década de 1990. A Nigéria, o país mais populoso da África, teve uma taxa de inflação de 75% em 1995.
No início da década de 2000, o problema da inflação parece ter diminuído para a maioria dos países, pelo menos em comparação com os piores momentos das últimas décadas. Mas a memória da inflação de dois, três e até quatro dígitos não está muito longe no passado para muitos países.

Resumo

  • Na economia dos Estados Unidos, a taxa anual de inflação nas últimas duas décadas normalmente foi de cerca de 2% a 4%.
  • Os períodos de inflação mais elevada nos Estados Unidos no século XX ocorreram durante os anos após a Primeira e Segunda Guerras Mundiais e na década de 1970. O período de inflação mais baixa — na verdade, deflação — foi na Grande Depressão da década de 1930.
  • Deflação é a inflação negativa; durante a deflação, a maioria dos preços na economia está caindo.
  • Hiperinflação é uma explosão de alta inflação que muitas vezes é vista — embora não exclusivamente — quando economias mudam de uma economia controlada para uma economia orientada para o mercado.

Perguntas de revisão

  • O que tem sido um intervalo típico de inflação na economia americana durante a última década?
  • Durante o último século, em quais períodos a taxa de inflação dos EUA foi a mais alta e a mais baixa?
  • O que é deflação?

Questão de pensamento crítico

Por que você acha que a experiência dos Estados Unidos com a inflação nos últimos 50 anos tem sido muito mais suave do que a de muitos outros países?

Problema

Dentro de um ou dois pontos percentuais, como tem sido a taxa de inflação dos Estados Unidos durante os últimos 20 anos? Desenhe um gráfico para mostrar os dados.