If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Utilidade marginal e utilidade total

Se você tem R$ 5 para gastar em dois bens, como decide gastá-lo? Neste vídeo, usamos os conceitos de utilidade marginal e benefício marginal para decidir qual a melhor forma de alocar um orçamento. Versão original criada por Sal Khan.

Transcrição de vídeo

RKA8JV - Olá! Neste vídeo, eu quero conversar um pouco sobre um conceito que nós já vimos várias e várias vezes em outros vídeos, que é a ideia de utilidade, que é realmente apenas uma maneira de dizer quanto benefício, ou satisfação, ou valor que você ganha ao obter um bem ou um serviço. Mas a perspectiva que nós vamos tomar aqui neste vídeo vai ser um pouco diferente. Nos outros vídeos, quando eu estava medindo o benefício ou o valor, nós medimos em termos de reais, certo? Ou seja, em termos de uma moeda. "Olha, o benefício de obter um Honda Civic foi de R$ 5.000,00." Claro, quando nós falamos lá do início sobre a fronteira de possibilidades de produção, nós falamos sobre o benefício marginal para obter um outro coelho, e nós não falamos isso em termos reais, nós falamos isso em termos de frutas, nós falamos sobre isso em termos de um outro bem ou serviço. O que nós vamos fazer neste vídeo é pensar a respeito disso em termos absolutos, nós vamos parar para pensar em alguma maneira arbitrária de medir a utilidade e em seguida, vamos atribuir valores a isso. Por exemplo, qual é o valor de obter uma barra de chocolate? Depois, qual o valor que damos para a próxima barra de chocolate? E em seguida, para a terceira barra de chocolate, e assim sucessivamente. Nós vamos fazer a mesma coisa a respeito de frutas, e a partir disso, vamos ver se conseguimos construir algumas coisas, principalmente porque já sabemos sobre as curvas de demanda e como essas coisas vão se relacionar com o preço de outras mercadorias e coisas assim. Em particular, o que nós vamos fazer é nos concentrar na utilidade marginal. Então, obviamente, você poderia ter uma utilidade total. Por exemplo, se eu tiver 4 barras de chocolate, você poderia dizer que a utilidade total seria o que eu estou recebendo por todas as 4 barras. Mas você também poderia pensar a respeito da utilidade marginal, ou seja, a utilidade que eu estou recebendo a partir da próxima barra de chocolate, ou seja, a partir de uma barra de chocolate a mais, ou no próximo grama incremental de fruta. Mas antes de seguir em frente, é importante que eu fale com você, algo que gerou um pouco de confusão para mim quando eu aprendi sobre isso. É que agora, neste vídeo, eu estou utilizando a palavra utilidade marginal, e nos outros vídeos eu usei a palavra benefício marginal, e elas parecem ser bem semelhantes. Na verdade, eu até usei a palavra benefício quando eu defini a palavra utilidade. Mas como essas duas coisas são diferentes? Bem, a resposta é simples. Conceitualmente elas não são, conceitualmente elas são a mesma coisa, a diferença está na forma que essas palavras tendem a ser utilizadas no contexto da microeconomia tradicional. Então, quando as pessoas falam sobre a utilidade elas tendem a medi-la em termos de algum tipo de medida absoluta. Sendo assim, você pode ver a unidade de utilidade como sendo algum tipo de unidade de satisfação, enquanto que, quando falamos de benefício marginal, nós tendemos a medir esse benefício marginal em termos de reais ou em termos de algum outro bem. Mas só te falar um detalhe, eu já vi esses dois termos sendo utilizados de qualquer maneira, então, por isso que eles realmente significam a mesma coisa. Mas, neste vídeo aqui nós vamos utilizar a ideia de utilidade, tudo bem? E com isso, vamos chegar a uma escala de medição, que vai ser algo um pouco arbitrário. Nós vamos usar isso para chegar, com algumas conclusões, sobre a cesta de bens que algumas pessoas podem comprar dependendo da diferença de preços. Como você pode imaginar aqui, eu já escrevi essas coisas aqui na tela. Nós vamos falar sobre as barras de chocolate e também sobre as frutas, e aqui mesmo eu vou te mostrar a utilidade marginal para conseguir 1 elemento a mais. No caso das barras de chocolate, cada barra a mais, e no caso das frutas, cada quilograma a mais. Uma coisa interessante que eu tenho que falar é que se eu não tenho nenhuma barra de chocolate, a utilidade marginal para eu conseguir uma barra a mais é igual a 100. Olha, eu não estou dizendo que seja R$ 100,00, só estou dizendo que é um valor arbitrário igual a 100. O que importa não é que seja 100.000 ou 1.000.000, o importante é como que isso vai se comparar