If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Limites de funções combinadas: função definida por partes

Mesmo quando os limites de duas funções não existirem em um ponto, o limite de sua soma ou produto ainda pode existir.

Quer participar da conversa?

  • Avatar marcimus pink style do usuário matheus cantu
    this video doesn't appear to brazilian people, and its very important to complete this module
    (4 votos)
    Avatar Default Khan Academy avatar do usuário
  • Avatar blobby green style do usuário Cristino CG
    Mas isso contradiz os conceitos aprendidos na primeira aula da propriedade dos limites.
    Se o limite da soma das funções é igual a soma dos limites individuais nenhuma teria limite porque o limite individual de f(x) não existe porque os limites laterais são diferentes...
    (1 voto)
    Avatar Default Khan Academy avatar do usuário
  • Avatar blobby green style do usuário mariapaulamsossai
    oi, tudo bem? fiquei com uma dúvida no terceiro exercício de "Limites de funções combinadas: produtos e quocientes". O resultado obtido foi 1/0, o que quer dizer que o limite não existe, mas vocês afirmaram na resolução que como não chegou ao resultado 0/0, o limite não existe. Gostaria então de saber como resolver se o resultado tivesse sido 0/0. E também se tanto 1/0 e 0/0 são indeterminações? Desde já agradeço!:)))
    (1 voto)
    Avatar Default Khan Academy avatar do usuário
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA4JL - Calcule estes três limites. Como sempre, sugiro que você pause o vídeo e tente fazer. Vamos começar pelo primeiro: limite de f(x) mais g(x) quando x tende para -2. Podemos calcular cada um dos dois limites para f e para g e depois somar os dois. Mas nós podemos encontrar um pequeno problema aqui. Quando x tende a -2 na função f(x), olhando aqui no gráfico parece que quando vamos nos aproximando de -2 para x pela esquerda a função parece tender a 1, mas se x tende a 1 pela direita, para f(x), parece que o valor da função tende a 3. Então o limite de f(x) quando x tende a -2 não existe e o mesmo acontece para g. Quando x tende a -2 na função g pela direita, o valor da função tende a 1. Mas quando x tende a -2 pela esquerda, a função tende a 3, então o limite de g(x) quando x tende a -2 não existe. Contudo, calculando separadamente os limites pela esquerda e pela direita, podemos chegar a alguma conclusão. O limite com x tendendo ao -2 pela esquerda do f(x) mais g(x) e o limite do f(x) mais g(x) quando x tende a -2 pela direita. Vamos calcular aqui. Olhando para f quando x tende a -2 pela esquerda, f tende a 1 e g(x), quando x tende a -2 pela esquerda, o valor do g tende a 3. Desta forma esse primeiro limite vale 1 mais 3, que é 4. Agora, esse limite quando x tende a -2 pela direita em f nós vemos que quando x se aproxima de -2, f tende a 3 e em g quando x se aproxima -2 pela direita, g tende ao valor 1. Com isso, o limite que nós estávamos procurando de f(x) mais g(x) com x tendendo a -2 existe e vale 4. Agora o outro exemplo. Com x tendendo a 1 vamos fazer a mesma coisa que já fizemos. Olhando para f, quando x se aproxima de 1 pela esquerda ou pela direita temos valores diferentes para os quais f tende. Então esse limite não existe, mas o limite para a soma pode existir, assim como aconteceu no item anterior. Então vamos analisar o limite quando x tende a 1 pela esquerda do f(x) mais g(x). Para f, quando x se aproxima de 1 pela esquerda, f tende a 2. Agora, na função g, quando x tende a 1 pela esquerda, g tende a zero. Então o limite da soma com x tendendo a 1 pela esquerda vai ser 2. Agora o limite quando x tende a 1 pela direita do f mais g, vamos olhar para f. Quando x tende a 1 pela direita, f tende a -1. Por outro lado g, quando x tende a 1 pela direita, g tende a zero. Então o limite da soma é a soma dos limites e aqui vai dar -1, diferente do anterior, já que o limite pela esquerda e o limite pela direita são diferentes, esse limite do segundo exemplo não existe. O último exemplo: limite com x tendendo a 1 de f(x) vezes g(x). Vamos fazer a mesma coisa e ver os limites laterais. Quando x tende a 1 pela esquerda do f(x) vezes g(x), para f(x) quando x tende a 1 pela esquerda, f tende a 2. Em g, quando x tende a 1 pela esquerda, g tende a zero, e 2 vezes zero é zero. O limite do produto é o produto dos limites. Agora olhando o limite quando x tende a 1 pela direita de f vezes g, para f quando x tende a 1 pela direita, f tende a -1, porém, para g, quando x tende a 1 pela direita, g tende a zero. Agora -1 vezes zero dá zero. Então o limite com x tendendo a 1 pela esquerda e pela direita é igual. Assim, o limite com x tendendo a 1 de f vezes g vale zero. E existe. Estes três foram bons exemplos para você verificar que às vezes o limite de um componente não existe, mas o limite do cálculo todo é possível de ser encontrado. Até o próximo vídeo!