If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:10:16

Transcrição de vídeo

RKA8JV - Olá! Neste vídeo, eu vou te mostrar a diferença entre vantagem comparativa e vantagem absoluta. No vídeo anterior, nós vimos que a Patty teve uma vantagem comparativa em relação a Charlie quando nós falamos de pratos, porque o custo de oportunidade para produzir 1 prato era mais baixo que o custo que Charlie tinha para produzir 1 prato. O dela era 1/3 de 1 xícara, e o dele era 3 xícaras, por isso que ela se especializou na fabricação de pratos. Charlie, por outro lado, tinha uma vantagem comparativa em xícaras. O custo de oportunidade para produzir 1 xícara era apenas 1/3 de 1 prato, enquanto que para Patty o custo era 3 pratos. Devido a isso, ele se especializou em produzir xícaras. Uma coisa que eu quero falar aqui, neste vídeo, é que nós não podemos confundir vantagem comparativa com vantagem absoluta. Ter vantagem absoluta em um produto significa ter mais produtividade neste produto usando os mesmos insumos. Esre gráfico aqui não informa quantos funcionários o Charlie ou a Patty têm, nem quantos insumos eles usam para produzir 30 xícaras ao dia ou 30 pratos ao dia. Na verdade, nós não podemos falar muito sobre a vantagem absoluta. Mas partindo do princípio que em todos os cenários eles têm os mesmos insumos, por exemplo, em pratos, se cada um tiver 1 funcionário, quem sabe eles mesmos, e se com essa mesma quantidade de 1 funcionário, Patty consegue produzir mais pratos que Charlie, então, ela terá uma vantagem absoluta em pratos. Também, nas mesmas condições, se Charlie conseguir produzir mais xícaras que a Patty, ele terá uma vantagem absoluta em xícaras. No entanto, não é por causa da vantagem absoluta que ele resolveu se especializar. Na verdade, nem sabemos o valor das entradas. Talvez, ele nem tem uma vantagem absoluta, talvez Charlie precise de 100 funcionários para produzir as 30 xícaras, enquanto que a Patty consegue produzir 10 xícaras com 1 funcionário. Neste caso, a Patty é quem teria vantagem absoluta. Mas nada disso é apresentado aqui neste gráfico, então, para esclarecer melhor, nós vamos imaginar um cenário em que a produtividade de Charlie aumentou ligeiramente, e ele tem a vantagem absoluta nos dois produtos. Ainda assim, desde que ambos tenham vantagens comparativas distintas, é interessante para eles se especializarem. Vamos imaginar um outro cenário agora, em que Charlie melhorou radicalmente. Vamos traçar, aqui, um gráfico. Aqui neste eixo nós temos as xícaras, e neste outro eixo, os pratos. Deixe-me adicionar aqui os indicadores. 10, 20, 30, e 40. Aqui também, 10, 20, 30, e 40. Vamos dizer que a produção de Patty é a mesma que no vídeo passado. Então, a fronteira de possibilidades de produção será desta forma. Mas agora, nós vamos dizer que a produção de Charlie aumentou radicalmente, ou seja, aumentou bastante. A fronteira de possibilidades de produção de Charlie está desta forma aqui agora. Em um dado dia, a produção dele, supondo, claro, que ambos tenham a mesma quantidade de insumos, a produção dele seja de 40 xícaras e a da Patty seja apenas 10. Portanto, ele tem, agora, a vantagem absoluta em xícaras, ou, neste mesmo dado dia com as mesmas entradas, ele produz 40 pratos, enquanto a Patty produz apenas 30. Charlie agora tem a vantagem absoluta em ambos os produtos. Ainda assim, é bom que eles se especializem, porque os dois têm vantagens comparativas distintas e custo de oportunidade distintos. Vamos calcular aqui. Os números continuam os mesmos para Patty, então, eu vou apenas copiar e colar os números aqui. Na verdade, estão aqui, eu nem preciso copiar e colar. Vamos pensar nos números atuais de Charlie agora. Esta daqui é a nova fronteira de possibilidades de produção de Charlie. Talvez, ele tenha feito um investimento em pesquisa e desenvolvimento e conseguiu chegar a essa fronteira de possibilidades de produção incrível, ou seja, sua FPP se expandiu. Qual seria o custo de oportunidade agora? Se estiver aqui, produzindo 40 xícaras, qual seria o custo de oportunidade para produzir 40 pratos? Ele teria que abrir mão de produzir 40 xícaras, seu custo de oportunidade para produzir 40 pratos é igual a 40 xícaras. Ou, se dividirmos os dois lados por 40, o custo de oportunidade para produzir 1 prato é igual a 1 xícara. O