If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:51

Transcrição de vídeo

[Introdução musical] Estamos nos Museus Capitolinos, em Roma, e estamos olhando para um busto, ou talvez devamos dizer um retrato de cabeça que é conhecido como Brutus. É complicado, pois a forma como o vemos faz parte do busto. Essa era uma forma de retratar muito típica dos romanos, colocando uma cabeça nos ombros e na parte superior do tronco. Mas, na verdade, a única parte dessa estátua que é original, é a cabeça. Ganhou esse nome no século 16, quando se imaginava que esse era Brutus, que foi o primeiro líder da República Romana Antiga. Brutus é uma figura legendária. Ele era o sobrinho do último rei. e de acordo com a tradição, liderou a revolta contra o seu tio. Então, ele é o fundador da República Romana. O homem que expulsou o último rei, o último governante autocrático, e estabeleceu o reger do senado, o reger do povo. E, por toda a história, continua periodicamente importante quando vemos um impulso em direção a um governo democrático. Por exemplo, no século 18, Jacques-Louis David verá nele um herói. Então vamos olhar a escultura. Quando olhamos para ela de perto, fica claro que a cabeça não pertence ao busto. A cabeça é finamente bem trabalhada, Já o busto é bem grosseiro. Repare no detalhe do bigode, da barba, das sobrancelhas, e daqueles olhos. E os olhos são feitos de marfim tingido, que o fazem parecer tão vivo. Historiadores de Arte perceberam que sua cabeça está levemente inclinada para baixo, e teorizaram que talvez ela fizesse parte de uma escultura equestre. Essa é uma escultura de uma pessoa em um cavalo. Pode ser como Marcus Aurelius, olhando para fora, mas para baixo, dirigindo-se às suas tropas. Temos sorte de que esse bronze sobreviveu. Bronze é caro e pode ser facilmente derretido e reutilizado, o que normalmente acontece. Existe um desejo no período da República Romana Antiga em capturar as características do semblante dos indivíduos. Isso é muito diferente de quando Augustus se torna o primeiro imperador de Roma, onde temos imagens muito idealizadas. A pretensão era provavelmente comemorar um indivíduo. No século 16, pensaram que fosse Brutus, mas nós não sabemos realmente quem era. No entanto, faz sentido, pois sabemos que os antigos romanos comemoravam grandes figuras políticas, grandes líderes militares... E as estátuas desses grandes líderes, feitas pelos antigos romanos, muitas vezes adornavam sítios cerimoniais importantes como o Forum, que fica bem perto. Nossa própria tradição de celebrar os Presidentes dos Estados Unidos, por exemplo, vem dessa antiga tradição romana. Ele tem traços bem peculiares, mas ainda assim, é também enobrecido. Ele foi criado para parecer inteligente, sagaz, pensativo. E veja como as suas sobrancelhas foram um pouco estilizadas para quase parecer que uma coroa de louros envolve sua testa. Também nos lembra que, na República Romana Antiga, sabedoria era vista como algo que vem com a idade e que era importante para a liderança política. E de fato a República era governada pelo Senado, um conselho de anciãos. Podemos ver que ele está contraindo sua testa, há uma inquietação e uma preocupação. Todavia seu queixo está tenso, seus lábios pressionados, existe uma sensação de firmeza. Firmeza, talvez, em face de alguma agitação, e imaginamos que essas qualidades são as quais, talvez, as quais as pessoas do século 16 costumam associar com Brutus. Alguém forte, determinado e de princípios. Nós temos decifrado essa escultura pelo menos desde o século 16, e aqui estamos, continuando isso ainda hoje. E por mais que não saibamos quem esse homem é, compreendemos como ele era distinto e como as pessoas o devem ter admirado. [Encerramento musical] [Legendado por: Bruna Jermann] [Revisado por: Noemia Monteiro Bito]