If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Concordância nominal: adjetivo ligado a mais de um substantivo

Nesta videoaula, apresentamos informações sobre concordância nominal, especificamente sobre os casos em que um adjetivo aparece ligado a dois ou mais substantivos. Sobre a Khan Academy: A Khan Academy oferece exercícios, vídeos e um painel de aprendizado personalizado para ajudar estudantes a aprenderem no seu próprio ritmo, dentro e fora da sala de aula. Temos conteúdos de matemática, ciências e programação, do jardim da infância ao ensino superior, com tecnologia de ponta. De graça, para todos e para sempre. #YouCanLearnAnything Se inscreva no canal! Versão original criada por Khan Academy.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA2G - Olá! Sejam todos bem-vindos à nossa aula de hoje. O ponto central da concordância nominal está aqui nesta charge. E esse é o assunto da nossa aula de hoje. Veja só o adjetivo se queixando do substantivo e dizendo: "O problema é que ele nunca concorda comigo". E ele tem toda razão, porque a função do substantivo é diferente: é nomear todos os seres vivos ou inanimadas, os objetos, os elementos naturais... E esta é a função que desempenha muito bem. Já o adjetivo tem a função de acompanhar e caracterizar o substantivo em gênero, número e até mesmo grau. É nisso que se dá a concordância entre os nomes ou concordância nominal. Proceda comigo agora à leitura do poema A Rosa de Hiroshima. "Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas não se esqueçam da rosa Da rosa de Hiroshima" Acompanha comigo que a leitura nos trouxe substantivos, que estão em rosa, e também seus respectivos adjetivos, que estão em amarelo. Esses adjetivos acompanharam os substantivos, dando-lhes uma concordância. E esta pode ser em número (singular ou plural), gênero (masculino e feminino) ou grau (normal, aumentativo e diminutivo). Este é um modelo simples, um modelo comum de concordância nominal. Agora nós vamos entender melhor os casos diferentes, em que um adjetivo liga-se a dois ou mais substantivos. Atenção para o primeiro caso: quando o adjetivo vem antes ou anteposto aos substantivos, ele geralmente concorda com o mais próximo. Vejamos o exemplo. "A secretária deixou limpa a mesa e o chão." Nós poderíamos inverter a ordem e colocar "chão" no lugar de "mesa". Assim, o adjetivo iria variar para masculino. Percebeu? Agora vamos para o segundo caso. Leia comigo a tirinha. "- Eu tenho um gato e um cachorro branco. Está certo? - O senhor é quem sabe, eu nunca vi." Destaquei para você as palavras "gato" e "cachorro" (dois substantivos) e "branco" (um adjetivo). Vamos analisar esse tipo de concordância. O adjetivo "branco" está concordando com o substantivo mais próximo, "cachorro". Por isso ele fica variável. Depende desse substantivo. Se os gêneros fossem diferentes, ele ficaria no masculino plural. Observe comigo este caso especial. Darei para você dois exemplos. No primeiro exemplo: "O lustre e o quadro eram maravilhosos." Os adjetivos "lustre" e "quadro" são acompanhados por "maravilhosos" (adjetivo). e este refere-se tanto a "lustre" quanto a "quadro", obrigatoriamente. É o mesmo caso do exemplo abaixo: "A jovem e a criança são lindas." Mesmo se os gêneros fossem diferentes ("O jovem e a criança"), o "lindos", que deveria ser modificado, estaria separado por verbos. Por isso, o adjetivo tem que se ligar aos dois, chamando-se predicativo do sujeito. Vejamos que a concordância nominal é a concordância do adjetivo com um ou mais substantivos. Neste caso, nós podemos ter um adjetivo que vem antes, concordando com o substantivo mais próximo, ou que vem depois, concordando com o mais próximo e, se tiver diferente gêneros, ficaria no masculino plural. Isso é muito importante, tanto para nossa fala diária quanto para a escrita. Atenção para o caso especial que estudamos. Então, vamos praticar?