If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Balanço, simetria e ênfase

pelo Dr. Asa Mittman

Equilíbrio e simetria

Perugino, Cristo entregando as chaves do Reino para São Pedro, Capela Sistina, 1481-83, afresco, 3,3 m x 5,5 m (Vaticano, Roma)
Perugino, Cristo entregando as chaves do Reino para São Pedro, Capela Sistina, 1481-83, afresco, 3,3 m x 5,5 m (Vaticano, Roma)
O equilíbrio é um uso uniforme de elementos em uma obra de arte. A simetria é um tipo de equilíbrio muito formal que consiste no espelhamento de partes de uma imagem. A simetria bilateral, ou seja, a simetria de dois lados, é a mais comum, em que duas metades de uma obra de arte se espelham, como na pintura de Perugino, Cristo Entregando as Chaves do Reino a São Pedro. Nessa obra, a simetria dá à pintura não apenas uma sensação de equilíbrio, mas também uma sensação de calma, estabilidade e formalidade. Observe em particular a maneira como o edifício e os arcos de fundo são pintados para tornar a obra simétrica.
Assim como as próprias estruturas são simétricas na pintura de Perugino, a simetria também é comum nas principais obras de arquitetura, onde dá aos edifícios um tom de estabilidade e poder. Templos gregos clássicos, como o Templo de Artemis em Corfu, são rigidamente simétricos.
Templo de Artemis, Corfu, Grécia, c. 600-580 a.C.
Templo de Artemis, Corfu, Grécia, c. 600-580 a.C.
Neste diagrama (o templo atualmente está em ruínas), até a escultura na fachada - a parte da frente de uma construção - é quase perfeitamente simétrica. Nos cantos de fora estão um par de guerreiros caídos, mostrados de forma espelhada, e depois dois pares (um deles está em fragmentos) de figuras em luta, seguidos de duas panteras espelhadas, e por fim, ao centro, Medusa, com dois de seus filhos ao seu lado (Pégaso e Crisaor).
Detalhe do frontão, Templo de Artemis, Corfu, Grécia, c. 600-580 a.C.
Detalhe do frontão, Templo de Artemis, Corfu, Grécia, c. 600-580 a.C.
Até mesmo a temível Górgona no centro é apresentada voltada diretamente para nós, de modo que seu rosto pode ser apresentado em uma simetria hedionda, com seus grandes olhos salientes, a boca em uma careta, cabelo trançado e até mesmo as cobras que emergem de trás da cabeça dela esculpidas em perfeita simetria. Este trabalho deve servir para contrariar a afirmação frequente de que a simetria torna as obras belas. Enquanto muitas culturas associam simetria com beleza, e este templo como um todo pode ser descrito como tal, uma figura grotesca permanece grotesca mesmo quando perfeitamente simétrica.

Simetria radial

A simetria radial é criada quando uma imagem é simétrica em torno de um ponto ou eixo central, como um girassol visto de frente. A simetria radial cria um forte senso de unidade em uma obra de arte e é comum em imagens sagradas.
Garbhadhatu (Taizokai) Mandala (Womb World), mandala da Razão Inata e Revelação Original, Japão, período Heian (Budismo Tântrico), final do século IX, cores na seda (domínio público)
Garbhadhatu (Taizokai) Mandala (Womb World), mandala da Razão Inata e Revelação Original, Japão, período Heian (Budismo Tântrico), final do século IX, cores na seda (domínio público)
Em uma Mandala do Ventre do Mundo Budista Tântrico de Shingon, todos os pontos parecem irradiar para fora, a partir da figura central de Buda. As numerosas figuras que o rodeiam são bodhisattvas, indivíduos que, por compaixão, escolheram adiar sua entrada no Nirvana para que pudessem ajudar os outros que sofrem. É adequado que sejam mostradas como se estivessem emanando a partir do próprio Buda, já que sua revelação e compaixão são a fonte e o modelo para a deles. A imagem também dá uma sensação que o próprio universo é altamente ordenado.

