If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:18

Transcrição de vídeo

Eu sou Arturo, mas pode me chamar de Art. Este vídeo é parte da série Explorações da História da Arte. Estrelando: EU e A MÃO! E o resto de mim? Tem algo errado, estou me sentindo frio, suando. Espera aí, vocês estão me operando? Vocês não podem me operar usando um chapéu! E esse livro? Não me diga que você precisa ver num livro como me operar! Isso é demais! Ai! Você sabe o que é melhor que anestesia? Desmaiar! Ah, ok! Estou calmo, estou bem. Vamos falar dos períodos Barroco, Rococó e Neoclássico. A reforma protestante de Martinho Lutero chacoalhou o mundo religioso. No início do século dezessete a igreja católica respondeu com a contra-reforma, que impulsionou o movimento barroco e seu objetivo artístico de levar a teologia católica para as massas. Drama e movimento eram algumas das maneiras que os artistas barrocos usavam para atrair as pessoas. Por exemplo, ao contrário do Davi de Michelangelo, o escultor Gianlorenzo Bernini captura o momento exato em que Davi se inclina para trás para atirar sua pedra. Depois de ver tantas estátuas de Davi fico pensando... A mãe dele não o ensinou a se vestir? Os arquitetos barrocos também usavam efeitos teatrais, substituindo as linhas retas da renascença por curvas fluidas, domos elaborados e ornamentações. Como a capela de San Carlino, cujas paredes se curvavam para dentro e para fora, como se fossem feitas de um material flexível, ao invés de pedra rígida. Agora chegamos a Caravaggio e o chiaroscuro, a técnica de pintar sombras escuras. Ah! Ei, não são sombras escuras se estiver completamente escuro. Eu não tenho medo do escuro, mas você tem de ligar a luz imediatamente! Logo! Isso, agora sim! Como eu dizia, o chiaroscuro usa sombras escuras e áreas de interesse iluminadas para criar drama! Apesar dele não ter inventado o chiaroscuro, Caravaggio acrescentou um outro nível de realismo que a igreja apreciou. Exceto quando ele pintou santos como pessoas comuns descalças e de unhas sujas. Caravaggio tinha um temperamento difícil que muitas vezes lhe trazia problemas. - Você está dizendo que eu sou difícil? Que *&#$@ você está dizendo? Seu estilo de vida turbulento o levou ao cemitério cedo, aos 37 anos, mas seu estilo influenciou artistas de toda Europa. - 37? Não sei do que *$%# está falando! O barroco marca o ponto a partir do qual paisagens passaram a ser temas aceitos. Antes consideradas muito laicas, pintores como Claude Lorrain tornaram as paisagens populares e lucrativas. Um francês que se mudou para Roma, Lorrain era um desenhista meticuloso. Suas pinturas eram baseadas em inúmeros desenhos feitos no local, mas ele não mostrava a realidade dura. Ao contrário, criava uma versão idealizada da natureza. Apesar de Lorrain incluir pessoas em suas paisagens, elas eram sempre secundárias. Dizem que quando vendeu uma pintura ele disse: - O dinheiro é pra pagar a paisagem, as pessoas são de graça. Peter Paul Rubens era a estrela do período barroco Um homem com energia sem limites, ele falava 6 idiomas e visitou as cortes da Itália, Espanha, França, Inglaterra e Holanda em missões diplomáticas, muitas vezes levando arte como presente. - Ei, abaixa o som! - Não, ele não tocava um alaúde eletrônico! Rubens vivia em grande estilo e pintava em grande estilo também. Católico, ele mergulhou na contra-reforma. Ele desenhava homens musculosos e mulheres robustas. Como vemos nesta pintura, mesmo este tema tocante, a rainha-mãe Maria de Médici buscando reconciliação com seu filho, o rei da França, torna-se um exercício cheio de energia. Como um dos trabalhos de Hércules. - Me tira daqui! Quem nunca ouviu falar de Rembrandt? Não acredito, está de castigo. Desculpe, pode voltar, Hoje, um dos pintores mais famosos do mundo, Rembrandt conquistou fama internacional enquanto vivo, não por suas pinturas, mas por suas gravuras. Para os europeus da época de Rembrandt, gravuras eram uma forma de ver imagens de lugares distantes, pessoas interessantes e cenas artísticas. Era uma forma de comunicação de massa e era tão revolucionária para a época quanto a criação da internet na nossa. E, para se distrair, Rembrandt... Espere... Desenhava. Isso mesmo! Por volta de 1.400 desenhos de Rembrandt sobreviveram. Ele desenhava no que estava disponível, o verso de contas, páginas impressas e até programas de funerais. A benção não devia ser muito boa. Suas pinturas também tinham procura, mas talvez mais original é o número de auto-retratos que ele pintou. De 40 a 50 pinturas a óleo, dependendo do especialista que você consulta, 32 gravuras e 7 desenhos. Com a idade, suas pinturas se tornaram menos teatrais e mais introspectivas. Rembrandt tinha um defeito fatal, ele não conseguia controlar seus gastos. Suas dívidas ficaram tão grandes que ele teve de declarar falência. Deve ser por isso que ele era barroco... Risos... (trocadilho intraduzível) Esta roupa custou muito caro. Iniciada nos anos 1.700, a era rococó era arte da aristocracia para a aristocracia. Era o barroco terminando não em chamas, mas numa festa. Tecnicamente vistosa, mas sem profundidade ou drama emocional, o rococó celebrava o lazer da classe privilegiada. Na pintura O Balanço, de Fragonard, enquanto um homem balança e observa a moça atentamente, a mocinha ri e flerta com seu amante escondido nos arbustos. Longe de ser tema de conversa de filósofos. O estilo rococó sinaliza a mudança de Roma para Paris como a nova capital da cultura e da moda na Europa. Mas os excessos da aristocracia no período rococó em breve levariam à Revolução Francesa, e a uma revolta artística, o neoclassicismo. Não poderia ter havido dois movimentos mas diferentes. - Senta, senta! - Pare já! - Sempre brigando! - Fica quieto! A arte neoclássica buscava sua inspiração na era clássica. Nascida na era do iluminismo, uma filosofia que valorizava a razão e o conhecimento científico. Era uma época séria, para artistas sérios. Na pintura O Juramentos dos Horácios, de Jacques-Louis David, os três irmãos colocam o dever público acima dos desejos pessoais enquanto juram lutar por Roma. Para artistas neoclássicos, pinceladas visíveis não eram permitidas. Uma pintura deveria ser perfeitamente lisa. Entendeu, Mão? Desenhos claros e precisos eram primordiais e se você pudesse colocar uma toga em alguém, melhor ainda. Os períodos barroco, rococó e neoclássico incluíram desenvolvimentos importantes que levaram à arte dos tempos modernos. Os primeiros comerciantes de arte licenciados apareceram. O mercado de arte se expandiu para incluir mercadores ricos e funcionários do governo, e arte produzida em massa através de impressão Foram criadas A Academia Real em Londres e o Salão em Paris. Estas organizações ajudaram a regular exibições que se tornaram as exibições de arte de maior prestígio na Europa. A arquitetura neoclássica nos deu o Panteão em Paris, o Arco do Triunfo, o palácio de Buckingham, e, na nova república americana, o Capitólio e o memorial a Jefferson, para citar alguns. O mundo da arte ocidental estava em expansão. Criado como parte do curso on-line TICE Art 1010 Agradecimentos especiais ao Utah System of Higher Education pelo seu generoso apoio Produzido por TICE e DSC Produção do vídeo Y draw