If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:38

Transcrição de vídeo

RKA - Olá, meu amigo ou minha amiga! Tudo bem com você? Seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. Nessa aula vamos conversar sobre o movimento aparente do Sol visto por uma pessoa que se encontra exatamente no Polo Sul. E também como isso está diretamente relacionado com a inclinação do eixo de rotação da Terra. Provavelmente você já sabe que o eixo de rotação da Terra é inclinado e como isso interfere diretamente na forma como a luz do Sol atinge os paralelos da Terra ao longo do ano. Que tal se a gente tentasse relacionar essas ideias com a observação do movimento aparente do Sol visto por alguma pessoa que se encontra exatamente no Polo Sul. Por exemplo, uma pessoa que se encontra na Antártida estaria no Polo Sul. Então como as pessoas que estão nesse Polo enxergariam o movimento aparente e diário do Sol ao longo de um ano? Para conversar sobre isso, eu vou colocar do lado esquerdo um esquema com o Sol e a Terra. Eu vou deixar a Lua um pouquinho de fora, porque o seu movimento não vai interferir nas coisas que estamos observando. Repare que eu tenho quatro posições que a Terra vai estar ao longo de um ano. Aqui eu tenho o solstício, que marca o início do verão no Hemisfério Sul. Aqui eu tenho o equinócio, que marca o início do outono no Hemisfério Sul. Aqui eu tenho o solstício, que marca o início do inverno no Hemisfério Sul. Aqui eu tenho o equinócio, que marca o início da primavera no Hemisfério Sul. Depois, a gente volta novamente para o ponto que marca o início do verão. Eu estou falando sobre o Hemisfério Sul porque grande parte do Brasil se encontra no Hemisfério Sul. Do lado direito, eu tenho um esquema que mostra uma região do solo onde uma pessoa se encontra e está observando o movimento aparente do Sol ao longo do dia, e também ao longo de um ano. Essa pessoa está exatamente no Polo Sul. Vamos dizer que ela está virada para o Polo Norte. Só que isso é um pouquinho mais complicado, porque essa pessoa já está no Polo Sul. Então independentemente do lado que ela se encontra, vai estar virada para o Polo Norte o tempo todo. Mas só para compreender um pouquinho as coisas, vamos dizer do lado direito dela é onde o leste vai estar, e aqui do lado esquerdo é onde o oeste vai estar. Estamos fazendo isso apenas para gente ter uma referência e observar o nascer e o pôr do Sol . Do Polo Sul nós vamos observar uma coisa muito interessante. Porque o Sol nunca vai estar exatamente acima das pessoas. Ele meio que vai circular o céu, próximo à linha do horizonte. Isso porque a luz do Sol nunca vai vir diretamente para o Polo Sul, ou seja, sua trajetória aparente nunca vai passar exatamente acima do Polo Sul. Mas para compreender isso, vamos comparar as posições da Terra em relação ao Sol, e como isso afeta a posição aparente do Sol no céu visível aqui do Polo Sul. Quando a Terra está aqui, nessa posição, nós temos o equinócio de outono. Nesse dia, a luz que vem diretamente do Sol passa sobre a Linha do Equador. Isso não significa que outros pontos da Terra não recebem a luz do Sol. Recebem sim, mas para alguém que está aqui na Terra vai ver o Sol se movimentando ao longo da Linha do Equador. Ou seja, a trajetória seguida pelo movimento aparente do Sol vai passar sobre a Linha do Equador. Além disso, nesse dia o Sol ilumina os dois hemisférios da Terra de forma igual. Porém, para alguém que está aqui no Polo Sul, mal consegue ver o Sol passando pela Linha do Equador. É quase como se o Sol estivesse se pondo no horizonte o tempo todo. Ele circula o céu nessa posição ao longo de todo o dia. A partir desse dia, enquanto a Terra vai girando ao redor do Sol, e a posição aparente do Sol vai aproximando do Trópico de Câncer, começamos a ter noites de 24 horas aqui no Polo Sul. Já que o Polo Sul nunca vai receber a luz do Sol. Já que a inclinação da Terra não permite isso. Um detalhe, pode até receber um pouquinho da luz do Sol, mas isso é devido a um outro fenômeno, um fenômeno conhecido como refração, mas isso é uma história para um outro momento. Considerando apenas o que nós estamos observando aqui, o Polo Sul não vai receber a luz do Sol. Quando a Terra está nessa outra posição, no solstício de inverno, nós temos a luz que vem diretamente do Sol, passando exatamente sobre o Trópico de Câncer. Nesse período ainda teremos noites de 24 horas no Polo Sul. Isso só começa a mudar quando a Terra chega nessa outra posição, quando teremos o equinócio de primavera. Nesse ponto, a trajetória aparente do Sol está passando acima da Linha do Equador novamente. O Polo Sul recebe um pouquinho da luz solar, e quem está nesse lugar da Terra vai ver o Sol circulando a linha do horizonte, como se ele quisesse nascer a todo momento. À medida que os dias vão passando, o Sol vai aparecendo cada dia mais acima da linha do horizonte. Isso vai acontecer até o solstício de verão, que acontece quando a Terra está nessa posição. Nesse dia temos o Sol circulando o céu e permanecendo visível durante 24 horas. O legal é que em algumas regiões próximas ao Polo Sul, temos lugares, por exemplo, a Noruega, que recebem a luz do Sol durante 24 horas nessa época do ano. Inclusive esse fenômeno costuma ser chamado de Sol da meia-noite. Já que mesmo sendo meia-noite ainda é possível observar o Sol no céu. Sem dúvida, isso é um fenômeno muito legal de se observar. Mas continuando aqui. Depois do solstício de verão e, à medida em que a Terra vai se movimentando ao redor do Sol, uma pessoa que está no Polo Sul vai ver o Sol novamente começando a se aproximar da linha do horizonte até o dia que a Terra está nessa posição. Não se esqueça que essa posição marca o equinócio de outono, que é quando a trajetória aparente do Sol está passando pela Linha do Equador. Novamente teremos o Sol quase se pondo na linha do horizonte. A partir desse dia temos novamente as longas noites do sul. O ciclo se reinicia. Meu amigo ou minha amiga, eu espero que você tenha compreendido tudo direitinho o que a gente conversou. Mais uma vez, eu quero deixar um grande abraço para você. Até a próxima!