If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Eficiência alocativa e benefício marginal

Utilidade marginal e maximização. Versão original criada por Sal Khan.

Transcrição de vídeo

RKA8JV - Agora já gastamos muito tempo pensando sobre estes seis diferentes cenários. Cada um deles inserido na fronteira de possibilidades de produção, o que significa que em cada um destes cenários conquistamos a eficiência produtiva, e isso é verdade não apenas nesses cenários, é verdade para cada um dos pontos aqui nesta curva. Outra forma de pensar sobre isso, é que se você estiver sobre qualquer ponto aqui na curva, se você quiser mais de alguma coisa, você terá que abrir mão de outra. Então, por exemplo, vamos supor que você esteja no ponto "C" e você quer mais coelhos. Se você quer mais coelhos, você terá que desistir de algumas frutas, ou, se você estiver no ponto "C" e quiser mais frutas você terá que abrir mão de alguns coelhos. Isso é verdade para qualquer ponto aqui na fronteira de possibilidades de produção. Vamos supor que a gente tenha este ponto aqui. Este ponto não atingiu a eficiência produtiva, porque você ainda pode pegar mais coelhos sem abrir mão de algumas frutas, sem abrir mão de nenhuma fruta, e com isso, você chegaria ao cenário "B". Ou ainda, você poderia pegar mais frutas e não abrir mão de nenhum coelho, e assim você chegaria ao cenário "D". Então podemos dizer que este ponto aqui é ineficiente. Agora, todos estes aqui são bons, todos esses 6 cenários atingiram a eficiência produtiva. Bem, mas qual deles nós escolheremos? Como decidiremos alocar o nosso tempo? Esse é o assunto deste vídeo. O que eu quero falar aqui é sobre a eficiência da alocação, e isso é algo bem subjetivo, tudo bem? É baseado nas preferências, é baseado na ideia de que, ou somos caçadores ou somos coletores. Então isso nos dá uma base para pensar: qual desses pontos atende melhor as suas preferências? Para fazer isso, deixa eu revisar um pouquinho o que eu já falei no último vídeo. Nesse vídeo, nós falamos sobre o custo marginal de cada coelho a mais, eu falei inclusive sobre o custo de oportunidade de cada coelho adicional e o custo de oportunidade de cada unidade adicional, que é, na verdade, o custo marginal. Por isso, vamos escrever esses diferentes cenários. Esses cenários aqui são, deixa eu escrever os 2 cenários, cenário, e vamos pensar sobre o custo marginal de um coelho adicional. Eu acabei de desenhar o coelho aqui, de um coelho adicional. Isso será dado em frutas. Ok, vamos começar com o cenário "F". No cenário "F", se quisermos 1 coelho a mais, nós teremos que abrir mão de 20 frutas. Já no cenário "E", se estivermos no ponto "E" e quisermos ainda mais 1 coelho, ou seja, 1 coelho a mais, nós teremos que abrir mão de 40 frutas, então, o custo marginal neste ponto, de 1 coelho a mais, são 40 frutas. Bem, agora vamos ao cenário "D". Ah, na verdade, eu quero você pause esse vídeo e tente fazer isso por você mesmo, tá? Eu acho que isso vai te dar um entendimento muito bom a respeito dessas ideias. Ok! E aí, conseguiu? Vamos continuar aqui agora. Vamos ao cenário "D". O custo de 1 coelho a mais é agora 60 frutas. Quando a gente for para o cenário "C", o custo agora são 80 frutas. Finalmente, indo ao cenário "B", para conseguir 1 coelho a mais, nós precisamos abrir mão de 100 frutas. Eu nem chegarei ao cenário "A", porque será impossível você ter mais algum coelho, você não vai ter mais frutas para abrir mão. Então, esses são todos os cenários disponíveis e o custo marginal deles, e nós podemos plotar uma linha com eles. Então, deixe-me fazer isso aqui. Isso será muito útil. Deixe-me desenhar esse eixo bem aqui. Então, deixe-me fazer isto aqui na mesma ordem, vamos chamar esse cenário aqui de "F", cenário "E", cenário "D'', cenário "C" e cenário "B". Tá, na verdade, ao invés de falar deste jeito deixe-me falar em relação ao número de coelhos que eu tenho. No cenário "F", se você se lembra, você tem zero coelhos, então, aqui nós vamos ter zero, 1, 