If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:26

Transcrição de vídeo

Eu sou Arturo, mas pode me chamar de Art. Este vídeo é parte da série Explorações da História da Arte. Estrelando EU e A MÃO! Por sete vídeos você me desenhou em todos os tipos de roupas e em todos os tipos de situações, algumas não muito legais, devo dizer. E agora você está me desenhando com roupas comuns? Entendi. Hoje vamos falar sobre a arte atual: a arte contemporânea. Da arte egípcia à arte moderna, nós cobrimos séculos de estilos, filosofias e personalidades do passado. Mesmo assim vimos apenas uma pequena parte da história da arte. Há tanto que as limitações de tempo do vídeo e a resistência da mão não nos permitem cobrir. Oh coitada. Podemos ter um pouco de atenção médica aqui, por favor? Até agora, fomos capazes de examinar a arte em detalhe através do microscópio do tempo. A dificuldade em analisar a arte contemporânea é que estamos muito perto dela e por isso não temos a perspectiva do tempo para nos mostrar quais artistas ou movimentos se tornarão influentes e importantes. No entanto, uma coisa que une muitos artistas contemporâneos é algo que os estudiosos chamam de Apropriação. O quê? O que é isso debaixo do meu braço? Apropriação não significa roubar. Não neste caso. Apropriação na arte é mais como pegar uma imagem antiga e mudá-la, criar um novo visual ou novo significado. Cindy Sherman emprestou das imagens dos filmes noir dos anos 30 e 40 e um conjunto de fotografias chamado Negativos de filmes sem título. Ela se vestiu como uma grande atriz e tirou uma foto que parece ter sido feita pressionando aleatoriamente a pausa em um DVD player. Embora todos os elementos da imagem sejam reais, sabemos que ela é encenada para a câmera. Ei querida, que tal me apropriar na sua foto, hein? Eu acho que isso significa que não. Chame isso de Apropriação indevida. Bill Viola passou por uma esquina e viu três mulheres conversando, com suas saias soprando ao vento. Lembrou-se de uma pintura do italiano maneirista Pontormo chamada Visitação. Ele decidiu fazer sua própria versão da pintura, mas como um vídeo, e o chamou de A Saudação. A encenação é semelhante, mas as mulheres são obviamente contemporâneas. Quando os artistas pegam algo emprestado, eles se envolvem em uma conversa sobre essa coisa ou ideia do passado. A obra do artista britânico-nigeriano Yinka Shonibare, Ship-in-a-bottle mostra o navio do herói britânico, almirante Lord Nelson, equipado com velas de tapeçaria africana, Isso retrata o mundo multicultural em que vivemos hoje, diz o artista. Como um hambúrguer de teriyaki com queijo suíço, uma salada de taco e molho italiano, e bolo de chocolate alemão com sorvete de baunilha. Nossa, isso parece tentador. Esta é a escultura de Claes Oldenburg Ponte de Colher e Cereja. Oldenburg usa objetos comuns e os recria em grande escala, como se um gigante os tivesse derrubado, fazendo nós olhamos para eles de uma nova maneira. Já se perguntou o que uma formiga sente em um piquenique? Agora você sabe. A arte contemporânea frequentemente lida com problemas sociais. Kara Walker usa a simplicidade de silhuetas recortadas de papel para abordar questões históricas complexas como a escravidão e outros males sociais. Na obra Darkytown Rebellion, ela acrescenta um toque moderno ao projetar luzes coloridas na cena. Conforme os espectadores passam, suas próprias sombras se tornam parte do cenário. Olhe para mim. Cresceu um homem na minha cabeça. Em 2008, um trágico terremoto matou milhares de crianças chinesas. O artista chinês Ai Weiwei viu fileiras de mochilas das crianças nos escombros. Em protesto contra o governo responsável pela construção de má qualidade das escolas, Ai Weiwei criou a obra Sinto Muito, um grande mosaico de mochilas coloridas que forma uma citação de uma das mães em luto em caracteres chineses que diz que ela viveu feliz por sete anos neste mundo. Como resultado deste e de outros protestos contra o governo, Ai Weiwei foi ameaçado, espancado e preso. Seu estúdio foi demolido e ele não pode deixar a China. A vida de um artista nem sempre é fácil. Daqui a alguns anos, os historiadores da arte provavelmente inventarão um rótulo para descrever nossa arte contemporânea, enquanto os artistas estarão ocupados criando a nova arte contemporânea. Uma coisa com a qual podemos contar: a arte está sempre mudando. No futuro, pode haver hologramas monumentais adornando uma paisagem urbana ou alguém fará a descoberta de como esculpir nuvens. Enquanto houver uma mão para criar e uma mente humana para imaginar, a história da arte continuará. Nós tivemos ótimos momentos juntos, mas chegou a hora de dizer até logo. Criado como parte do curso on-line TICE Art 1010 Agradecimentos especiais ao Utah System of Higher Education pelo seu generoso apoio Produzido por TICE e DSC Produção do vídeo Y draw