Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Uso da vírgula em adjunto adverbial deslocado

Nesta aula, apresentamos situações em que a vírgula é utilizada para marcar adjunto adverbial deslocado. Versão original criada por Khan Academy.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

[RKA20C] Olá! Tudo bem? Bem-vindos a mais um vídeo aqui na Khan Academy Brasil. Você já deve ter ouvido falar que, quando usamos uma vírgula, fazemos uma breve pausa para respirar. Não é bem assim. A vírgula é um recurso bastante útil para ajudar a manter a ordem sintática das informações na frase. Na língua portuguesa, temos uma ordem básica em que colocamos os termos sintáticos para que a informação seja construída de etapa em etapa. Chamamos isso de ordem direta. É como se usássemos caixinhas de informação. A primeira caixinha é o sujeito, o assunto sobre o qual vamos falar. A segunda caixinha é o verbo, que pode ser uma ação relacionada a esse sujeito, ou até mesmo servir de ligação entre uma característica e um sujeito. Depois do verbo, colocamos a terceira caixinha. Os complementos do verbo ou do sujeito. A frase ainda tem mais uma quarta caixinha de informação, os adjuntos adverbiais. Nome bonito, não? Vou te explicar o que eles são. Adjuntos adverbiais são palavras ou expressões que apresentam uma circunstância ao verbo. Pode ser a indicação de um lugar em que a ação aconteceu, o tempo, o modo, e várias outras possibilidades. Observe o exemplo: "Ayrton Senna vence corrida em São Paulo." Nesta manchete de jornal, estamos falando do grande e saudoso piloto Ayrton Senna, o nosso sujeito apresentado na primeira caixinha. Em seguida, vemos que ele fez uma ação: vencer. Lembra que a segunda caixinha é o verbo, não? Sabemos o que ele venceu observando a terceira caixa de informação. Ou seja, a corrida. Por fim, sabemos, por meio da quarta caixa, que essa corrida aconteceu em São Paulo. É muito comum no dia a dia, inclusive nos meios de comunicação, mudar a posição do adjunto adverbial para criar efeitos e sentidos diferentes. Se tivéssemos: "Em São Paulo, Ayrton Senna vence corrida", a ênfase seria maior na cidade em que aconteceu a corrida. A vírgula, dessa forma, serve para organizar a leitura, mostrando que houve um deslocamento. O leitor, ciente do uso da vírgula, consegue manter a ordem das caixinhas. Uma vez identificado o adjunto adverbial, se eu ler a frase pulando o termo isolado e colocá-lo na caixinha final, temos novamente a ordem direta da frase. Então, veja de novo a frase: "Em São Paulo, Ayrton Senna vence corrida." Vamos pular o termo "Em São Paulo" e colocá-lo na caixinha final. "Ayrton Senna vence corrida em São Paulo." Viu que voltamos a ter a frase na ordem direta? Outra possibilidade é ter o adjunto adverbial deslocado para o meio da frase. Observe este exemplo: "MEC divulga, na próxima semana, resultados do ENEM". Neste exemplo, o MEC, Ministério da Educação, é o nosso sujeito. Portanto, o assunto da manchete. É atribuído a ele uma ação. No caso, "divulgar". O que complementa essa ação é caixinha com "resultados do ENEM". Percebeu agora como a informação com a data da divulgação não ocupa a caixinha final? Para marcar esse deslocamento para o meio da frase, usamos uma vírgula antes e outra depois do termo. Se lermos a frase pulando o termo deslocado, temos a ordem direta. Esse adjunto adverbial pode até ser uma oração, como no exemplo a seguir: "Se vencer no Brasil, Hamilton conquistará novo título mundial". Viu a vírgula? Neste caso, ela marca um deslocamento de uma oração que expressa uma circunstância de condição para o novo título do piloto inglês. Vale lembrar, no entanto, que o uso da vírgula é facultativo em adjuntos adverbiais curtos, aqueles de até três palavras. Exemplo: "O Museu da Língua Portuguesa inaugura hoje exposição sobre variações linguísticas." Tanto faz se o adjunto adverbial "hoje", deslocado para o meio da frase, estiver ou não isolado pelas vírgulas. Por ser curto, é uma opção de quem escreve, isolá-lo ou não. Preste atenção sempre que estiver lendo. Tenho certeza de que será mais fácil compreender o significado das notícias e textos jornalísticos em geral a partir do que aprendemos hoje. Muito obrigado, bons estudos e até a próxima! Tchaaau!