2, 3, 4 e 5. Então estes são o número de coelhos, o número de coelhos que você consegue capturar em média por dia. Agora, o que eu quero é colocar o custo marginal, o custo marginal em frutas. Vamos ver, vai de 20 até 100, então, vamos dizer que isto aqui é 20, 40, 60, 80 e 100. No cenário "F", no qual temos zero coelhos, o custo marginal para pegarmos o outro coelho é você ter que abrir mão de 20 frutas, então, esse é o cenário "F". O cenário "E" é aquele no qual tínhamos 1 coelho e nós estamos pensando sobre o custo marginal de conseguir mais um, esse é o cenário "E", está bem aqui. Esse aqui é o cenário "D", o custo marginal é 60, nós já temos 2 coelhos e estamos pensando sobre o fato de conseguir um terceiro coelho, e isso é o cenário "D". Agora, o cenário "C", nós já temos 3 coelhos estamos pensando em ter um quarto, esse é o cenário "C". E finalmente, nós temos o cenário "B", onde nós já temos 4 coelhos e estamos pensando em ter um quinto coelho. Para isso, nós teríamos que abrir mão de 100 frutas para conseguir este quinto coelho, esse é o cenário "B" aqui. Bem, o que eu acabei de fazer foi plotar o custo marginal, assim, são estes pontos na nossa curva de custo marginal. O nosso custo marginal é uma função do número de coelhos que nós temos. Deixa eu conectar todos os pontos aqui. Acabou que nesse cenário a gente acabou chegando a uma reta, mas nem sempre nós vamos ter uma reta. Mas em muitos cursos de introdução à Economia, é muitas vezes usado uma linha para simplificar. Este é o nosso custo marginal como uma função do número de coelhos que nós temos. Então, eu vou colocar aqui, porque isso realmente deveria estar no ponto zero, bem aqui, e ignorar aquela pequena linha. Bem, agora nós temos aqui o custo marginal como uma função de frutas. Mas ainda não sabemos qual cenário escolher. Para pensar sobre isso, eu quero introduzir uma coisa chamada de benefício marginal. Ah, eu vou escrever apenas como "B.M", tudo bem? O benefício marginal. O benefício marginal de 1 coelho adicional, e mais uma vez, nós vamos escrever isso em frutas. O jeito de pensar sobre o benefício marginal é como se nós fôssemos o caçador-coletor. Quando nós estamos pensando em um desses cenários, nós estamos pensando em quanto que pagaríamos para uma loja de conveniência de frutas hipotéticas. Talvez a loja de conveniência venda somente coelhos e eles aceitam somente frutas como forma de pagamento. Quanto que nós pagaríamos para eles, em frutas, por 1 coelho a mais? E não vamos nem olhar para isto aqui, nós estamos no cenário "F", e você se lembra que o cenário "F" está bem ali. Nós não temos nenhum coelho, quanto nós estamos dispostos a pagar por isso? Ou seja, nós não temos nenhum coelho e temos um monte de frutas, já que no cenário "F" nós não temos coelhos e temos 300 frutas. Se nós não temos nenhum coelho e temos um monte de frutas, e caso a gente esteja com vontade de ter um coelho, nós estamos dispostos a pagar um monte de frutas por 1 coelho. Então, vamos dizer que pagamos 100 frutas para essa loja de conveniência hipotética, por 1 coelho. Então, vamos dizer que para comprar um coelho dessa loja de conveniência hipotética, nós pagamos 100 frutas. Agora, vamos dizer que estamos no cenário "E". Quanto que nós pagaríamos para essa loja hipotética? Bem, no cenário "E" nós já temos 1 coelho e temos menos frutas, e aí, acontece que precisamos de 1 coelho a mais, só que temos menos frutas para dar, então, não estamos dispostos a dar tantas frutas por outro coelho. Talvez, nós daremos apenas 80 frutas. Agora vamos para o cenário "D". Nós já temos 2 coelhos e temos ainda menos frutas disponíveis, por isso, estamos dispostos a dar ainda menos frutas por outro coelho. Isto é o que nós pagaremos a uma loja de conveniência, baseado nas nossas preferências atuais. Aí nós podemos ir até o cenário "C". Isso é subjetivo. Não é uma coisa muito mensurável, é baseado na preferência dessa pessoa, as preferências deste caçador-coletor. Vamos aqui ver o cenário "C". Já temos