If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Grécia Antiga, uma introdução

Ânfora (jarra de vinho) com figuras negras assinada por Exéquias como oleiro e atribuída a ele como pintor 540-530 a.C. (Museu Britânico)
Aquiles matando a Rainha Amazona Pentesileia, 540-530 a.C., ânfora com figuras negras, assinado por Exéquias como oleiro e atribuída a ele como pintor, 46 cm de altura, Atenas, Grécia © Curadoria do Museu Britânico. Pentesileia levou suas guerreiras Amazonas para ajudar os Troianos a defenderem Troia, mas foi morta em combate por Aquiles, o maior dos guerreiros Gregos.
Os antigos Gregos viviam em muitas terras ao redor do Mar Mediterrâneo, da Turquia ao sul da França. Eles tinham contato próximo com outros povos como os Egípcios, Sírios e Persas. Os Gregos viviam em cidades estado separadas, mas compartilhavam a mesma língua e crenças religiosas.

Idade do Bronze na Grécia

Mapa da Grécia mostrando Micenas
Durante a Idade do Bronze (por volta de 3200 – 1100 a.C.), diversas culturas floresceram nas ilhas de Cíclades, em Creta e na Grécia continental. Eles eram principalmente lavradores, mas o comércio através do mar, particularmente de matérias primas como a obsidiana (vidro vulcânico) e de metais, estava crescendo.
A cultura Micênica prosperou no continente Greco na Idade do Bronze Posterior, de cerca de 1600 a 1100 a.C. O nome provém do sítio arqueológico de Micenas, onde esta cultura foi reconhecida inicialmente após as escavações em 1876 de Heinrich Schliemann.
Tigela de cerâmica decorada com um desfile de cavaleiros em bigas, Micênica, cerca de 1400-1300 a.C., 42 cm de altura, Chipre © Curadoria do Museu Britânico
Vaso de cerâmica com alça decorado com um desfile de cavaleiros em bigas, Micênico, de cerca de 1400-1300 a.C., 42 cm de altura, Chipre, Grécia
© Curadoria do Museu Britânico. A área superior do vaso é pintada com um friso de bigas, puxadas por cavalos alongados, nas quais estão um condutor e um passageiro. Esses desfiles de bigas nos vasos podem ter sido inspirados em pintura em afresco contemporâneas, que decoravam as paredes dos palácios Micênicos.
O período Micênico da Idade do Bronze posterior Grega foi visto pelos Gregos como a "era dos heróis" e fornece talvez o contexto histórico para muitas das histórias contadas na mitologia Grega posterior, incluindo os épicos de Homero. Objetos e obras de arte desse período são encontrados em toda a Grécia continental e nas ilhas Gregas. Cerâmicas tipicamente Micênicas foram amplamente difundidas através do leste do Mediterrâneo. Elas mostram os primórdios da mitologia Grega sendo usados para decorar obras de arte. Eles provêm aproximadamente da mesma época em que os épicos de Homero estavam atingindo a forma na qual nós os herdamos, como o texto literário Grego mais antigo.
O colapso da civilização Micênica por volta de 1100 a.C. trouxe um período de isolamento conhecido como a Idade das Trevas. Mas por volta de 800 a.C. o ressurgimento tinha começado; na medida em que o comércio com o mundo exterior aumentou, as artes, os ofícios e a literatura renasceram e as cidades estado (poleis) se desenvolveram.

O Apolo Strangford, c. 500-490 a.C., 101 cm de altura, provavelmente das ilhas Cíclades, Mar Egeu © Curadoria do Museu Britânico
O Apolo Strangford, c. 500-490 a.C., 101 cm de altura, provavelmente das ilhas Cíclades, Mar Egeu
© Curadoria do Museu Britânico
Período Arcaico
Duas das mais características esculturas em pé a emergiram durante o período Arcaico da arte Grega (aproximadamente 600-480 a.C.) foram estátuas de jovens (kouroi) e moças (korai).
Kouros (a forma singular) é um termo usado para descrever um tipo de estátua de uma figura masculina produzida em mármore durante o período Arcaico da arte Grega. Essas estátuas podem ser colossais (maiores que o normal) ou menores que o normal. Todas elas têm uma pose convencional, onde a cabeça e o corpo podem ser divididos igualmente por uma linha central. e as pernas são separadas com o peso colocado igualmente na frente e atrás. As figuras masculinas, geralmente na forma de jovens nus, eram usadas como lápides e como ofertas votivas, essas talvez com a pretensão de representar ofertante. As figuras femininas das mulheres desempenhavam funções semelhantes, mas diferiam das dos seus homólogos masculinos na medida em que eram elaboradamente vestidas.
A boca é invariavelmente definida com um sorriso, o que provavelmente é uma expressão simbólica da arete ("excelência") da pessoa representada. Era costume pensar que todos os kouroi eram destinados a ser representações do deus Apolo. No entanto, ainda que alguns possam ter a intenção de representar deuses e heróis, muitos eram simplesmente lápides. O kouros não pretendia ser um retrato realista do morto, mas uma representação idealizada dos valores e virtudes que o falecido reivindicava: beleza juvenil, postura atlética e aristocrática, entre outros.

O Período Clássico

Por volta de 500 a.C.  o "governo do povo," ou democracia, emergiu na cidade de Atenas. Em seguida ao malogro de uma invasão Persa em 480-479 a.C., a Grécia continental e Atenas em particular entraram em uma era de ouro. No teatro e na filosofia, na literatura, nas artes e na arquitetura, Atenas era inigualável. O império da cidade se estendeu do Mediterrâneo ocidental até o mar Negro, gerando imensa riqueza. Isso que pagou por um dos maiores projetos públicos de construção já vistos na Grécia, o qual incluía o Partenon.
A Grécia antiga também desempenhou um papel vital na história do início do sistema monetário. Além de fazer algumas das moedas mais antigas do mundo, os Gregos antigos foram os primeiros a usá-las extensivamente no comércio.

Retrato em mármore de Alexandre, o Grande, Grrgo Helenista, século II - I a.C., 37cm de altura, Alexandria, Egito © Curadoria do Museu Britânico
Retrato em mármore de Alexandre, o Grande, Grego Helenista, século II - I a.C., 37cm de altura, Alexandria, Egito © Curadoria do Museu Britânico
Período Helenísta
Após a morte de Alexandre e a divisão de seu império, o período Helenista (323-31 a.C.) viu o poder e a cultura Gregos estendidos pelo Oriente Médio até o Vale do Indo. Quando Roma absorveu o mundo Grego em seu vasto império, as ideias, a arte e a cultura Gregas influenciaram fortemente os Romanos.
Alexandre sempre foi mostrado barbeado, o que era uma novidade: todos os retratos anteriores de estadistas ou governantes Gregos tinham barba. Esse modelo real durou por quase quinhentos anos e quase todos os reis Helenistas e imperadores Romanos até Adriano eram retratados sem barba.
A coleção do Museu Britânico inclui objetos de todas as fases do mundo grego, desde o início da pré-história até o começo do Cristianismo na era Bizantina.
Logo do Museu Britânico
© Curadoria do Museu Britânico

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.