com os outros valores. Assim por exemplo, se eu digo que isso daqui é 100, e se eu digo que eu gosto muito de frutas, 1 kg de frutas é 20% a mais do que isso, minha primeira fruta é 20% a mais. Então, eu teria que dizer que a minha utilidade marginal, do meu primeiro quilograma de frutas é de 120. É isso que a gente tem escrito bem aqui. Em seguida, este aqui vai ser igual a 80. Olha, eu poderia ter definido este aqui como 1.000 e este aqui seria 800, e este aqui 1200. Eu poderia ter definido isto daqui como 10, isto aqui seria 8 e isto aqui seria 12. O que importa é que estes valores mantenham as mesmas relações entre si, e que isso realmente vai refletir as minhas preferências reais. Então, vamos pensar um pouco a respeito disso. Minha primeira barra de chocolate, eu estou muito animado, eu vou dizer que é 100. A próxima barra de chocolate, eu já não estou mais tão animado sobre isso, já que já tinha um pouco de chocolate, meu desejo já foi saciado até certo ponto, mas eu ainda quero chocolate, então, eu vou dar um valor aqui igual a 80. Poderíamos chamá-lo de 80 unidades de satisfação, ou como você quiser chamar. Então, a primeira barra de chocolate depois disso, eu já estou começando a ficar bem gordo e bem satisfeito, mas eu ainda não recebi o máximo de benefício do chocolate. Finalmente, se você me der uma outra barra de chocolate, vai ter um valor ainda menor. Se fôssemos listar uma quinta barra de chocolate, eu poderia não querer esse chocolate todo, então, a utilidade marginal talvez seja igual a zero, talvez, a sexta barra de chocolate, de alguma forma, eu até queira me livrar dela, porque já comi tanto chocolate que já estou cansado dessas barras. É possível que, nesse caso, tenha uma utilidade marginal negativa, e nós poderemos pensar da mesma forma com as frutas. O primeiro quilograma de frutas, eu estou muito animado em comer frutas, eu tenho um desejo muito grande de comer frutas. Como visto aqui, eu gosto até mais de frutas do que de chocolate, pelo menos, assim, da primeira barra de chocolate, eu gosto 20% a mais. Então, por isso que eu tenho este valor igual a 120 aqui. Você poderia chamar de benefício marginal ou utilidade marginal, ou qualquer outra unidade arbitrária que você quiser chamar. O próximo quilograma de frutas, mais uma vez, eu tendo a diminuir a utilidade do próximo quilograma de frutas, diminuindo o benefício que eu vou obter em conseguir mais quilogramas de frutas. Agora, uma coisa que é importante perceber é que esta utilidade marginal não é a utilidade total, esta é a utilidade que estou recebendo de cada quilograma a mais, e é positivo porque eu estou gostando de cada vez mais fruta, eu só estou gostando um pouco menos que o quilograma anterior. Para entender o que a utilidade total é, se eu fosse ter 2 kg de frutas, eu teria 120 de utilidade do primeiro quilograma de fruta, e aí eu teria 100 com o segundo quilograma. Assim, eu diria que eu tenho uma utilidade total e igual a 220. Nós teríamos aqui 220 de unidade de alguma coisa. Mas com as informações que eu dei aqui, existem algumas coisas que eu preciso dizer para você. Olhe aqui para o primeiro quilograma de frutas. Eu gosto 20% a mais do que eu gosto da minha primeira barra de chocolate. Você pode também dizer que eu gosto menos da minha segunda barra de chocolate do que eu gosto da minha primeira barra. Este número, 20% menor, ainda é um número bom, mas todas estas informações ainda não te diz exatamente como que você vai gastar o seu dinheiro. Você poderia dizer que obviamente você não quer apenas comprar frutas ou barras de chocolate. Bem, na verdade você até pode, mas isso depende de quanto essa fruta na verdade custa. Olhando para isto aqui sozinho, nós podemos apenas fazer julgamentos relativos sobre o quanto nós preferimos cada barra a mais ou cada quilograma de fruta a mais, ou eles relativamente uns aos outros. Mas isso realmente não diz como vamos gastar o nosso dinheiro real. Então, vamos pensar um pouco sobre algumas coisas. Vamos colocar alguns preços em alguns desses produtos e pensar sobre como nós realmente gastaríamos o nosso dinheiro, dado, claro, essas utilidades de marginais aqui. Vamos dizer só por exemplo, que uma barra de chocolate custe R$ 1,00, e vamos dizer que 1 kg de fruta seja igual a R$ 2,00. Portanto, isto aqui vai ser por quilograma e isto daqui vai ser por barra. Nós vamos pensar um pouco aqui sobre esta utilidade marginal para esta barra de chocolate a mais pelo preço de obter uma barra de chocolate a mais. Neste caso aqui, o preço vai ser igual a R$ 1,00. Então, para