Tempo atual:0:00Duração total:6:06
0 pontos de energia
Transcrição de vídeo
ENSINO HÍBRIDO DE ALTA QUALIDADE Na questão de hardware, nós não vamos nos aprofundar tanto, porque muitas decisões partem do senso comum, e a realidade dessa área muda a cada 6, 12 meses. Mas queremos dar dicas para que você tome decisões. A primeira dica é que o programa utilizado vai influenciar no tipo de hardware. Ao inserir um programa flex ambicioso, em que as crianças passam o tempo que quiserem online, será necessário individualizar. Já em rotações por estações, com três apenas rotações, um computador pode atender a cada três alunos. Mas é O modelo que determina o equipamento. De um jeito ou de outro, será necessário ter velocidade de internet. Nossos amigos da Education Superhighway recomendam que se tenha 100MB por segundo para cada mil alunos. É uma boa recomendação. De outra forma, o modelo pode empacar. Isso. Acessando o site da Education Superhighway você vê a seção de testes, em que pode saber se o que tem serve para o seu modelo. As redes é que parecem dar mais problemas, com pouco espaço na entrada ou configuração ruim. Tem que pensar também em carga, em pontos e segurança. Temos visto escolas deixando o modelo fixo de computadores de mesa, com cabos de internet, mas que hoje usam mais laptops e tablets e estações para recargas, que pode durar um dia. E ter bateria por um dia é algo essencial para os modelos de ensino híbrido. As escolas pensam em recargas de formas diferentes. Se os aparelhos ficam na escola, cada aluna pluga antes de ir embora e o professor se certifica se estão carregados ao chegar. Mas se os alunos levam para casa, cria-se uma rotina que exige que eles recarreguem e tragam pronto para o uso. Confiar apenas nos alunos nesse caso talvez não funcione tão bem. Tenha um plano reserva. Separe uma sala ou local para recargas para aqueles alunos que se esqueceram de recarregar em casa. Sobre o equipamento, suas opções serão: desktop, laptop ou tablet. Nós não estamos aqui para fazer propaganda. Não temos ligações nem interesses relacionados a qualquer produto. Mas temos visto as escolas adotando o chromebook. Há pesquisas acadêmicas na área de ensino híbrido e vemos que ele se tornou uma tendência. A razão para isso é que o chromebook é mais acessível que as outras opções. Ele custa US$ 250.00 nos EUA, e também é fácil para gerir um ambiente de ensino híbrido. A bateria dura um dia. Você não precisa se preocupar tanto com recarga de energia. E por salvar em nuvens, eles podem ser trocados. É possível usar um chromebook e pular para outro e começar de onde parou. Por isso seu uso é comum hoje no ensino híbrido. O lado negativo do chromebook é que ele requer internet sem fio para que funcione ao máximo. Se em sua escola o wi-fi é bom, pode ser uma opção. Certifique-se de que o software seja compatível com ele, pois ele tem que rodar pela internet. Se usar no navegador, o chromebook é ideal. Há muitas escolas usando iPads, que são atraentes. É fácil gostar de um tablet e usá-lo como computador, pois a leitura fica mais fácil. Para os menores, é mais intuitivo, pois eles usam apenas a tela, ao contrário do laptop. Além disso, muitos dos apps que surgem são apenas para aparelhos móveis, o tablet, que se tornam necessários. As pessoas se apaixonam pelos tablets. Eu também gosto deles, e eles são melhor utilizados pelas crianças do jardim, pré, primeiro e segundo anos. Na minha escola, o que eu tenho visto muito do terceiro em diante, ou até do segundo, é que os alunos preferem um teclado físico. É mais fácil para digitarem orações completas, parágrafos redação, trabalhos e relatórios. Pense no fator custo ao comparar tablets e computadores, mas também considere o fator teclado, pois os alunos que produzem mais conteúdo, segundo as próprias escolas, necessitam de teclados, pela dificuldade de digitar um trabalho no touch screen. E anexar um teclado ao tablet pode sair mais caro que um chromebook, que é mais acessível e traz isso. Algo a se pensar é como gerenciar os sistemas dos aparelhos. A Google faz isso muito bem com o chromebook ao oferecer um centro de gerenciamento de sistemas que permite ao administrador atualizar todos os aparelhos em sincronia, com marcadores, dentre outras coisas, que é bem fácil de atualizar. As escolas se sentem tentadas a comprar netbooks ou computadores pelos valores de compra, que são sempre atraentes. Mas elas não levam em conta a manutenção desses aparelhos. A cada novo software a ser instalado, a equipe técnica tem que ir em cada computador para atualizar, e isso se torna um problema ao pensar em 30, 40, 100 alunos por escola. Então, é muito importante pensar nos custos de serviços ao considerar que aparelho adquirir. Pense no custo total. E novamente citamos o chromebook, pois ser bem mais acessível considerando todo o custo envolvido na vida útil do aparelho. Há tarefas que exigem computadores mais potentes. Ao usar o AutoCAD ou editar vídeos, talvez precise de máquinas exclusivas, que rodem também Photoshop, que exige do computador. Mas se não for o caso, há opções melhores aos computadores antiquados.