If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:7:17

Transcrição de vídeo

Eu sou Arturo, mas pode me chamar de Art. Este vídeo é parte da série Explorações da História da Arte. Estrelando: EU e A MÃO! E o resto de mim? Pessoas do mundo todo olhando pra mim e e eu tendo de esperar uma prima-dona de 5 dedos... Agora está melhor. Ah, o vento mediterrâneo está bem fresco! Vamos falar sobre os períodos Grego e Romano. Foram os gregos que transformaram a geometria em arte. De 1.000 a 700 a.C. marca o período da arte grega conhecido como período geométrico. Pelas decorações nas cerâmicas da época. Figuras geométricas simples eram combinadas em padrões repetidos em torno dos objetos. Mais tarde apareceram padrões abstratos de pessoas e animais. Eles usavam os vasos para armazenar vinho e óleo para comer e beber, como prêmios em jogos atléticos e até como marcadores de sepulturas. Começou como espertinho, terminou no vaso. Era brincadeira, me deixe sair... No período arcaico a arte começou a retratar as pessoas de forma mais realista. Os gregos aprenderam com os egípcios como colocar cabelo na parte de trás das esculturas, para reforçar a parte do pescoço das estátuas. E separar as pernas para dar mais estabilidade. Ai! Estabilidade demais! Estátuas masculinas eram chamadas Kouros e as femininas, Kore. O estilo das cerâmicas gregas também mudou. Eles criaram o estilo popular com as imagens em preto em vasos vermelhos. E depois inverteram o estilo para imagens em vermelho com fundo preto. Imagem vermelha ou preta? Em qual pareço mais magro? A Grécia na época não era uma grande nação feliz. Ao contrário, eles tinham várias cidades-estado. As duas maiores eram Atenas e Esparta. Que frequentemente se enfrentavam por posição e poder. Até que os persas os atacaram em 480 a.C. Então Atenas e Esparta deixaram suas diferenças de lado e juntas expulsaram os invasores, mas não antes dos persas terem causado um grande estrago em Atenas. Os atenienses tiveram de reconstruir sua cidade. Cheios de confiança após seu triunfo sobre o império persa, os gregos iniciaram uma era de ouro chamada de Período Clássico. Péricles, o líder de Atenas, ordenou a reconstrução dos templos na Acrópole onde o famoso escultor Fídias decorou o Partenon, um templo dedicado a Atena, a deusa fundadora de Atenas. As esculturas clássicas se tornaram mais realistas e ao mesmo tempo idealizadas. Escultures como Policleto, que buscava as proporções matemáticas perfeitas da beleza humana. As poses ficaram mais naturais, usando princípios como o contrapposto, uma pose que dava um equilíbrio elegante à escultura, ao mudar os ângulos dos ombros em relação à pelve. Usando a proporção do tamanho da cabeça para o corpo, os artistas gregos descobriram que o homem e a mulher médios têm o corpo de 6 e meio a 7 cabeças de altura. Ao aumentar o tamanho do corpo em relação ao tamanho da cabeça eles encontraram uma proporção mais agradável visualmente, de 8 cabeças. Até hoje os desenhistas usam estas proporções idealizadas para desenhar super-heróis. Art vai esmagar! Yeah! Em 336 a.C. Alexandre, o Grande, tomou o poder e estendeu o império grego do Egito até a fronteira da Índia. Sua morte foi o fim do período clássico. No período helenista, os escultores gregos ainda fizeram esculturas incríveis, mas agora elas tinham mais emoção. Ação, como o pobre Laocoonte e seus filhos sendo estrangulados por duas serpentes gigantescas, enviadas pelos deuses como punição. O escultor Praxíteles quebrou a antiga tradição grega de retratar os homens nus e as mulheres vestidas, com sua Afrodite de Cnido, que foi a primeira mulher nua. Esta foi a escultura mais copiada pelos escultores romanos. A ideia de império agradou aos Romanos também e em 214 a.C. eles assumiram o controle da Grécia. Os Romanos adoravam a cultura grega. Eles copiaram as esculturas, pinturas e arquitetura gregas. Eles até mesmo adotaram os deuses gregos, apesar de terem dados novos nomes a eles Zeus se tornou Júpiter, Poseidon virou Netuno, Afrodite virou Vênus. Mas os romanos tinham mais interesse em retratar pessoas de verdade. Ao invés de buscar o ideal, eles buscavam a semelhança com os retratados, até as verrugas! Os romanos também usavam a arte como propaganda para promover sua agenda política e glorificar imperadores e suas conquistas. O imperador Augusto se fez retratar como um líder militar jovem e forte, vestido com seus trajes militares, mesmo que ele já fosse bem mais velho na época. Mais ou menos como as fotos das pessoas no Facebook. A coluna de Trajano é como o cenário de um filme em pedra, com cenas esculpidas de batalhas romanas e suas vitórias. Os arquitetos romanos se tornaram mestres dos arcos e domos. Os arcos eram uma enorme inovação para a construção de pontes e aquedutos, e os domos se tornaram a marca de grandes edifícios oficiais como o Panteão, que se tornou uma das maiores influências na arquitetura ocidental. A expansão do Império Romano levou as ideias gregas e romanas para toda a Europa, o que se tornou a fundação da cultura ocidental. Ainda hoje somos influenciados por ideias desenvolvidas na Grécia e Roma antigas. Criado como parte do curso on-line TICE Art 1010 Agradecimentos especiais ao Utah System of Higher Education pelo seu generoso apoio Produzido por TICE e DSC Produção do vídeo Y draw