mais coelhos e ainda menos frutas, então, vamos estar dispostos a pagar ainda menos. Finalmente no cenário "B", que já temos uma boa quantidade de coelhos e quase nenhuma fruta, estaremos dispostos a pagar muito pouco por 1 coelho a mais. Bem, sabendo dessas ideias, vamos plotar aqui o benefício marginal como uma função do número de coelhos que já possuímos. Se a gente for ao cenário "F", o benefício marginal, fazendo este pequeno experimento, são 100 frutas. No cenário "E", o benefício marginal, ou seja, quanto você estaria disposto, hipoteticamente, a pagar em frutas? Agora são 80 frutas. No cenário "D" são 60 frutas, no cenário "C" são 40 frutas, então, cenário "C" bem aqui, e o cenário "C" são 40 frutas. No cenário "B" são 20 frutas, bem desse jeito. Bem, não estamos apenas plotando aqui o custo marginal, nós estamos plotando o custo marginal e o benefício marginal em frutas. A curva de benefício marginal é realmente uma reta aqui, mas isso novamente, foi feito pela simplicidade. Nem sempre é uma reta. Agora já temos aqui uma curva de benefício marginal, uma curva que está esboçada em função do número de coelhos que nós já temos, e aqui o custo marginal, também plotado aqui como uma função do número de coelhos que já temos. Então, quando eu digo "E", isto aqui é a situação "E", essa aquei é a situação "D", aqui é a "C", e este aqui é o benefício marginal da situação "B". Dado isso, o que eu faria racionalmente? Estas são realmente minhas preferências, então, o que eu faria racionalmente? Se eu estou aqui na situação "F" e não tenho coelhos, eu já sei que me custariam 20 frutas para tentar ter mais 1. Mas eu já disse que estaria disposto a pagar 100, eu estou disposto a pagar 100 frutas para ter 1 coelho a mais, então, o que eu gostaria era de me mover ao longo da curva. Então, eu definitivamente iria querer ter mais coelhos, eu disse que estaria disposto a pagar 100 frutas por 1 coelho e isso ia me custar somente 20 frutas para ter 1 coelho a mais, então, definitivamente eu estou dizendo que eu quero mais coelhos. Então, uma outra maneira de olhar para isto visivelmente, é que o benefício marginal é muito maior que o custo marginal aqui, então, eu iria prosseguir e tentar ter mais coelhos. Isso ainda é verdade no cenário "E". O benefício marginal de 1 coelho a mais vale muito mais que o custo marginal para mim, então, eu estou disposto a ter mais coelhos. Bem, eu ainda quero me mover ao longo da fronteira de possibilidades de produção nesta direção aqui. Agora, o que acontece quando eu estou aqui? O que acontece quando estou perto de "D"? Se eu estiver nesse cenário aqui, esse não é um dos meus cenários nomeados, tá? Mas eu estou bem aqui. O meu custo marginal continua sendo menor que o meu benefício marginal, por isso, eu ainda que quero ter mais coelhos. Por todo o caminho eu posso pensar dessa forma até o cenário "D". Agora, no cenário "D", eu já um pouco mais neutro, eu quero pagar 60 frutas por 1 coelho, mas isso é exatamente o quanto eu abriria mão para ter 1 coelho a mais. Vamos pensar então um pouco sobre esse cenário "D" por um instante. Por isso que eu acabei de circulá-lo aqui. Vamos fazer qualquer coisa além do cenário "D". Então, se eu estou nesse ponto aqui, se eu estou trabalhando o suficiente para conseguir 2,5 coelhos por dia, isso faria sentido para mim? Faria sentido para mim, tentar obter mais algum coelho? Neste ponto, o benefício de um coelho a mais é menor que o custo de 1 coelho. Neste ponto, se eu tentar conseguir outro coelho, eu estou ganhando menos benefício do que o custo associado a isso, então, definitivamente eu não quero passar do ponto "D", eu alcancei a eficiência alocativa, onde o meu custo marginal e o meu benefício marginal são iguais. Assim, com base na maneira de eu que manipulei os números neste exemplo aqui, você vai querer ficar no cenário "D", porque nós atingimos a eficiência alocativa neste ponto. O custo marginal como uma função de coelhos é igual ao benefício marginal em função de coelhos.