Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Teatro marítimo na Vila Adriana, Tivoli

Teatro marítimo na Vila de Adriana, Tivoli, vila iniciada em 117 d.C.. Conversa com Dr. Bernard Frischer e Dra. Beth Harris. Criado por Beth Harris e Steven Zucker.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

(Música de jazz) Este é um lugar em que ninguém estaria a não ser que fosse muito próximo do imperador. Estamos no chamado Teatro Marítimo, mas este é realmente o santuário de Adriano dentro do enorme complexo de sua vila. É uma versão circular da casa romana. Temos um átrio, com um implúvio. Temos quartos de um lado. Temos um tablino no final do eixo prinicipal. Uma clássica casa romana, mas circular, ao invés de um quadrado ou retângulo. Vou detalhar isso um pouco. Certo. Temos a axialidade de uma casa romana. Sim. Temos uma visão de fora para dentro em direção ao átrio que deveria ser aberto ao céu e coletaria água no implúvio abaixo, por um telhado inclinado ou complúvio. Então, na parte de trás um tablino, um escritório ou espaço de reuniões, mas em formato circular. Ela pega algo do que era um retângulo e a circula com um fosso. Enquanto olhamos em direção ao final através do eixo que Adriano alinhou para nós, nossos olhos vêem uma forma incomum na arquitetura romana antiga, um espaço oval cercado de colunas. Adriano teve a ideia deste círculo e então quebrar o espaço em partes menores. Ele inevitavelmente gerou ovais e podemos ver ovais ou fragmentos de ovais em todo o lugar. Sabemos que isso foi visto por Ligorio no século XVI que pesquisou o lugar. O Cardeal Barberini fez com que Contini publicasse as anotações e o plano de Ligorio, o que tornou o lugar conhecido no início do Barroco na arquitetura romana na cidade de Roma com pessoas como Borromini. Edifícios circulares eram algo que Adriano adorava. Este tem o mesmo tamanho do Panteão. E ele o constrói ao mesmo tempo em que faz o Panteão. Essa ideia da totalidade do império, ou a totalidade do mundo na figura do imperador. O círculo, de acordo com os filósofos da antiguidade era a forma perfeita. Não havia nada mais perfeito do que um círculo ou uma esfera. Acho que isso o encantou e só o desafio de pegar a forma retangular de uma casa E fazê-la circular deve tê-lo encantado, em termos estéticos. Se olharmos o piso do Panteão ou as paredes do Panteão em seus revestimentos de mármore, vemos círculos e quadrados, essas formas geométricas básicas. Sim, num tipo de conflito criativo fazendo ascender novas formas. Parece que Adriano realmente queria sua privacidade. Sim. Revendo a história do império, ele sabia que houve muitos atentados contra a vida dos imperadores, mas em geral, os imperadores sempre sempre foram assediados por onde quer que fossem. Há uma anedota sobre Adriano enquanto ele viajava Uma mulher parou para questioná-lo e ele disse, "Desculpe, Não tenho tempo, estou muito ocupado." Então ela disse, "Então deixe de ser imperador." Esperava-se que os imperadores estivessem disponíveis E aqui ele podia ficar longe e convidar somente as pessoas que queria, fosse para negócios ou reuniões sociais. Temos quartos aqui, banheiros. Salas de banho em que se descia para entrar, então elas deveriam estar no nível do fosso. Enquanto sentava para se banhar, podia-se ver a água em volta. Você podia empurrar o patinho no fosso (risos). É difícil imaginar o quão luxuoso isso era, mas agora enquanto observamos podemos ver a origem de seu nome atual, porque vemos relevos com figuras marinhas e figuras mitológicas relacionadas à água. Há algumas peças preservadas aqui, no entablamento, e peças ainda melhores no antiquário do lugar. É uma escala modesta. Não é imenso. Parece mesmo um retiro. Acho que tudo o que Adriano fez Está no nível humano. Sempre digo para as pessoas quando vão ao Panteão, "Pare no limiar, olhe para frente, "e você verá em sua visão periférica "o óculo, o piso e os lados da rotunda." São os limites do humano. Aqui é um espaço mais íntimo, confortável. Adriano estava sempre negociando em espaços com muita pompa e circunstância, muito formais e rígidos. E aqui, estava numa escala de uma pequena casa em Pompeia, uma casa de classe média, para que ele se sentisse, acho, mais relaxado. Um lugar informal para o imperador de Roma. Informal, mas não podemos dizer sem luxo, porque é tudo mármore, tudo esculpido, material e mão-de-obra caras e habilidade do mais alto nível. O fato de ser pequeno não significa sacrifício da qualidade. Quem sabe qual escultura estava aqui ou quais eram os equipamentos ou móveis? Ele pode ter disfarçado a redução do espaço com a beleza dos materiais e a habilidade desses materiais. Algo me diz que foi este o caso. (Música de jazz) [Legendado por Pedro Mota Byrro]