If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:11

Transcrição de vídeo

(música) Estamos em Roma próximo ao rio Tibre, olhando um antigo templo romano, um templo que por um longo período foi erroneamente chamado de Fortuna Virilis. Templo da Fortuna Viril. Isto parece muito com o que se pode esperar de um templo clássico. É pequeno, mas possui colunas com sulcos, capitéis jônicos. Colunas jônicas derivadas dos gregos, mas este claramente não é um templo grego. Correto, é diferente de várias maneiras importantes. Uma das razões, é estar erguido em uma plataforma com degraus somente na frente. E os gregos, se você pensar no Partenon por exemplo, você poderia entrar tanto pela frente como por trás. Mas em termos de realmente se erguer sobre o estilóbato você poderia subir de qualquer ponto. Correto e penso em um templo grego mais como algum lugar onde o culto ocorria do lado de fora do templo. havia uma estátua do Deus que estaria no interior, mas o templo é quase como uma escultura na paisagem e aqui há mais ênfase direcional na frente, no pórtico. E não é apenas direcional. Mas acho que o adorador é, na verdade, direcionado de um modo muito específico. para que os romanos pudessem, de certa forma, controlar os usos do prédio. E, também, como um templo grego, apenas o sacerdote poderia entrar. É romano também porque não apenas uma única escadaria na frente, mas também porque a construção se estende por quase a borda. Há um espaço interior maior para que as colunas nas laterais e no fundo não sejam colunas soltas, são colunas ligadas. Sim, são conectadas, e isso é algo particular dos romanos. Os gregos não teriam feito isso porque usavam colunas como parte estrutural. Aqui as colunas são puramente decorativas se você olhar andando para trás. Neste caso, as paredes estão desempenhando a sustentação, segurando o teto. Portanto, a construção não está em boas condições. Datado de 100 A.C., então essa construção possui mais de 2.000 anos. E ainda está de pé. E ainda está aqui, cercado pelo tráfego moderno da cidade, e temos uma noção real de como um templo romano se parecia no período da república romana antiga. É realmente muito proporcional, há uma maravilhosa sensação de ritmo criada pelas colunas conforme se movem para trás. E há quatro colunas na frente e duas muito profundas para aquele espaço no pórtico. Penso que muito foi baseado na cultura que vivia aqui antes. Os Etruscos? Sim, acho que na verdade isso foi tomado emprestado da arquitetura etrusca antiga. Mas vejo muita influência grega, vejo estruturas dentadas, vejo, como mencionamos antes, as colunas jônicas, o frontão tudo isso está nos contando o quão importante era o grego para os romanos. É como voltar no tempo, ao permanecer aqui, olhando para ele. (música) Legendado por Anne Salvoni Revisado por Jessica Mazzini