cálculo ficou claro, o custo de oportunidade para produzir 1 xícara é igual a 1 prato. Agora, como já falamos antes, Charlie tem a vantagem absoluta em ambos os produtos, já que consegue produzir mais deles. Na vantagem absoluta, nós levamos em consideração a quantidade de entradas usadas para saber quem é mais produtivo. Agora, sobre a vantagem comparativa. No caso dos pratos, quem teria o menor custo de oportunidade para produzir 1 prato? O da Patty não mudou, certo? Para ela, o custo para produzir 1 prato continua sendo 1/3 de 1 xícara. Para Charlie, no entanto, o custo de oportunidade de 1 prato melhorou, mas ainda não superou o da Patty. Ele paga, com 1 xícara, a produção de cada prato, e ela, só 1/3 de 1 xícara para fazer 1 prato. Patty continua tendo a vantagem comparativa em pratos, mas se pensarmos em xícaras, o custo de oportunidade de Charlie para fazer 1 xícara é 1 prato. Na verdade, ficou até um pouco pior que antes, mas, no final das contas, acaba sendo lucrativo. No geral, ele é mais produtivo, já que agora o seu custo de oportunidade de 1 xícara é igual a 1 prato, e antes era 1/3 de 1 prato. No cenário anterior, ele era menos flexível, por assim dizer, mas o seu custo de oportunidade de 1 xícara ainda é mais baixo que o da Patty. Para ela, o custo de oportunidade de 1 xícara é 3 pratos, e o dele é apenas 1 prato. Por isso, ele tem uma vantagem comparativa em xícaras. Charlie ainda deve se especializar em xícaras, e Patty ainda deve se especializar em pratos. Eu vou te mostrar agora como eles podem obter um resultado que vai além da fronteira de possibilidades de produção do Charlie, e para fazer isso, eu vou te mostrar como eles vão negociar. Charlie vai se especializar em produzir xícaras, ele se dedicará a produzir 40 xícaras ao dia, e a Patty vai se especializar em produzir pratos, ela vai se dedicar a produzir 30 pratos por dia. Como eles podem negociar de uma forma que ambos se beneficiem? Ah, supondo que eles não querem ter só pratos ou só xícaras. Quando trocar custar menos que produzir é melhor trocar. Por exemplo, a Patty produz apenas pratos, seu custo de oportunidade para 1 xícara é igual a 3 pratos. Ela tem interesse em adquirir xícaras que custem menos que 3 pratos, pois, para fabricar as xícaras, ela teria que abrir mão de 3 pratos por cada xícara. Então, vamos dizer que ela aceite negociar, a Patty estaria disposta a negociar pratos por xícaras, e ela estaria disposta a trocar 2 pratos por 1 xícara. É algo que convém para ela, porque se tiver que fabrica essas xícaras ela teria que abrir mão de 3 pratos, ela teria que abrir mão de 3 pratos por cada xícara. Então, nesse cenário é melhor trocar 2 pratos por 1 xícara. Agora vamos ver se Charlie aceitaria trocar 2 pratos por 1 xícara. Ele tem várias xícaras. Quantas xícaras ele trocaria por 1 prato? Aqui, ele teria que entregar 1 xícara por cada prato. Agora, ele tem que entregar 1 xícara por 2 pratos, ou 1/2 xícara por 1 prato. De qualquer forma, é melhor que pagar o custo de oportunidade na produção de pratos. Ele quer trocar 2 pratos por 1 xícara, ou 1 xícara por 2 pratos. Como isso poderia ser ainda melhor? Ele teria 40 xícaras se trocasse uma delas, aliás, vamos montar um cenário em que ele negocia 10 xícaras. Ele poderia trocar 20 xícaras, mas seria um exemplo ruim, porque a Patty não teria o suficiente, tudo bem? Então, vamos dizer que ele queira negociar 10 xícaras. Então, nesse novo cenário aqui, Charlie troca 10 xícaras por 20 pratos, ele entrega 10 xícaras e recebe 20 pratos. Nesse cenário, ele conseguiu atingir algo além do alcance quando ele trabalhava sozinho e não tinha uma especialização nem ganhos com o comércio, então, podemos dizer que ele está em uma ótima posição com resultados que antes eram inatingíveis. Dependendo da forma que negociar, ele pode ter ótimos resultados. Só até certo ponto, porque Patty tem apenas 30 unidades, ele poderia negociar, no máximo, até o total da Patty, e atingiria um ponto ao longo desta reta. Calcule, nesse mesmo cenário, em que Patty troca 20 pratos por 10 xícaras. Qual seria o resultado? Ela entregou 20 pratos e ficou com 10, e ela recebeu 10 xícaras, o que a coloca bem aqui. Com isso, ela também conseguiu ir além da fronteira de possibilidades de produção, o que também parece ser uma ótima situação para Patty.