If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

História dos espelhos

Neste artigo tratamos do desenvolvimento dos espelhos ao longo da história. Abordamos também os tipos de espelhos que existem atualmente.

Introdução

Imagino que você já tenha visto seu reflexo em um espelho, seja em um espelho de verdade, seja o reflexo em um vidro, na água ou na câmara fotográfica de um celular.
Acertei?
Ao longo da história da humanidade, acredita-se que a primeira vez que uma pessoa observou sua própria imagem foi por meio de seu reflexo na água.
Aliás, existe na mitologia grega um mito que cita a visão do próprio reflexo, o mito de Narciso.
Segundo esse mito, ao se abaixar em uma fonte para beber água após uma fatigante caçada, Narciso deparou-se com seu reflexo e caiu de amores. Como esse amor não foi correspondido, pois se tratava apenas de seu reflexo na água e não de outra pessoa, Narciso morreu de tristeza.
Figura 1: Narciso, pintado por Caravaggio por volta de 1595. Crédito: Masur, domínio público. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Narcissus-Caravaggio_(1594-96).jpg. Acesso em: 14/01/2019.
Os espelhos possuem vários usos e significados.
Entre as diversas utilizações podemos citar, por exemplo, tornar a direção mais segura pelos espelhos retrovisores, permitir a visão dos dentes do fundo da boca pelo dentista e ampliar ambientes.
Entre os significados mais comuns associados aos espelhos temos, por exemplo, o autoconhecimento, a vaidade e a proteção.
O aspecto ligado à vaidade extrema está presente no conto de fadas da Branca de Neve e os sete anões, publicado pelos irmãos Grimm entre 1817 e 1822.
Nesse conto, a rainha e madrasta da Branca de Neve possui um espelho mágico que responde com sinceridade às suas perguntas.
Todo dia a rainha consultava o espelho, perguntando quem era a pessoa mais bela do mundo, ao que ele respondia confirmando que era ela. Até que Branca de Neve cresceu e tornou-se, aos olhos do espelho, mais bela que a rainha.
Quando o espelho respondeu que Branca de Neve era a mais bela do mundo, começou a confusão.
Se você ainda não conhece essa história, pode lê-la no site Histórias dos irmãos Grimm
Figura 2: Branca de Neve, sua madrasta e o espelho mágico. Crédito: Jennie Harbour, domínio público. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Magic_mirror.jpg. Acesso em: 14/01/2019.
Vamos ver agora a história do desenvolvimento dos espelhos.

História dos espelhos

Depois dos espelhos d'água, começaram a surgir os espelhos metálicos.
Segundo pesquisadores e historiadores, um dos primeiros espelhos de que se tem notícias foi encontrado na região do Egito antigo e datado de aproximadamente 3 mil anos antes de Cristo.
Naquela época, eles eram redondos e feitos de bronze polido, refletindo uma imagem completamente distorcida.
Figura 3: Armadura tibetana com espelho de bronze em forma de disco no peito. Crédito: LordAmeth, CC-BY-SA-2.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Antique_chainmail_armour_with_mirror.jpg. Acesso em: 14/01/2019.
Pesquisadores encontraram um espelho de bronze com as mesmas características na China, datado de 2 mil anos antes de Cristo.
Os espelhos dessa época eram geralmente bem pequenos, cabendo na palma da mão. Alguns possuíam um orifício que permitia pendurá-los em objetos, nas mãos e até no pescoço.
Depois deles foram desenvolvidos os espelhos de vidro, mas não existe um consenso entre os pesquisadores de quando e onde.
Alguns acreditam que foi onde hoje é o Líbano. Outros que foi na Itália, mais precisamente em Veneza.
De qualquer forma, os primeiros espelhos de vidro foram feitos a partir de uma mistura de estanho e mercúrio ou apenas chumbo derretido, aplicados sobre o vidro.
No entanto, o uso do mercúrio – que é tóxico – causava vários problemas.
Em 1373, em Veneza, a prata foi introduzida na produção de espelhos, mas ainda em conjunto com o estanho e o mercúrio. Isso melhorou em muito a nitidez das imagens refletidas.
Veneza acabou, então, tornando-se uma das maiores produtoras de espelhos em uma supremacia que durou quase dois séculos.
Figura 4: Espelho veneziano de 1590. Crédito: sailko, CC-BY-SA-3.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Venezia,_specchio_da_tavolo,_1590_ca..JPG. Acesso em: 14/01/2019.
O uso da prata química para a produção de espelhos foi iniciado apenas no ano de 1835. Foi a partir disso que o espelho ficou mais barato e se tornou mais popular.

Os espelhos de hoje

Os espelhos atuais possuem diferentes formas e funções.
Existem espelhos curvos, espelhos de aumento, espelhos usados para a construção de telescópios, espelhos de dentista etc.
Espelhos que deformam o corpo, usados principalmente nos parques de diversão.
Figura 5: Espelho curvo. Crédito: Ranjithsiji, CC-BY-SA-3.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Traffic_Mirror_at_Curve.JPG. Acesso em: 14/01/2019.
Figura 6: Espelho de aumento. Crédito: Mattia Luigi Nappi, CC-BY-SA-3.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Magnifying_cosmetic_mirror.jpg. Acesso em: 14/01/2019.
Figura 7: Ilusões criadas por espelhos. Crédito: Keppler, Udo J., 1872-1956, artist, domínio público. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Uncle_Sam_gets_a_reassuring_view_of_what_the_new_tariff_will_do_to_him_-_Kep._LCCN2011649596.jpg. Acesso em: 14/01/2019.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.