If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:59

Transcrição de vídeo

RKA - Olá, meu amigo ou minha amiga! Tudo bem com você? Seja muito bem-vindo e bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. Nessa aula, nós vamos conversar sobre o nascente o poente do Sol, as suas periodicidades e as variações do movimento aparente do Sol. Como você já sabe, o nascer e o pôr do Sol ocorrem devido ao movimento de rotação da Terra ao redor de si mesma, em torno de uma reta imaginária conhecida como eixo de rotação. À medida em que a Terra vai girando, a posição aparente do Sol na esfera celeste vai se alterando. Normalmente, o Sol nasce próximo ao leste e se põe próximo ao oeste. No entanto, devido à inclinação do eixo de rotação da Terra, e devido ao movimento de translação, à medida em que o ano vai passando, a posição do nascente e do poente do Sol vai se alterando. Uma coisa é certa, o Sol sempre vai nascer mais ao leste e se por mais a oeste. Mas não é sempre que nasce exatamente no leste e se põe exatamente no oeste. Na verdade, isso só acontece em dois dias ao longo do ano. Inclusive, nesses dias, ocorre o que nós chamamos de equinócios. Um detalhe muito legal é que os equinócios marcam o início da primavera e o início do outono. Tirando esses dois períodos, o Sol nasce sempre um pouquinho mais afastado do leste e se põe um pouquinho mais afastado do oeste. Essa distância entre esses dois pontos cardeais vai aumentando e diminuindo ao longo do ano. Mas como exatamente isso acontece? Quando estamos no início da primavera temos o Sol realmente nascendo do leste. À medida em que os dias vão passando, vamos passando pela primavera até chegar o verão. Ao longo de todo esse tempo, a cada dia o Sol vai nascendo em um ponto cada vez mais distante do leste, um pouquinho mais para o sul, até chegar no ponto mais afastado. Esse ponto marca o início do verão e é conhecido como o solstício de verão. O tempo continua passando. À medida em que os dias vão passando, o Sol novamente vai nascendo cada vez mais próximo do leste. Até novamente nascer exatamente no leste, esse dia marca o início do outono e é conhecido como equinócio de outono. Os dias continuam passando, e cada dia o Sol nascendo mais ao norte do leste. Até chegar em um ponto em que ele nasce bem distante do leste, que inclusive, temos o início do inverno. Por isso que, nesse dia, nós vamos ter algo conhecido como o solstício de inverno. Após esse dia, o Sol vai voltar a nascer cada vez mais próximo do leste, até chegar o dia em que ele novamente nasce exatamente no leste. Novamente vamos ter um outro equinócio, o equinócio de primavera. Marcando com isso, o início da primavera. O ciclo se reinicia. Perceba, meu amigo ou minha amiga, que ao fazer isso foi preciso observar o nascer do Sol ao longo de um ano inteiro. E passar por todas as estações. O legal é que o mesmo acontece com o poente do Sol. O Sol se põe exatamente no oeste apenas duas vezes por ano, no equinócio de primavera e no equinócio de outono. Nos demais dias, ele se põe mais afastado do oeste, sendo mais ao sul no solstício de verão, e mais ao norte no solstício de inverno. Enfim, o que é preciso ficar bem claro para você é que a posição do nascente e do poente se alteram ao longo do ano. Mas uma coisa é fato, o Sol sempre vai nascer mais ao leste e se pôr mais a oeste. Enfim, meu amigo ou minha amiga, eu espero que você tenha compreendido tudo direitinho até aqui. E mais uma vez, eu quero deixar para você um grande abraço! Até a próxima!