If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:59

Transcrição de vídeo

Muitos Imagineers de diferentes disciplinas se reúnem para fazer o design de uma atração, por isso, geralmente criamos modelos quando estamos trabalhando sobre uma atração. Depois que um modelo é construído, ele é usado para analisar aspectos da atraçao, muito antes de verter o cimento. Os modelos permitem a todos nós obter um sentido visual e táctil de como a atração será quando estiver construída em escala completa. Alguns modelos são físicos e outros são digitais. Os modelos digitais são uma grande forma de simular os movimentos dinâmicos da experiência de uma atração. Eles nos permitem fazer mudanças rápidas no mesmo instante, sem ter que preocupar-nos ainda com aspectos da construção. É importante ter em mente que o objetivo da construção de modelos não é fazer uma coisa bonita e absolutamente perfeita. Em vez disso, os modelos se destinam a comunicar sua visão criativa, bem como o layout espacial da atração. A modelagem é um componente essencial para nosso processo de design, porque é mais barato do que modificar um modelo feito de espuma, do que é mudar aço e concreto no mundo real. Além disso, nos permite tomar decisões no processo de design muito mais cedo do que poderíamos, porque você pode vê-lo no espaço físico e obter uma melhor compreensão daquilo para o que a atração será e como ela vai ficar desde diferentes ângulos. É assim que todos podem ficar em volta da mesa e olhar para a mesma coisa ao mesmo tempo. Se você tem uma ideia na cabeça, está só na sua cabeça, ninguém mais pode vê-lo. Você pode desenhar algo, mas ainda que o esboce, apenas lhe dá uma visão numa única perspectiva de uma parte disso. Já quando você constrói um modelo, isso é levado para três dimensões. Vai permitir você entrar nisso e meio que faz um passeio, para ver o que tem por trás dessa parte do modelo. Você pode dizer essas coisas quando está vendo um modelo físico. Diferentes disciplinas viriam, se encontrariam, negociariam onde as coisas deveriam estar. Eles aparecem e dizem, "Oh, eu entendo o que você está fazendo agora." Às vezes você pode literalmente deitar no chão e colocar sua cabeça ao mesmo nível que uma pessoa estaria, se ela estivesse em seu modelo, porque eu precisaria mesmo ver isso desse ponto de vista. Outras vezes você pode levantar o modelo e colocá-lo em cima de uma mesa e descer, então você está olhando ao nível do modelo. Para entrar no modelo. Assim você pode ver o que os visitantes vão ver. Está chegando a uma esquina? Quando a primeira pessoa fizer essa curva, O que ela pode ver? Eles podem ver o outro barco? Eles podem ver os sets? E talvez você precise fazer um ajuste para isso funcionar. Então nós construímos modelos físicos e digitais, eles trabalham de mãos dadas porque os modelos digitais podem dar-nos um tipo de informação que não poderíamos obter dos modelos físicos. Nós estamos olhando agora para mais informações do mundo real, estamos utilizando uma escala real, de tamanho natural e edifícios reais, portanto, o que obtemos de um modelo digital é a possibilidade de passear – de forma virtual – pela atração por meio de fones de ouvido, de forma tal que estamos obtendo a experiência real que a atração oferece antes ainda de que seja construída. Qual é o processo de construção das maquetes? Nós, em Imagineering, construímos muitos tipos diferentes de modelos. E todos eles servem para um propósito diferente. Você pode fazer um modelo rápido e sujo, onde tenha apenas um estudo massivo e seja feito de blocos brancos e pronto. Você apenas quer ver quão grande é isso em relação a alguma coisa próxima dele? E mais ou menos, quanto espaço ocupa? Bem, estamos literalmente pegando papelão e papel e os estamos colocando junto para que possamos entender espacialmente o que o conceito ou ideia inicial é. E então iremos para modelos mais sofisticados à medida que o design vai sendo mais desenvolvido e esculpiremos espuma. E vamos fazer uma coisa que seja mais resistente e robusta e mais detalhada. Então este é, este é um dos primeiros modelos da pista de Radiator Springs Racers. E estávamos organizando muito da seção ao ar livre da pista, de como os veículos se moveriam pelo trabalho de rochas e o ambiente à medida que eles avançavam na sequência da corrida. Isso nos deu uma ótima representação do que íamos construir, finalmente tão distante como o sistema da pista e da estrada pudessem apoiar a sequencia da corrida. Você pode ir o tempo todo ao que nós chamamos de modelo de show, que é um design de modelo altamente detalhado, perfeitamente pintado, lindo, sabe, a cores. Que literalmente parecerá exatamente igual a como será a coisa inteira quando você tenha acabado. Isso serve para um propósito diferente. Pode ser usado pela equipe para fazer um estudo de cores, ou um estudo de iluminação, ou entender o contexto de alguma coisa com relação a outra nas proximidades e muitas outras coisas. Nós fazemos muitos tamanhos diferentes, muitas escalas diferentes. Um modelo em escala, então se você tem 1 a 50, vamos dizer, isso significa que um centímetro na escala do modelo significa 50 centímetros na vida real. Então primeiramente tentamos fazer algo incompleto e pequeno e o polimos, iteramos, ampliamos até termos algo que seja relativamente grande e altamente detalhado. Tanto é assim que pode ser tomado para o lugar onde estamos construindo a atração e usá-lo como uma referência física sobre como o trabalho na rocha e os elementos cênicos seriam no mundo real. Você tem conselhos para a construção de maquetes? É importante lembrar que um modelo é uma ferramenta, você não está fazendo um modelo para mostrar suas habilidades para fazer modelos. Você está fazendo um modelo porque ajuda para o design, influi em seu design e soluciona problemas de partes de seu design. Portanto, quando você está fazendo um modelo, é uma coisa que muda constantemente. Porque quando você o está fazendo, percebe que alguma coisa não adianta e depois você modifica o modelo. Construam muitos modelos. Não hesitem, não casem com uma ideia, estejam dispostos a jogar fora esse modelo e começar novamente quando for necessário. Você meio que tem que jogar conforme seus pontos fortes. Algumas pessoas podem ser muito boas para construir paredes físicas – eles as fazem em papel, eles as fazem em papelão, tem diferentes materiais para você usar. Outros adoram pintar e fazer o trabalho em detalhe. Não perca muito tempo numa área em particular de seu modelo. Eu diria que é melhor praticar ideias incompletas, trabalhe muito rápido e depois vá e refine essas ideias. O mais fácil é começar colocando a coisa toda no chão como um esboço grande e legal e depois construa suas cenas. E não se preocupe em construí-lo do começo ao fim. Comece com as atividades mais fáceis primeiro, para sentir-se à vontade construindo um modelo, mas o objetivo será terminar todas as partes antes de começar a filmar. Isso faz com que o design de sua atração ganhe vida, se você pode construir um modelo e pegar talvez seu telefone e analise-o e veja como vai ficar exatamente. Só o desenho no papel está bem e vendo no computador está bem, mas quando é realmente dimensional, e você vê mesmo esse vídeo, isso é real. No próximo exercício, vocês terão a oportunidade de construir um modelo em escala de sua própria atração. Eu sugiro que você comece bastante simples e depois que tenha o modelo inteiro primeiramente montado, volte e adicione gradualmente detalhes a ele. Quando você acabou de criar seu modelo, utilize uma pequena câmera, como a câmera do telefone celular e corra pela pista de veículos para criar uma pré-visualização de vídeo de sua atração, que pode compartilhar com outras pessoas. Esperamos tenham curtido aprender sobre como nós desenhamos as nossas atrações. Vamos lá!