If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Resumo da aula: déficits e dívidas

Neste resumo de aula, revise e relembre os principais termos e gráficos relacionados a déficits e dívidas.

Resumo

Aprendemos que a política fiscal expansionista, como a redução de impostos ou o aumento dos gastos do governo, pode ser uma ferramenta poderosa para corrigir uma recessão. Porém, assim como você, se os gastos do governo ultrapassarem suas rendas, ele precisará fazer um empréstimo da diferença.
Quando os gastos do governo com bens, serviços ou pagamentos de transferência ultrapassam sua receita tributária, o governo entra em déficit orçamentário. Os governos fazem empréstimos para cobrir seus déficits orçamentários, e sempre que um governo faz um empréstimo, sua dívida pública aumenta.

Termos-chave

TermoDefinição
orçamento equilibradoquando os gastos do governo com bens, serviços e pagamentos de transferência são iguais às suas receitas tributárias.
déficit orçamentárioquando o governo gasta mais com bens, serviços e pagamentos de transferências do que recolhe em impostos. Os déficits orçamentários aumentam a dívida pública.
superávit orçamentárioquando o governo gasta menos com bens, serviços e pagamentos de transferência do que recolhe em impostos. Os superávits orçamentários podem ser usados para amortizar a dívida pública.
dívida públicaa quantia acumulada de dinheiro que o governo deve aos seus credores, como resultado dos déficits orçamentários.
pagamentos de transferência (também chamados de passivos implícitos)pagamentos efetuados pelo governo que não são feitos em troca de bens e serviços. Por exemplo, quando o governo paga a pensão de aposentadoria a uma senhora idosa, ele está transferindo dinheiro a ela, não comprando bens e serviços dela.

Pontos principais

Os déficits ocorrem quando os gastos do governo e os pagamentos de transferência ultrapassam as receitas tributárias

Se uma pessoa descobre que está gastando mais dinheiro do que tem, ela terá que vender alguns de seus pertences ou tomar dinheiro emprestado. O governo enfrenta o mesmo problema. O dinheiro que o governo tem para gastar é o dinheiro coletado na forma de impostos. Se o valor recolhido em impostos não for suficiente para cobrir seus gastos, o governo entra em déficit e precisará tomar dinheiro emprestado.
Com o que os governos gastam dinheiro? Os governos gastam dinheiro com bens e serviços, como a compra de computadores para repartições públicas e pagamentos de empresas terceirizadas. Além disso, os governos sempre têm obrigações legais de fazer pagamentos a pessoas físicas, como os pagamentos de aposentadorias no Brasil.

Quando o governo toma dinheiro emprestado, sua dívida aumenta

Sempre que o governo entra em déficit orçamentário, ele aumenta sua dívida de longo prazo. Por exemplo, imagine que o governo de Analândia tenha um déficit orçamentário de dollar sign, 200 milhões em um ano, então ele faz um empréstimo para cobrir esse déficit. No ano seguinte, o governo entra em outro déficit, dessa vez de dollar sign, 100 milhões. Agora, o governo acumulou uma dívida de pelo menos dollar sign, 300 milhões.

A dívida do governo reduz sua capacidade de gastos no futuro

Observe que no último exemplo, dissemos que o governo havia acumulado uma dívida de pelo menos dollar sign, 300 milhões. Se você tiver se perguntando: "mas dollar sign, 200 milhões mais dollar sign, 100 milhões não é exatamente igual a dollar sign, 300 milhões?", você está se esquecendo de um aspecto importante da dívida: os juros.
Assim como qualquer pessoa que toma dinheiro emprestado, o governo precisa pagar o valor do empréstimo e os juros sobre aquele valor. Por exemplo, se sobre os empréstimos de Analândia incidem juros de 10, percent ao ano, ao término do primeiro ano, o país deve:
Dıˊvida ao teˊrmino do ano=Valor do empreˊstimo+valor dos juros=$200 milho˜es×($200 milho˜es×10%)=$200 milho˜es×$20 milho˜es=$220 milho˜es\begin{aligned} \text{Dívida ao término do ano} &= \text{Valor do empréstimo} + \text{valor dos juros} \\\\ &= \$200 \text{ milhões} \times (\$200 \text{ milhões} \times 10\%)\\\\ &= \$200 \text{ milhões} \times \$20 \text{ milhões}\\\\ &=\$220 \text{ milhões} \end{aligned}
Portanto, se o governo não amortizar qualquer parte do valor emprestado no primeiro ano ou os juros, a dívida total acumulada quando ele entrar em déficit no segundo ano será de dollar sign, 320 milhões.
As dívidas devem ser pagas. Isso significa que se o governo de Analândia deseja pagar essa dívida, ele precisará deixar de ter déficits e começar a ter superávits. O governo terá que começar a realocar os gastos com bens, serviços e pagamentos de transferências para pagar sua dívida.

Existe uma relação próxima entre o saldo orçamentário e o ciclo de negócios

Os governos tendem a entrar em déficits durante períodos de recessão e superávits em períodos de expansão. Lembre-se de que os estabilizadores automáticos tendem a ser ativados quando existem variações no produto, o que significa que durante as recessões, os gastos do governo com coisas como os pagamentos de transferência tendem a aumentar ao mesmo tempo em que as receitas tributárias diminuem.

Principais equações

A poupança pública é calculada da seguinte forma:
start text, P, o, u, p, a, n, ç, a, space, p, u, with, \', on top, b, l, i, c, a, end text, equals, start text, R, e, c, e, i, t, a, space, t, r, i, b, u, t, a, with, \', on top, r, i, a, end text, minus, start text, G, a, s, t, o, s, space, d, o, space, g, o, v, e, r, n, o, end text, minus, start text, P, a, g, a, m, e, n, t, o, s, space, d, e, space, t, r, a, n, s, f, e, r, e, with, \^, on top, n, c, i, a, end text
Por exemplo, se um país recebe dollar sign, 700 de renda tributária, gasta dollar sign, 600 em bens e serviços e dollar sign, 200 em pagamentos de transferência:
Poupança puˊblica=Receita tributaˊriaGastos do governoPagamentos de transfereˆncia=$700$600$200=$100\begin{aligned}\text{Poupança pública} &=\text{Receita tributária} - \text{Gastos do governo} - \text{Pagamentos de transferência} \\\\ &=\$700 - \$600 - \$200\\\\ &=- \$100\end{aligned}
Observe que aqui a poupança é negativa. A poupança pública pode ser positiva, o que significa que o governo tem dinheiro que pode ser emprestado. Entretanto, uma poupança pública negativa significa que o governo está tomando dinheiro emprestado.

Equívocos comuns

  • Às vezes, os alunos novos se confundem com os termos "déficit" e "dívida". O déficit descreve uma escassez em um período (por exemplo, em um orçamento anual), enquanto a dívida descreve uma escassez que é acumulada com o passar do tempo. Ela é o resultado, por exemplo, de vários déficits anuais.
  • Muitas pessoas pressupõem que os déficits são "ruins", mas um economista lembraria essas pessoas de que tendemos a nos ater a análises positivas, em vez de análises normativas. Um déficit pode ser o resultado de um evento, como uma recessão, e pode ser pago na próxima vez que a economia experimentar um crescimento (e um superávit orçamentário como resultado desse crescimento). Entretanto, a existência de muitos déficits gera uma dívida, e dívidas devem ser pagas. Isso significa que o pagamento de uma dívida limitará os gastos do governo no futuro.

Perguntas para revisão

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.