obter a primeira barra eu vou gastar R$ 1,00 e eu estou obtendo 100 de utilidade marginal, ou o que você quiser chamar. Então, eu estou recebendo 100 de utilidade marginal para este R$ 1,00. Aqui é a mesma lógica, eu estou obtendo 80 pontos de utilidade marginal por R$ 1,00. Essa matemática é muito simples. Aqui eu obtenho 60 pontos de utilidade marginal por R$ 1,00 e aqui 40, de modo que já não parece muito interessante. Pode ser um pouco mais interessante aqui. Qual é a utilidade marginal por 1 kg de fruta a mais que eu estou recebendo por R$ 1,00? Ou melhor dizendo, por preço de fruta a mais aqui. Aqui, quando eu obtenho o primeiro quilograma de fruta, eu estou recebendo 120 pontos de utilidade marginal, mas eu pago R$ 2,00 por isso. Então, 120, deixe-me escrever aqui. Assim que eu recebo o primeiro quilograma de fruta, a utilidade marginal para esse primeiro quilograma é igual a 120, e o preço para obter esse primeiro quilograma de frutas é igual a R$ 2,00. Então, eu estou obtendo 60 pontos de utilidade marginal por R$ 1,00. Aqui, são 100 pontos de utilidade marginal, mas eu estou gastando R$ 2,00, então são 50 pontos por real. Isto aqui 25 pontos por cada R$ 1,00, e aqui 10 pontos por R$ 1,00. Bem, isto aqui torna as coisas um pouco mais interessantes. Se eu tivesse R$ 5,00 para gastar, como eu gastaria esses R$ 5,00? Bem, uma coisa que você tem que pensar é: onde você está recebendo o máximo de satisfação para cada R$ 1,00? Onde você vai obter o máximo de seus investimentos? Onde você deve gastar o seu primeiro real? Bem, vamos pensar um pouco. Para gastar o seu primeiro real, onde você vai obter o máximo de satisfação por esse R$ 1,00? A gente tem o máximo de satisfação desse R$ 1,00 aqui, não é? Aqui nós recebemos 100 unidades de satisfação por R$ 1,00. Por mais que eu goste de frutas, eu vou ficar menos satisfeito por real aqui. Neste caso aqui, eu recebo menos satisfação para o meu dinheiro, então, com o meu primeiro R$ 1,00 eu vou comprar uma barra chocolate. Agora, onde a gente deve gastar o nosso segundo real? Mais uma vez, nós vamos olhar para todas as opções aqui, e vamos supor que eu vou gastar os meus R$ 5,00 em qualquer um desses dois produtos apenas. Isso, para limitar o nosso universo. Mais uma vez, eu quero maximizar o meu dinheiro, então, neste caso aqui, eu vou receber 80 pontos de satisfação, ou 80 pontos de utilidade marginal por R$ 1,00, e aqui eu só recebo 60. Então, novamente, eu vou comprar uma barra de chocolate, eu vou comprar minha segunda barra de chocolate. Vamos continuar. Onde eu devo gastar agora o meu terceiro real? Bem, aqui, as coisas ficam um pouco mais interessantes. Eu poderia pegar esse meu terceiro real, gastar aqui, e obter 60 pontos de satisfação por R$ 1,00, ou também gastá-lo aqui, obtendo também 60 pontos por esse R$ 1,00. Assim, eu vou obter exatamente a mesma coisa. Há dois 60 pontos por real aqui, então, é uma coisa aqui que nós somos neutros. Bem já que eu vou obter a mesma satisfação pelo mesmo dinheiro, eu posso gastar tanto com a barra de chocolate quanto com a fruta. Então, só para simplificar as coisas, vamos dizer que eu vou comprar outra barra de chocolate. Novamente, eu poderia ter comprado a fruta também, tudo bem? Mas eu escolhi comprar a barra de chocolate. Então, agora, eu já gastei R$ 3,00 e comprei 3 barras de chocolate. Onde, agora, que eu devo gastar o meu quarto real? E agora com esse quarto real eu não vou gastar em outra barra de chocolate, porque eu vou obter apenas 40 unidades de satisfação por real ali. Dessa vez, eu vou gastar em frutas. Eu poderia pegar aqui esse R$ 1,00 e comprar 1/2 kg de frutas. E eu posso conseguir, tudo bem? Assim, eu vou comprar 1/2 kg de fruta, porque, como sabemos, 1 kg de fruta é igual a R$ 2,00. Eu também poderia usar o meu quinto real fazendo isso. Você pode imaginar que nós estamos gastando aqui, R$ 2,00 para obter 1 kg de frutas. Pensando dessa forma também dá certo, já que para cada 1/2 kg de frutas aqui, a gente está obtendo 60 pontos de utilidade para cada R$ 1,00 que nós gastamos. Dessa forma, nós recebemos a melhor satisfação para o que gastamos em dinheiro. O que foi útil sobre este vídeo, é que a gente pensou sobre o nível de satisfação que cada uma dessas coisas dá para a gente sem pensar, necessariamente, no dinheiro que gastamos nisso. Somente depois que nós pensamos racionalmente através do gasto que nós vamos ter em dinheiro. No caso em que a barra de chocolate custa R$ 1,00 e 1 kg de frutas custa R$ 2,00, decidimos comprar 3 barras de chocolate e apenas 1 kg de frutas.