If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Elasticidade a longo e a curto prazo

A elasticidade da oferta ou da demanda pode variar de acordo com a duração de tempo com a qual você lida.

Pontos Principais

  • No mercado de bens e serviços, a quantidade ofertada e a quantidade demandada muitas vezes são relativamente lentas para reagir às mudanças de preço no curto prazo, mas elas reagem mais substancialmente no longo prazo.
  • Como resultado, a demanda e a oferta frequentemente—mas não sempre—tendem a ser relativamente inelásticas no curto prazo e relativamente elásticas no longo prazo.

Impacto de longo prazo vs. curto prazo

Muitas vezes as elasticidades são mais baixas no curto prazo do que no longo prazo.
Mudanças que simplesmente não são possíveis de serem realizadas em um curto espaço de tempo são realizáveis em um período de tempo maior. Do lado da demanda, isso pode significar que os consumidores eventualmente fazem escolhas de estilo de vida—como comprar um carro mais econômico para reduzir seu consumo de combustível. E do lado da oferta, isso significa que os produtores têm tempo para fazer coisas como construir novas fábricas e contratar novos trabalhadores.

Elasticidade da procura a longo prazo e curto prazo

Às vezes pode ser difícil mudar a demanda start text, Q, d, end text no curto prazo, mas é muito mais fácil no longo prazo.
Por exemplo, vejamos o consumo de energia. No curto prazo, não é fácil fazer mudanças substanciais no consumo de energia. Talvez você possa ocasionalmente ir de carona ao trabalho ou ajustar o termostato de sua casa em alguns graus caso o custo da energia aumente, mas isso é tudo o que você pode fazer. No longo prazo, no entanto, você pode adquirir um carro que faça mais quilômetros por litro, escolher um trabalho que seja mais perto de onde você mora, comprar eletrodomésticos de uso mais eficiente de energia ou instalar mais isolamento em sua casa. Como resultado, a elasticidade da demanda por energia é de alguma forma inelástica no curto prazo, mas muito mais elástica no longo prazo.
O gráfico abaixo é um exemplo, mais ou menos baseado na experiência histórica, da resposta de start text, Q, d, end text às mudanças de preço do petróleo bruto. Em 1973, o preço do petróleo bruto era de $12 por barril e o consumo total na economia dos EUA era de 17 milhões de barris por dia. Naquele ano, as nações que eram membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, a OPEP, cortaram as exportações de petróleo para os Estados Unidos por seis meses porque os membros árabes da OPEP discordavam do apoio dos EUA a Israel. A OPEP não retornou aos seus níveis anteriores de exportações até 1975—uma política que pode ser interpretada como um deslocamento da curva de oferta para a esquerda no mercado de petróleo dos EUA.
Dois gráficos mostram que uma curva de demanda inelástica significa que uma mudança na oferta afetará principalmente o preço e que uma curva de demanda elástica significa que uma mudança na oferta afetará principalmente a quantidade.
Crédito da imagem: Figura 4 em "Elasticity and Pricing" por OpenStaxCollege, CC BY 4.0
O gráfico A e o gráfico B acima mostram o mesmo ponto de equilíbrio original e o mesmo deslocamento idêntico de uma curva de oferta para a esquerda de start text, S, 0, end text para start text, S, 1, end text.
O gráfico A mostra a demanda inelástica de petróleo no curto prazo, semelhante àquela que existia para os Estados Unidos em 1973. O novo equilíbrio, start text, E, 1, end text, ocorre a um preço de $25 por barril—aproximadamente o dobro do preço antes do choque da OPEP—e uma quantidade de equilíbrio de 16 milhões de barris por dia.
O gráfico B mostra qual teria sido o resultado se a demanda dos EUA por petróleo tivesse sido mais elástica, um resultado mais provável no longo prazo. Esse equilíbrio alternativo start text, E, 1, end text teria resultado em um aumento de preços menor para $14 por barril e maior redução na quantidade de equilíbrio para 13 milhões de barris por dia.
Em 1983, por exemplo, o consumo de petróleo nos EUA era de 15,3 milhões de barris por dia, o que era menor do que em 1973 ou 1975. O consumo de petróleo dos EUA caiu, mesmo com a economia americana sendo cerca de um quarto maior em 1983 do que em 1973. A principal razão para a menor quantidade foi que os maiores preços de energia estimularam os esforços de conservação e, após uma década de isolamento domiciliar, carros mais eficientes em termos de consumo de combustível, aparelhos e máquinas mais eficientes e outras escolhas que economizavam combustível, a curva de demanda por energia tinha se tornado mais elástica.

Elasticidade da oferta a longo prazo e curto prazo

Do lado da oferta dos mercados, os produtores de bens e serviços normalmente acham mais fácil expandir a produção no longo prazo de vários anos do que no curto prazo de alguns meses. Afinal, no curto prazo pode ser caro ou difícil construir uma nova fábrica, contratar muitos novos trabalhadores ou abrir novas lojas. Mas ao longo de alguns anos, todas essas coisas são possíveis.
De fato, na maioria dos mercados de bens e serviços, os preços sobem e descem mais do que as quantidades no curto prazo, mas as quantidades muitas vezes se movem mais do que os preços no longo prazo. A razão subjacente a este padrão é que a oferta e a procura são muitas vezes inelásticas no curto prazo, de modo que as mudanças tanto na procura como na oferta podem causar uma mudança relativamente maior nos preços. Mas—como a oferta e a demanda são mais elásticas no longo prazo—os movimentos de longo prazo nos preços são mais discretos e a quantidade se ajusta mais facilmente.

Pergunta de revisão

Você normalmente esperaria que a elasticidade da demanda ou da oferta fosse maior no curto prazo ou no longo prazo? Por quê?