Equilíbrio assimétrico

Policleto, Doríforo (Lanceiro), cerca de 450-40 a.C., cópia Romana Antiga em mármore da original em bronze, descoberta em Pompéia, 211 cm (Museu Arqueológico, Nápoles)
Policleto, Dorífero (Lanceiro), cerca de 450-40 a.C., cópia romana antiga em mármore descoberta em Pompéia da original perdida em bronze, 211 cm (Museu Arqueológico, Nápoles)
No entanto, a simetria perfeita não é necessária para criar um senso de equilíbrio em uma imagem. O equilíbrio assimétrico é criado quando dois lados de uma imagem não se espelham, mas ainda têm aproximadamente o mesmo peso visual, a mesma quantidade de detalhes, formas ou cores e assim por diante. A escultura clássica grega Doryphoros (The Spearbearer) de Polykleitos mostra um exemplo claro de equilíbrio assimétrico. A figura não se posiciona de forma simétrica, mas no geral, parece uniforme, calma, equilibrada. Nesse caso, a figura tem seu peso sobre a perna direita, então essa perna fica tensa. A perna esquerda está relaxada e dobrada. Equilibrando isso, o braço direito fica solto, mas o esquerdo está tenso. Desse modo, o corpo - que em si é simétrico, ou seria se ele estivesse com os pés lado a lado, olhando para frente, com os braços pendurados - fica equilibrado. Essa postura é chamada de contraposto e costuma ser usada para dar às figuras humanas em pé uma sensação de vida e animação.

Ênfase

A ênfase consiste em chamar a atenção para um ou mais pontos de uma obra. Isso pode ser feito por meio de qualquer um dos elementos visuais. Na Mandala do Útero Mundial, o Buda é enfatizado por meio da localização (ele está centrado na imagem), cor (as pétalas vermelhas vivas em torno dele atraem o olhar), linha (todas as fileiras de figuras essencialmente orientam o olho para o centro através de linhas implícitas, e as linhas que dividem as pétalas vermelhas também nos direcionam para dentro), simetria (a simetria radial nos focaliza para dentro, para o centro) e assim por diante. Em essência, não podemos deixar de retornar, repetidamente, ao Buda, o foco da imagem e também o foco da devoção budista.

Quer participar da conversa?

  • Avatar blobby green style do usuário Paulo Aguiar
    Podemos supor que a passagem da simetria radial para o equilíbrio assimétrico significa uma evolução?
    (1 voto)
    Avatar Default Khan Academy avatar do usuário
    • Avatar piceratops tree style do usuário ArthurBarbosa
      A passagem da simetria radial para o equilíbrio assimétrico pode significar uma evolução em alguns casos, mas não em todos. A simetria radial é uma forma de equilíbrio simétrico em que os elementos de uma imagem se irradiam de um ponto central, criando um padrão uniforme. A simetria radial também existe em alguns animais, como as estrelas-do-mar e as águas-vivas, que podem ser cortados de maneira uniforme ao longo de vários planos.

      O equilíbrio assimétrico é uma forma de equilíbrio em que os elementos de uma imagem são distribuídos de forma desigual, mas ainda criam uma sensação de harmonia e estabilidade. O equilíbrio assimétrico também existe em alguns animais, como os vertebrados e os moluscos, que só podem ser cortados de forma uniforme ao longo de apenas um plano.

      Em termos de arte e design, o equilíbrio assimétrico pode ser considerado mais dinâmico e informal do que o equilíbrio simétrico, pois permite mais variedade e criatividade na composição. Em termos de biologia, o equilíbrio assimétrico pode ser considerado mais adaptativo e complexo do que o equilíbrio radial, pois permite mais diferenciação e especialização das partes do corpo.

      No entanto, isso não significa que o equilíbrio radial seja inferior ou menos evoluído do que o equilíbrio assimétrico. O equilíbrio radial tem suas próprias vantagens e desvantagens, dependendo do ambiente e da função dos organismos. Por exemplo, o equilíbrio radial permite uma maior sensibilidade aos estímulos vindos de todas as direções, enquanto o equilíbrio assimétrico permite uma maior mobilidade e coordenação.

      Portanto, a passagem da simetria radial para o equilíbrio assimétrico pode ser vista como uma evolução em alguns aspectos, mas não em outros. Tudo depende do contexto e da perspectiva que se adota. Espero ter esclarecido sua dúvida.
      (4 votos)
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.