If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:5:39

Transcrição de vídeo

Em Imagineering, a criação de um personagem envolve muitas pessoas, de muitos departamentos e com habilidades muito diferentes. De escultores a animadores, engenheiros, maquinistas, fabricantes e mais. com tantas pessoas misturadas, como garantir que todos tenham o mesma ideia de como o personagem ficará e se comportará? Uma das ferramentas que nós usamos se chama de folha de personagem. As folhas de personagem consistem de uma variedade de desenhos que definem como o personagem será, o que vai vestir e como vai se mover. Contêm, ainda, notas que definem a personalidade e o ambiente de um personagem, do tipo De onde eles vêm? Onde eles moram? O que eles dizem? e Como o dizem? Pense nisso como um esquema que explica todas as decisões sobre esse personagem. Para o departamento de história, uma folha de personagem é um detalhamento do que constitui esse personagem. Uma folha de personagem para a Shaman é que ela é extremadamente elegante e se move de uma forma fluída. Que ela é extremadamente expressiva e gosta de usar seu corpo. Isso faz parte de sua comunicação. Se você tem apenas um desenho para uma folha de personagem, isso é melhor do que nada, sem uma imagem. Qualquer tipo de visual sempre ajuda no desenvolvimento de sua folha de personagem. Se você for e olhar a história dos filmes de Walt Disney, voltará para coisas como Branca de Neve e a Bela Adormecida, na floresta tem sempre essas criaturas ao redor dessas princesas. Nós tínhamos essa pergunta de “Poderíamos encher nossas terras com personagens assim?” Sabe, essa ideia da inteligência das criaturas da floresta. É uma pequena coisa que vê você e ouve você, mas realmente não fala. E, sabe, entende o mundo ao redor deles, mas não tem inteligência humana de verdade? Por isso eu acho que, com uma vida minúscula, nós meio que criamos um quadro de personalidade. Então, sabíamos que queríamos expressar alguns tipos diferentes de emoção. Por isso, o que faríamos seria dizer: "Ok, queremos que pense sobre como um introvertido diria 'olá'" e articularíamos isso e faríamos uma coleção de pequenos esboços sequenciais. Como é animado? Como é triste? Como é surpreso? Como é zangado? E nós mostraríamos esses desenhos para pessoas e faríamos com que adivinhassem que emoção estávamos tentando transmitir. E as emoções que nós transmitíamos com muita, muita clareza eram adivinhadas logo pelas pessoas e nós fazíamos um círculo e dizíamos, "Oh, é assim, é assim que expressamos essa emoção.” Meu maior conselho ao criar uma folha de personagem é chegar a uma forte pergunta chave. Do tipo – o que está pensando seu personagem – descubra isso primeiro. Sabe, seu personagem está a fim de, sei lá, fazer uma sopa, não é? Então desenhe esse personagem com um caldeirão com sopa e, sei lá, uma colher grande. E está mexendo e talvez seja essa a história, mas talvez alguma coisa esteja pulando daquela sopa. Então, quando a gente estava trabalhando em Mystic Manor, tínhamos Alberto, o macaco, e sabíamos que ele seria travesso. Alberto é um personagem de bom coração, mas ele é curioso. Então, numa cena ele está abrindo a caixa de musica deixando a poeira da música escapar, porém, à medida que a história continua, continuamos colocando Alberto em mais perigo. Ele está pendurado nesse mastro, e está cutucando o dedo na boca dessa pequena bebezinha armadilha de moscas Vênus e sem que ele soubesse, a mãe armadilha de moscas está atrás de Alberto e a fim de cortar seu rabo. Você tem que ler logo "Oh Alberto vai ser atingido com um machado aqui", certo. Então nós temos o Alberto preso contra a parede, tem dardos e flechas e outras coisas prendendo ele contra a parede e um pequeno machado que acabou, sabe, não acertando em suas pernas. Isso não precisa ser um desenho bonito. Podem ser figuras de gravetos. Eu sempre senti como que eu precisava ser capaz de desenhar muito bem para fazer aquilo e eu não consigo desenhar muito bem. Então, eu uso fantochadas para, para tentar essas interações e tentar fazer um protótipo de um personagem. Então a capacidade de enrolar um pano em sua mão, para ver como alguma coisa poderia mover-se. Você pode, você pode mesmo, ir muito longe com muito pouco. Apenas serve como ferramenta para ajudar a comunicar o que está passando na cabeça do seu personagem. As folhas de personagens são particularmente úteis para desenhar figuras animatrônicas quando se trata dos movimentos que eles vão executar, como onde eles vão se inclinar, girar, esmagar ou esticar. Com animatrônicos, temos que definir com muita precisão como cada parte do personagem se moverá. Em Guardiões da Galáxia: Mission Breakout, Rocket aparece na prévia do show da atração. E ele entra e é completamente inesperado, e meio que começa a percorrer a sala. Você vê seu rabo, você vê sua mão e finalmente Rocket aparece. Ele bate sua cabeça com um tubo e começa a explicar o que está acontecendo nessa coisa e como ele precisa da sua ajuda nessa missão. Então essa é a funcionalidade que a figura do Rocket tem, certo. Ele pode, sabe, ele tem essa capacidade de curvar-se na pélvis. Ele tem a capacidade de curvar-se dentro de seu torso, a cabeça assente e vira e inclina e essas várias coisas diferentes. E usamos tudo isso junto para projetar os padrões para o que Rocket vai fazer. E finalmente com isso teremos que trabalhar na atuação real. Cada movimento que um personagem faz, desde virar a cabeça até a flexão do joelho, é chamado de função. No próximo vídeo, vamos aprofundar nos detalhes sobre essas funções. Portanto, a folha de personagem é uma ferramenta artística e, ao mesmo tempo, técnica. É o acordo entre as equipes criativa e de engenharia sobre qual será a figura. No próximo exercício, você vai ter a chance de analisar algumas fichas de personagem de Imagineering, bem como desenvolver uma para seu próprio personagem.