If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:4:37

Transcrição de vídeo

Até agora, nesta aula, você criou um conceito avançado que encaixa no tema de sua terra. Agora, você precisa criar uma história que realmente quer contar. Uma atração que tenha muitos efeitos e piadas poderia ser interessante, mas em Imagineering, nós queremos ir mais além. Isso porque entendemos que, para fazer uma atração realmente memorável e conectar-se emocionalmente com nossos visitantes, é importante entender que história estamos tentando contar com uma atração. A seguir, vamos falar sobre a elaboração dessa história. Toda história tem uma forma ou estrutura que chamamos de arco da história. É uma sequência de eventos que prepara a audiência para a história e como ela será contada. Isso nos leva a algumas reviravoltas inesperadas e, finalmente, tem com uma solução surpreendente, emocional e significativa no final. O arco da história é aquela narrativa contínua que explica sua história geral. É a estrutura pela qual você conta sua história, para que seus visitantes possam experimentar a atração, na forma em que você pretendia. E para fazer isso, você precisa ter um começo, um meio e um fim. E, portanto, nossas atrações são pequenas histórias, a maioria delas, sabe, tem uma duração de três a cinco minutos. E, de forma similar ao teatro, você tem a montagem. 1. Preparação Quando vai a uma atração, você quer entender quem você é, onde está entrando e aonde está indo. E depois você tem sua própria experiência. 1. Preparação 2. Vivência Como em qualquer boa história, tem um conflito e tem uma mudança. Talvez, alguma coisa dê muito errado, o que você verá intencionalmente em muitas atrações de parques temáticos, porque isso é um evento significativo que você pode utilizar para avançar rapidamente numa história. Quer dizer, você tem sua recompensa. 1. Preparação. 2. Vivência. 3. Recompensa E então queremos ter uma ótima resolução no final e rapidamente passaram seus quatro minutos. Portanto, o arco da história num parque temático é diferente do que num filme tradicional, porque você tem pouco tempo para contar sua história. Piratas do Caribe em Xangai é um típico exemplo de um arco da história. Do início, os personagens são apresentados, você vê Jack Sparrow, entra no mundo dele, de repente você sabe que ele está procurando ouro, aí você conhece Davy Jones – ele não é feliz com isso – agora temos que fugir. Há uma grande batalha. Tem briga no final e quase chegamos, mas não exatamente. Isso é um grande arco da história e é exatamente isso que você experimenta quando está na atração. Uma vez que temos o arco da história para uma atração que gostamos, nós captamos esse fluxo com alguma coisa à qual fazemos referência com vários nomes - como uma beat sheet, ou um esboço sequencial – elas são realmente a mesma coisa. É uma decomposição por cena para toda a experiência, durante e depois da duração da experiência da atração. Por exemplo, vamos dar uma olhada à atração da mansão Mystic Manor, em Disneyland de Hong Kong, onde você conhece as belas e encantadas coleções do Lord Henry Mystic. Lord Henry Mystic possui objetos requintados do mundo inteiro e ele e seu macaco, Alberto, mostram para você uma caixa de música particularmente especial, que ele devolve, mas ela é encantada. E quando Alberto a abre tudo volta à vida. Você vê como alguns desses objetos adquirem vida própria. Albert deve fechar a caixa de música e restabelecer a ordem na mansão antes que Lord Mystic o descubra. Beat sheets – também chamados de esboços sequenciais – são uma forma de levantar miniaturas, mais ou menos em ordem, que estão contando a história de sua experiência e começam no início e vão por todo o caminho até o final. E você não precisa muitas delas, mas elas atingem uma espécie de destaques ou batimentos que você deseja contar em sua atração. Portanto, eu não consigo enfatizar o suficiente sobre o que você tem que ser – mantenha-o simples. Há elegância na simplicidade. Então, é uma forma muito boa de você fazer uma instantânea do que essa experiência será, sem você entrar em qualquer gênero discursivo extenso. E é ótimo, especialmente fazendo um índice com pequenos cartões e afixando eles, essa é a forma em que nós normalmente o fazemos porque, se depois as coisas mudarem, é só tirar um cartão ou movê-lo numa ordem diferente e assim recontar sua história fica mais fácil. E alteramos a posição ou sequência deles, movemos as cenas, modificamos e refazemos até termos alguma coisa que ressoe com a equipe. Como você pode ver, conseguir uma história emocional e divertida é um processo. Geralmente, as histórias mais eficazes são aquelas que são simplificadas e fáceis de entender. E utilizar uma beat sheet ajudará você para detalhar sua história e esclarecer e entender suas ideias. No próximo exercício, você terá a oportunidade de criar uma beat sheet de sua própria atração.