If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Pinturas da capela-túmulo de Nebamun

Os fragmentos dos afrescos da capela túmulo de Nebamun são vinhetas vivamente observadas de Nebamun e sua família se divertindo com trabalho e lazer. Alguns tratam do provimento do culto funerário que foi celebrado na capela túmulo, alguns mostram cenas da vida de Nebamun como funcionário da elite, e outros o mostram com sua família desfrutando da vida por toda a eternidade, como na famosa cena da caça em família nos pântanos. Juntos eles decoravam a pequena capela túmulo com imagens vibrantes e atraentes do estilo de vida que Nebamun esperava que fosse continuar após a morte.

Caçando nos pântanos

Nebamun caçando aves nos pântanos, Capela Tùmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, 83 x 98 cm, Tebas
© Curadoria do Museu Britânico
Acima, Nebamun é mostrado caçando pássaros, num pequeno barco com sua mulher Hatshepsut e de sua jovem filha nos pântanos do Nilo. Tais cenas já eram peças tradicionais da decoração de capelas túmulo por centenas de anos e mostram o falecido proprietário do túmulo "se divertindo e apreciando a beleza," como diz aqui a legenda hieroglífica.
Isso é mais do que uma simples imagem de recreação. Pântanos férteis eram vistos como um lugar de renascimento e erotismo. Caçar animais podia representar o triunfo de Nebamun sobre as forças da natureza ao renascer. A formidável figura de Nebamun caminhando domina, para sempre feliz e jovem, envolta pela rica e diversificada vida do pântano.
Havia originalmente outra metade da cena, que mostrava Nebamun arpoando peixes. Esta metade do mural foi perdida, exceto por duas fotos antigas pequenos fragmentos de Nebamun e seu jovem filho. Os pintores souberam capturar a característica escamosa e o brilhante do peixe.
Gato capturando aves na touceira de papiro (detalhe), Caçando Aves nos Pântanos,   Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Um gato castanho captura pássaros entre as hastes de papiro. Os gatos eram animais de estimação, mas aqui ele é mostrado porque um gato também podia representar o Deus-Sol caçando os inimigos da luz e da ordem. Seu olho de um dourado incomum indica os significados religiosos desta cena.
Os artistas preencheram cada espaço com detalhes vívidos. O pântano está cheio de flores de lótus e borboletas-tigre. Elas foram pintadas livre e delicadamente, aludindo ao padrão e à textura das suas asas.

O Jardim de Nebamun

Jardim de Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c.1350 a.C., 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, 64 cm de altura, Tebas, Egito
© Curadoria do Museu Britânico
O jardim de Nebamun no pós vida não é diferente dos jardins terrestres de Egípcios ricos. O lago está cheio de pássaros e peixes, e cercado por bordas de flores e sombrosas fileiras de árvores. As árvores frutíferas incluem figos sicômoros, tamareiras e palmeiras—as tâmaras são mostradas com diferentes graus de amadurecimento.
À direita do lago, uma deusa se inclina de uma árvore e oferece fruta e bebidas a Nebamun (agora perdido). Os artistas acidentalmente pintaram sua pele de vermelho no início, mas depois a repintaram de amarelo, a cor correta para a pele de uma deusa. À esquerda, uma figueira sicômoro fala e saúda Nebamun como o dono do jardim, suas palavras estão registadas em hieróglifos.
Lago (detalhe), Jardim de Nebamun, Capela Tùmulo de Nebamun, c.1350 a.C.,18ª Dinastia, tinta sobre gesso, 64 cm de altura, Tebas, Egito
© Curadoria do Museu Britânico
O lago é mostrado de cima, com três fileiras de árvores dispostas em torno de suas bordas. As ondas do lago foram pintadas com um pigmento azul mais escuro; muito disto foi perdido, como o verde nas árvores e arbustos.

Inspecionando os campos

Inspecionando os campos para Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, 106,x 45 cm, Tebas, Egito
© Curadoria do Museu Britânico
Nebamun era o contador encarregado dos grãos no Grande Templo de Amon em Karnak. Esta cena de sua capela túmulo mostra funcionários inspecionando campos. Um agricultor verifica a delimitação do campo.
Ancião analisando a safra (detalhe), Inspecionando os campos para Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C, 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, fragmento completo: 106 x 45 cm, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Nas proximidades, duas carruagens para o grupo de funcionários esperam sob a sombra de uma figueira sicômora. Outros fragmentos menores deste mural estão agora no Museu Egípcio em Berlim, Alemanha e mostram os grãos sendo colhidos e processados.
O velho fazendeiro é mostrado careca, mal barbeado, pobremente vestido e com um umbigo saliente. Ele está fazendo um juramento dizendo: "Como o Grande Deus que está no céu garante, o marco fronteiriço está exato!"
"O Chefe dos Medidores do Celeiro"  (em grande parte perdido) segura uma corda decorada com a cabeça do carneiro sagrado de Amon para medir os campos de Deus. Depois que Nebamun morreu, a cabeça da corda foi cortada, porém mais tarde, talvez no reinado de Tutancâmon, alguém a restaurou grosseiramente com argila e a redesenhou.

