Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Tempos verbais

Nesta videoaula, apresentamos informações sobre os tempos verbais da língua portuguesa. A Khan Academy oferece exercícios, vídeos e um painel de aprendizado personalizado para ajudar estudantes a aprenderem no seu próprio ritmo, dentro e fora da sala de aula. Temos conteúdos de matemática, ciências e programação, do jardim da infância ao ensino superior, com tecnologia de ponta. De graça, para todos e para sempre. #YouCanLearnAnything Se inscreva no canal! Versão original criada por Khan Academy.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA2G - Olá, tudo bem com você? Na aula de hoje, a gente vai falar sobre os tempos verbais. Com os tempos verbais, conseguimos identificar o momento do fato que está sendo narrado. Ou seja, se esse fato está no passado, no presente ou no futuro. Como, por exemplo, na frase: "Eu viajei para outro país no ano passado." Ou, como por exemplo, a frase: "Eu viajo toda semana." Ou ainda com a frase: "Eu viajarei para outro país no próximo ano", que, por conta da forma verbal "viajarei", é uma frase que está no futuro. Antes de darmos atenção aos exemplos deste vídeo, vamos identificar, em uma tabela, os diferentes tipos de tempos verbais. Como vimos logo no começo do vídeo, temos o presente, o passado (que pode ser reconhecido como "pretérito") e o futuro. Porém, além disso, dependendo da frase e do sentido que queremos dar a ela, precisamos utilizar variações de algumas dessas conjugações. Por exemplo, no caso do pretérito, nós temos o pretérito imperfeito, o perfeito e o mais-que-perfeito. Já no caso do futuro, temos o futuro do presente e o futuro do pretérito, ou seja, o futuro do passado. Vamos ver alguns exemplos para que consigamos compreender melhor como funciona o presente, o pretérito (e suas diferenciações) e o futuro. O presente, como já vimos neste vídeo, é aquele tempo verbal que utilizamos quando queremos expressar algo que está acontecendo agora, ou indicar uma rotina. Ele surge em frases como: "Minha avó vai ao supermercado toda semana." Nesta frase, nós temos um verbo flexionado no presente do singular da terceira pessoa. Isso porque, com a forma verbal "vai", a frase está expressando algum acontecimento do momento presente. Já no segundo exemplo, temos uma frase com um verbo flexionado, também, no presente: "Todos os dias eu como banana com aveia no café da manhã". O verbo "comer" está sendo flexionado, também, no presente. Isso porque estamos tratando, não de algo que está acontecendo agora, mas sim de algo que, sempre que o momento narrado chega, acontece no presente. Ou seja, sempre que chega o café da manhã, eu como banana com aveia. Caso esta palavra estivesse flexionada no passado, por exemplo, no pretérito, ela poderia aparecer desta forma: "comia". Desta forma, eu estaria dizendo que não como mais banana com aveia no café da manhã, mas que comia no passado. Entendeu? Já o pretérito é um pouco diferente do presente. Isso porque ele trata, não do que está acontecendo agora, mas sim, do que já aconteceu. As frases com verbos no pretérito servem para indicar algo do passado. Além disso, é importante que a gente saiba, antes de entrar nos exemplos do pretérito, que ele possui algumas variações. Como, por exemplo, o pretérito perfeito, imperfeito e mais-que-perfeito. Quando nós vamos falar de algo que aconteceu, podemos, muito bem, falar algo que, na verdade, poderia ter acontecido. No primeiro exemplo, nós temos a seguinte frase: "Eu fazia patinação artística quando era criança". Neste caso, temos uma frase no pretérito imperfeito. O verbo "fazia" está aqui no passado, ou seja, no pretérito. E eu sei que ele está no pretérito imperfeito por conta da sua conjugação: "Eu fazia patinação artística quando era criança." O pretérito imperfeito é fácil de ser distinguido porque ele fala de um passado e de um passado aparentemente distante, como se a gente estivesse lembrando de algo que acontecia há muito tempo. Já a frase "Eu comprei esta blusa na semana passada" é uma frase que possui o verbo "comprar" no pretérito perfeito, se tornando, então, "comprei". É como se o perfeito nos mostrasse algo que aconteceu e o imperfeito descrevesse rotinas do passado, ações com certa duração no passado ou, ainda, lembranças. No terceiro exemplo, temos a seguinte frase: "Quando notei, a água já transbordara da banheira". A palavra "transbordara", do verbo "transbordar", está surgindo, aqui, no pretérito mais-que-perfeito. O verbo flexionado no pretérito mais-que-perfeito se refere a algo que aconteceu antes mesmo de uma outra ação passada. Como no caso desta frase, em que lemos: "Quando notei, a água já transbordara da banheira". Ou seja, quando notei (no pretérito perfeito), a água já transbordara (no pretérito mais-que-perfeito) da banheira. É como se estivesse narrando um passado do próprio passado. Compreendeu? O futuro é outro tempo verbal ao qual estamos acostumados. Com verbos no futuro, conseguimos expressar aquilo que vai ou que pode acontecer. Além disso, como no pretérito, o tempo verbal futuro tem, também, algumas variações, como o futuro do presente ou o futuro do passado (no caso, do pretérito). No primeiro exemplo, temos o trecho: "Caminharemos 40 quilômetros no percurso de amanhã." O verbo "caminharemos", que vem da palavra "caminhar", está aqui flexionado no futuro do presente. Isso porque tratando de algo que poderá ocorrer no futuro (no caso, amanhã), uma ação diretamente posterior ao momento presente. Já no segundo exemplo, nós temos o trecho: "Eu tocaria guitarra no conjunto se tivesse essa oportunidade." A palavra "tocaria", do verbo "tocar", é o que nos mostra, nesta frase, que temos um futuro do pretérito inserido. Isso porque ela nos remete a algo que poderia ter acontecido após uma situação passada. Percebe? É como se houvesse uma condição do passado que garantisse uma ação no futuro. Neste vídeo, nós vimos os tempos verbais. São muitas as possibilidades de flexionarmos os verbos. A única forma de compreendermos muito bem essas conjugações verbais é estudando a nossa língua portuguesa e, principalmente, lendo e escrevendo com frequência. A gente se encontra no próximo vídeo. Até lá e bons estudos!