If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:16

Transcrição de vídeo

RKA - Olá, tudo bem com você? Nesta videoaula, a gente vai falar das palavras escritas com "AI", "EI" e "OU". Conhecidas também como "palavras ditongadas". Ou seja, palavras que possuem ditongos. Logo de cara, já acho interessante trazer um exemplo de uma palavra ditongada. A palavra "caixa" é um bom exemplo, porque na primeira sílaba dela, na sílaba "cai", a gente tem três letras, porém essa sílaba é formada por uma consoante e por duas vogais. Se a gente for prestar atenção na hora de pronunciar a palavra "caixa", a gente vai perceber que a primeira sílaba é a sílaba mais forte dessa palavra. Ou seja, é a sílaba tônica dessa palavra. A sílaba "cai". Por ser a sílaba mais forte da palavra, o ponto alto da sílaba, ou seja, o ponto em que ela fica mais acentuada, em que ela fica mais demarcada na palavra é quando a gente pronuncia a letra "a": cAixa Se a gente for prestar atenção, não só a sílaba "xa" é mais fraca por não ser a sílaba tônica, mas também, dentro da sílaba tônica... dentro da sílaba "cai" nós temos uma letra que é enfraquecida, justamente pelo ponto forte da palavra ser a letra "A". A letra "I" é enfraquecida na pronúncia "cai", e no dia a dia nós falamos "caxa", e não "caixa". Bom, a sílaba "ca" é a sílaba tônica, a sílaba forte. E a letra "I" dentro dessa sílaba acaba saindo um pouco fraca na hora de pronunciarmos. Só que a gente tem que sempre lembrar que para escrever corretamente, de acordo com a gramática, e de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa, precisamos colocar o "I" nos textos que a gente for escrever. Outras palavras que também são ditongadas podem ser formadas por sílabas com duas vogais, sem uma consoante envolvida. Vamos ver mais alguns exemplos para que isso fique mais claro. Se prestarmos atenção nas palavras "faixa" e "baixo", são palavras com ditongo. A primeira sílaba dessas duas palavras é formada por uma consoante e duas vogais "fai" e "bai". Como vimos no começo do vídeo com a palavra "caixa", as palavras "faixa" e "baixo" são palavras que nós pronunciamos diferente de como escrevemos. Mesmo que na norma padrão da Língua Portuguesa nós devamos escrever "faixa" e "baixo" com "I", a gente costuma pronunciar apenas "faxa" e "baxo". Isso porque, sendo um ditongo, a sílaba forte da palavra, ou seja, a sílaba tônica, a letra "I" acaba sumindo da pronúncia. O mesmo acontece com as palavras "canteiro" e "madeira", que possuem ditongos formados pelas vogais "E" e "I". É muito comum pronunciarmos "cantero" ou "madera", sem a letra "I", só que devemos lembrar que na escrita esse "I" precisa aparecer. O mesmo acontece com as palavras "doutor" e "besouro", que possuem ditongos com "OU". Sempre que formos escrever essas palavras, devemos prestar atenção na norma padrão da língua, pois se escrevermos como falamos, iremos escrever "dotor" e "besoro". Devemos sempre nos lembrar que escrita e fala são diferentes, e, principalmente, saber que apenas com o costume da leitura e da escrita que conseguiremos praticar e aprender. Bom, vamos ver então outro exemplo de palavras que podemos confundir na hora da escrita. Verbos no passado da terceira pessoa do singular, por exemplo, são palavras que sempre aparecem ditongadas, e, por conta, disso devemos ter cuidado para não escrevermos como pronunciamos. Palavras como "amou", "reclamou", "contou" são verbos no passado da terceira pessoa do singular. Quando eu digo "amou", eu quero dizer que aquela pessoa amou no passado. "Reclamou" é a mesma coisa, e "contou" é mesma coisa. São verbos no passado, da terceira pessoa do singular. Essa é a maneira como devemos escrever. É a nossa escrita seguindo a norma padrão da Língua. Porém, quando nós falamos no dia a dia, geralmente pronunciamos "amo", "reclamo" e "conto". Bom, para evitar esse tipo de problema na hora de nos expressarmos no dia a dia, seja escrevendo seja falando, precisamos prestar um pouco de atenção nessas palavras. Olha, por exemplo, a palavra "reclamou". A palavra "reclamou", quando eu a escrevo, eu estou querendo dizer que alguém reclamou lá no passado. Se eu por acaso escrever como eu pronuncio, "reclamo", eu vou estar querendo dizer outra coisa. A palavra "reclamou" sem o "U" quando é escrita acaba sendo lida como "reclamo", ou seja, eu tirei o passado de uma terceira pessoa e transferi para o presente de uma primeira pessoa. Percebe como muda completamente o sentido da palavra? Um outro exemplo de palavra que pode perder o sentido ou mudar o sentido, caso escrevamos como pronunciamos, é a palavra "soube". A palavra "soube" se refere ao verbo "saber". Ele soube, eu soube, você soube, do passado. Se excluirmos a letra "U" por acidente na hora de escrevermos, vamos acabar escrevendo "sobe", e não "soube". Sobe é diferente do verbo saber, porque é, na verdade, o verbo "subir", ou seja, é totalmente diferente do verbo "soube". Bom, neste vídeo a gente falou das palavras escritas com "AI", "EI" e "OU". Vimos, também, que algumas palavras, como a palavra "caixa" acabamos enfraquecendo o "I" na pronúncia e falamos "caxa". Na escrita, precisamos colocar o "I", sempre prestando atenção nisso para não estragarmos a compreensão do nosso texto. Bom, eu vou ficando por aqui. A gente encontra em um próximo vídeo Até lá, e bons estudos!