O gado de Nebamun

O gado de Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª dinastia, pintura sobre gesso, 58.x 10 cm, Tebas, Egito © Curadoria do Museu Britânico
Este fragmento é parte de um mural mostrando Nebamun inspecionando bandos de gansos e rebanhos de gado. Hieróglifos descrevem a cena e registram o que os camponeses dizem enquanto discutem na fila. A alternância das cores e os padrões do gado criam uma esplêndida sensação de movimento dos animais.
Gado (detalhe), Gado de Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C. 18ª Dinastia, pintura em gesso, fragmento completo: 58 x 10 cm, Tebas, Egito © Curadoria do Museu Britânico
O pastor está dizendo ao agricultor que está à sua frente na fila:
Por favor! Afaste-se! Não fale na presença de um louvado! Ele detesta pessoas falando …. Passe em silêncio e em ordem … Ele conhece todos os assunto, é o escrivão e contador de grãos de [Amon], Neb[amun].
O nome do Deus Amon foi cortado nesta rubrica onde aparece no nome e título de Nebamun. Logo após a morte de Nebamun, o Rei Aquenáton (1352–1336 a.C.) apagou o nome de Amon dos monumentos como parte de suas reformas religiosas.

Gansos de Nebamun

Gansos de Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, pintura em gesso, 71 x 115 cm, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Essa cena é parte de um mural mostrando Nebamun inspecionando bandos de gansos e manadas de gado. Ele observa os agricultores conduzindo os animais em direção a ele; seus escribas (secretários) anotam o número de animais para seu registro. Hieróglifos descrevem a cena e registram o que os camponeses dizem ao discutirem na fila.
Gansos (detalhe), Gansos de Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, pintura em gesso, fragmento completo: 71 x 115 cm, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Escriba (detalhe), Gansos de Nebamun, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, pintura em gesso, fragmento completo: 115 x 71 cm, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Este escriba tem uma paleta (caixa de penas) debaixo do braço e apresenta um rolo de papiro para Nebamun. Ele está bem vestido e tem pequenas bolsas de gordura em seu estômago, indicando sua posição superior na vida. Ao seu lado estão baús para seus registros e um saco contendo seu equipamento de escrita.
Camponeses se curvam e fazem gestos de respeito diante de Nebamun. O homem por trás deles segura um bastão e lhes diz: "Sentem-se e não falem!" Os gansos do camponês são pintados como um bando enorme e animado, alguns bicando o chão e alguns batendo suas asas.

Uma festa para Nebamun (metade superior)

Uma festa para Nebamun, a metade superior de uma cena da Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C.,  18ª Dinastia, tinta sobre gesso, 88 x 119 cm, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Uma parede inteira da capela túmulo mostrava uma festa em homenagem a Nebamun. Criadas nuas e criados servem seus amigos e parentes. Os hóspedes casados sentam-se aos pares em belas cadeiras, enquanto jovens mulheres se viram e falam uma com as outras. Esta cena erótica de relaxamento e riqueza é algo para Nebamun desfrutar por toda a eternidade. Os convidados ricamente vestidos são entretidos pelos bailarinos e músicos, que se sentam no chão tocando e batendo palmas. As palavras da sua canção em honra de Nebamun estão escritas acima deles:
O deus-terra fez com que
sua beleza geminasse em cada corpo...
os canais estão novamente cheios de água,
e a terra está inundada de amor por ele.
Alguns músicos olham para além das pinturas, mostrando suas faces por inteiro. Isso é bem incomum na arte Egípcia, e dá um senso de vitalidade a essas mulheres da classe inferior, que são desenhadas de maneira menos formal que os convidados abastados. As jovens dançarinas são desenhadas sinuosamente e encontram-se despidas exceto por suas jóias.
Músicos e dançarinas (detalhe), Uma festa para Nebamun, Câmara Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, fragmento completo: 88 x 119 cm, Tebas © Curadoria do Museu Britânico
Uma estante de grandes jarras de vinho está decorada com uvas, vinhas e grinaldas. Muitos dos convidados também vestem grinaldas e cheiram flores de lótus. Todos os convidados vestem elaboradas roupas de linho. Os artistas pintaram o tecido como se ele fosse transparente, para mostrar que ele é muito fino. Estes trajes elegantes e sensuais caem em dobras dos corpos dos convidados.
As peles dos homens e das mulheres são pintadas com cores distintas: os homens são bronzeados e as mulheres são mais pálidas. Em um local do mural os artistas alteraram o desenho destes bancos de madeira e retocaram seu primeiro esboço com tinta branca.

Servos trazendo oferendas

Servos trazendo oferendas, Capela Túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, pintura em gesso, Tebas, Egito
© Curadoria do Museu Britânico
Funcionário trazendo uma lebre dos campos (detalhe), Servos trazendo oferendas, Capela túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, tinta sobre gesso, fragmento completo: 41 cm, Tebas, Egito © Curadoria do Museu Britânico
Um cortejo de servos simplesmente vestidos traz oferendas de alimentos para Nebamun, incluindo feixes de cereais e animais do deserto. Capelas Túmulo eram construídas para que as pessoas pudessem vir e fazer oferendas em memória do morto, e esta é uma cena comum em suas paredes. A borda na parte inferior mostra que esta cena foi a mais baixa nesta parede.
Um servo segura duas lebres do deserto pelas orelhas. Os animais possuem a pele com uma textura magnífica e longos bigodes. A esplêndida execução e composição tornam essa cena corriqueira muito livre e animada .
Os artistas variaram até as roupas simples dos criados. As dobras de cada kilt são diferentes. Com um desses kilts, o artista mudou de ideia e pintou um conjunto diferente de dobras por cima de sua primeira versão, o que é visível através da tinta branca.
Leituras sugeridas:
M. Hooper, The Tomb of Nebamun (London, British Museum Press, 2007).
R. Parkinson, The painted Tomb-chapel of Nebamun (Londres, British Museum Press, 2008).
A. Middleton and K. Uprichard, (eds.), The Nebamun Wall Paintings: Conservation, Scientific Analysis and Display at the British Museum (Londres, Archetype, 2008).

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.