If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:20

Transcrição de vídeo

RKA12 - Bom dia! Boa tarde! Boa noite, pessoal! Hoje, a gente vai trabalhar um gênero chamado notícia. Mas a gente vai ver a notícia só direcionada para rádio e TV. Não é legal? Como que você tem se informado das coisas que estão acontecendo? É pelo jornal? É pela TV? Pela internet? Em um blog de notícias? Qual destas maneiras você tem usado para se informar? É muito importante acompanhar o que está acontecendo no país, no mundo, na cidade, para a gente ter uma opinião sobre aquilo, e conseguir conversar sobre aquele assunto, ou até mesmo conseguir achar uma solução para um problema que pode estar acontecendo. Quando a gente lê uma notícia no jornal, é o escritor que vai passar para a gente uma informação por meio da sua escrita. Mas, na TV, essa informação é passada por meio da fala. Quem passa essa informação, normalmente, é o âncora e o repórter. O âncora é quem apresenta o jornal, quem organiza o programa para a gente entender melhor o que está acontecendo. E o repórter é quem faz as matérias, as entrevistas, e tudo que estiver na reportagem. Com certeza, você já viu algum exemplo de uma notícia nesta configuração. Normalmente, o âncora está sentado ou em pé e, atrás dele, tem uma tela. Lá aparecem algumas imagens, inclusive o repórter. E, quando estes profissionais vão falar alguma coisa, eles usam a forma padrão mais formal da língua. Vamos ver uma notícia que saiu no início de 2020: "A China vai inaugurar nos próximos dias dois novos hospitais para conter o avanço do coronavírus no país". No rádio, estas informações são passadas da mesma maneira, com uma linguagem formal. Também tem o âncora ou a âncora, e o repórter ou a repórter. Como você daria esta mesma notícia a um amigo seu na escola? Você, provavelmente, usaria uma linguagem mais informal: "Nossa, Caio! Você viu que vai ter dois novos hospitais na China? É que o vírus está se espalhando, né?". Não está errado falar assim, mas esta é a maneira que a gente usa para falar com os nossos amigos, colegas, familiares, professores, no nosso dia a dia mesmo. Apesar deste jeito diferente de falar, a notícia tem uma função muito importante para a gente, que é a de passar informação. Assim, fica mais fácil de a gente ter opinião sobre as coisas. Para isso, a notícia tem que mostrar os fatos de forma imparcial. Isso significa que o jornalista tem que evitar dar a opinião dele sobre o assunto de que ele está falando, para você ver o que está acontecendo e tentar chegar a uma conclusão sozinho, com as informações que você tem. Claro que é importante a gente saber a opinião das pessoas sobre o assunto, mas a notícia precisa passar a informação de forma imparcial. Ser imparcial não é uma coisa tão fácil de se fazer. Então, isto nem sempre vai acontecer nas notícias, mas é o ideal. Isto acontece porque a linguagem é a maneira com que a gente se expressa. Ela sempre vai mostrar um pouquinho sobre o que a gente pensa. A altura da nossa voz, a escolha das palavras, o gesto que a gente faz, tudo isso é linguagem. Então, como que a gente deixa a linguagem da notícia a mais neutra possível? Tem algumas maneiras de deixar a nossa linguagem um pouquinho mais imparcial. Uma delas é ajustar a nossa entonação. Entonação é como a nossa voz varia de acordo com a ênfase que a gente quer dar a certas frases. Vamos fingir, por exemplo, que eu quero contar para um amigo que eu quero muito um cachorrinho, mas eu moro em um apartamento, por isso eu não posso ter um. Eu, provavelmente, vou falar: "Ai, eu queria tanto um cachorrinho! Mas eu não posso ter um, porque eu moro em apartamento. Mas ele é tão fofinho!". Esta é uma maneira de passar uma informação em uma conversa espontânea. Se fosse uma notícia, falaria assim: "Criança quer muito cachorro, mas não pode tê-lo pois está em apartamento e lá ele não será muito feliz". Assim, o foco principal do que eu estou falando vai ser a notícia, e não a minha emoção em relação a ela. Claro que a entonação vai variar, mas é uma variação muito menor do que uma conversa normal. Outro jeito de a gente neutralizar um pouco a nossa fala é por meio da expressão facial. Em uma conversa normal, a gente sorri, chora, faz cara de bravo. Quando um âncora vai dar uma notícia no jornal, claro que ele vai tentar ser simpático, mas mantém sempre uma cara um pouco mais séria. O nosso movimento também faz parte de mostrar imparcialidade. Em uma conversa normal, a gente pode fazer vários movimentos bem grandes e rápidos de forma bem espontânea. Mas, em uma notícia, você não quer chamar atenção para os seus gestos. Você quer chamar atenção para o fato que você está informando. Então, o ideal é você fazer movimentos curtos e mais demorados. Uma notícia não pode conter informação pessoal, então, de novo: a gente não vai colocar nossa opinião. E a gente também não vai falar na primeira pessoa. Basicamente, não vamos usar a palavra "eu". Isto porque a informação tem que chegar na gente de um jeito neutro para a gente criar a nossa opinião, lembra? E também porque o jornalista está falando com um público mais amplo, não só com os amigos ou com a família. Então, o tipo de informação da conversa normal é mais pessoal, e o tipo de informação da notícia é público. Para resumir, a notícia é um gênero que traz informação com o intuito de gerar opinião. Utiliza a linguagem mais neutra possível (normalmente com mais seriedade), e nunca na primeira pessoa. E uma estrutura muito comum de um jornal, de um noticiário, é de ter o âncora e o repórter. O âncora apresenta as matérias e organiza melhor o programa, e o repórter faz as matérias, as entrevistas e o conteúdo da reportagem. Agora, é sua vez! A gente já viu como noticiar algo para mostrar os fatos de uma maneira neutra para as pessoas. Que tal você noticiar alguma coisa que aconteceu no seu dia ou na sua semana? Ou alguma notícia mesmo que você ouviu falar? Este exercício é muito legal de fazer com um amigo ou na frente do espelho mesmo. Muito obrigada, gente! E até mais!