Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Conjugação de verbos irregulares

Nesta videoaula, explicamos a conjugação de alguns verbos irregulares. Versão original criada por Khan Academy.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA2JV - Olá! Tudo bem? No vídeo de hoje, aprenderemos a conjugação de alguns verbos irregulares. Verbos como "estudar", "adorar", "comer", são tranquilos de se conjugar. mas outros, como "dizer", "caber", "pedir", geram dúvidas. Por que isso acontece? Um verbo regular obedece rigidamente a uma regra. O radical, a base de significação do vocábulo, não se altera durante a conjugação. "E qual seria o radical nesses exemplos, professor?" Para chegar ao radical, retiramos o R do final do infinitivo do verbo e também a vogal que identifica se o verbo pertence à primeira, segunda ou terceira conjugação. O que sobra é o radical. No primeiro grupo, temos os seguintes radicais: "estud", "ador", "com". Independentemente do tempo verbal, as formas desses três exemplos vão sempre permanecer sem qualquer tipo de mudança. E isso facilita nossa vida na hora de flexionar os verbos nas diferentes pessoas e tempos. Observe: "Eu estudo bastante vendo vídeos da Khan Academy." "Nós estudávamos português todos os dias." "Se eles estudassem mais, não teriam notas baixas." Viu? Mesmo em diferentes pessoas do discurso e diferentes tempos, não houve variação no radical do verbo "estudar". O mesmo acontece com "adorar" e "comer". "Minha irmã adora frutas." "Eu adorei este vídeo." "Mamãe adorará a surpresa." "Eu como frutas e legumes diariamente." "Pedro comeu um mamão inteiro." "Eles comeriam muito devido à fome que sentiam depois de nadarem." Agora, um verbo irregular sofre uma alteração no radical. Mas fique tranquilo, pois essa mudança tem um padrão. Ela acontece quando usamos o verbo na primeira pessoa do singular do presente do indicativo, na terceira pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo, e quando usamos o infinitivo para formar os tempos do futuro do indicativo. Você ainda vai aprender que essas formas são a base para a formação de outros tempos verbais, e que uma irregularidade nessas formas implica mudança também nos tempos derivados formados. Vou lhe dar exemplos. Vamos, primeiramente, aos radicais dos verbos do segundo grupo: "diz", "cab", "ped". "Eu sempre digo a verdade, mas eles dizem mentiras às vezes." Dois usos do verbo "dizer" no presente, e apenas a primeira pessoa do singular apresentou alteração no radical. Essa mudança influencia o presente do subjuntivo. Veja só: "Os pais esperam que nós digamos sempre a verdade." O verbo "dizer" também se modifica no pretérito perfeito: "Mariana e Gustavo disseram que irão à festa." Por causa disso, no futuro do subjuntivo, encontramos: "Se você disser que fica, podemos jogar bola mais um pouco." No futuro do presente, mais uma modificação: "Eu direi sempre a verdade." Agora, observe o verbo "caber": "Eu caibo naquele espaço entre as poltronas." "Espero que caibamos todos naquela sala." Percebeu a irregularidade no presente do indicativo e também no presente do subjuntivo? No passado, teremos: "As malas couberam no bagageiro do ônibus". Mas, no futuro do presente do indicativo, não ocorre a modificação: "As sacolas caberão no carro?" O verbo "pedir" é irregular apenas no presente do indicativo e, consequentemente, no presente do subjuntivo. "Eu sempre peço o mesmo suco". "Meu amigo quer que nós peçamos mais comida." Entender se um verbo é regular ou irregular depende do radical do verbo. Com os exercícios de nossa plataforma, você aprenderá ainda mais. Que tal fazê-los? Muito obrigado, bons estudos e até a próxima. Tchau!