If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Máquinas fotográficas | Parte I

Nesta videoaula apresentamos a evolução do funcionamento das máquinas fotográficas. Terminamos o vídeo mostrando como montar uma máquina fotográfica em casa.

Transcrição de vídeo

RKA6MP - Olá, meu amigo ou minha amiga! Tudo bem com você? Seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. Nesta aula, vamos conversar sobre as máquinas fotográficas e a evolução desses tipos de equipamentos que têm como objetivo principal registrar momentos através de imagens. E, por falar nisso, a primeira coisa que a gente pode conversar aqui é a importância do registro, principalmente através de imagens. Desde a Pré-História, o ser humano busca realizar o registro de momentos ou situações através de uma imagem. A gente pode observar esses registros milenares em cavernas através da arte rupestre, que são registros realizados nas paredes dessas cavernas e que foram feitas há mais de 17 mil anos e em diversas partes do mundo. Essa imagem que coloquei para você é de um registro encontrado em um complexo de cavernas na França. Ela é bem interessante porque mostra o registro através de imagens de cavalos, bois, cabras e diversos outros animais. O registro realizado pelos seres humanos é importante porque conta a história de um povo, conta a história de uma nação. Com o passar do tempo, o ser humano foi desenvolvendo suas técnicas de registros através de imagens, mas, no geral, todas foram feitas através do desenho e da pintura, em que se utilizava pigmentos para registrar, em imagens, pessoas, momentos importantes e até mesmo a natureza. Foi apenas no início do século XIX que aprendemos uma forma de capturar a luz emitida ou refletida pelos objetos para registrá-la em um retrato, em uma fotografia, A própria palavra fotografia é derivada de 2 palavras gregas: "fos", que significa luz, e "grafis", que significa pincel. Ao juntar as duas palavras, temos a fotografia, que literalmente significa desenhar com a luz. A fotografia é uma técnica de criação de imagens através da exposição luminosa, fixando essa luz em uma superfície sensível. Para realizar esse processo, foi desenvolvido uma câmera fotográfica, um aparelho que tem como principal função fixar a luz em uma superfície sensível à luz. A história das máquinas fotográficas não é recente, já que a ideia por trás dessas máquinas, ou seja, o conceito da fotografia, surgiu por volta de 350 a.C., quando o filósofo grego Aristóteles criou um método de observar os eclipses solares sem prejudicar a visão. Aristóteles fez um pequeno furo em uma câmara, pelo qual a luz passava e formava a imagem em seu interior. Esse processo também foi apresentado por alguns chineses da antiguidade, dentre eles, o filósofo chinês Mozi, que viveu no século 5 a.C. Alguns séculos mais tarde, o filósofo árabe Ibn Al-Haitham, mais conhecido como Alhazen, escreveu um livro chamado Livro de ótica. Nesse trabalho, ele apresentou experimentos realizados com a luz, incluindo o processo de utilização da câmara escura, o equipamento que tinha o mesmo método utilizado por Aristóteles e por Mozi. Mas como uma câmara escura funciona? É possível fazer uma com coisas simples que temos em casa? Sim! Vamos ver agora como você pode fazer uma câmara escura, e também vamos entender um pouquinho como ela funciona. Você pode pegar uma caixa, pode ser uma caixa de sapato fechada. Em um dos lados da caixa você vai fazer uma abertura, que pode ser em formato quadrado, com o tamanho quase igual ao lado que você está cortando. Deixe as bordas dessa lateral para que a caixa não se desmonte. Cole nessa abertura um pedaço de papel vegetal. Do outro lado, faça uma pequena abertura, um furo. Essa abertura não pode ser muito grande. O objetivo desse furo é deixar a luz passar para que chegue do outro lado, do lado que está o papel vegetal. Pronto! A câmara escura está pronta. Agora basta colocar alguma coisa na frente da câmara, por exemplo uma vela acesa. A luz que vai sair dessa vela vai se concentrar até a pequena abertura. Depois vai passar e atingir o outro lado da caixa, o outro lado da câmara. E, com isso, uma imagem da vela será projetada no papel vegetal. Repare que nesse processo a imagem ficou invertida, afinal, a vela está voltada para cima e a imagem da vela está voltada para baixo. Esse método foi muito importante porque possibilitou o conhecimento dos princípios ópticos, que é a parte da ciência que estuda a luz. Além disso, ao longo da história, principalmente no século XVII, muitos artistas utilizaram a câmara escura para ajudar em seus projetos e trabalhos. Eles utilizavam a câmara escura para projetar uma imagem em uma tela e realizavam a pintura por cima dessa projeção. O próprio artista holandês Johhanes Vermeer, muito conhecido pelo trabalho "A moça do brinco de pérola", utilizava esse método para desenvolver seus trabalhos. Enfim, mesmo não sendo utilizada para registrar a imagem, podemos dizer que a câmara escura foi a primeira máquina fotográfica da história. Por mais que ela não registrasse imagens, o desenvolvimento delas possibilitou a construção de uma câmera fotográfica. Afinal, com os aperfeiçoamentos da câmara, como o uso de lentes, por exemplo, que foi um aprimoramento que proporcionou uma maior nitidez, surgiu uma outra necessidade: como fixar as imagens? Foi apenas no início do século XIX que Thomas Wedgwood deu um importante passo nesse sentido. Ele utilizou uma substância química chamada nitrato de prata e, com ela, conseguiu fixar as imagens da câmera escura. Só tinha um problema, esse processo durava várias horas. Imagine ficar parado para uma fotografia por várias e várias horas! Isso pode parecer algo bem complicado, mas já foi um grande passo na história da fotografia. Outro nome importante na história da fotografia, que não podemos deixar de falar aqui é Louis Jacques Mandé Daguerre, que passou a utilizar o vapor de mercúrio e o tiossulfato de sódio para fixar as imagens. Isso reduziu o tempo de fixação para apenas alguns minutos. Isso já melhorou bastante, não foi? Não podemos esquecer de falar também do inglês William Henry Fox Talbot que criou um eficiente mecanismo de fixagem das imagens, algo que originou os famosos negativos. É importante deixar claro para você que, inicialmente, as fotografias eram em preto e branco. Só com o passar do tempo que surgiram as fotografias coloridas. Mas, em relação às máquinas fotográficas mesmo, elas surgiram apenas no final do século XIX, através de George Eastman, o fundador da Kodak Company. Eastman manteve a ideia de criar uma longa camada de nitrato de celulose, que, a cada foto, era enrolada em uma espécie de carretel. Por um preço de 25 dólares, suas câmeras ficaram conhecidas pela simplicidade. Bastava apenas que o usuário apertasse o botão e pronto! Esse fato foi importante para a difusão das câmeras fotográficas ao longo de todo o século XX. Inclusive essas eram as chamadas câmeras fotográficas analógicas, equipamentos que foram utilizados por muito tempo para realizar o registro de momentos através de uma imagem, algo que é muito importante para todos nós, seja para lembrar de um momento importante, seja para registrar a história da humanidade ou para informar ou noticiar algum acontecimento importante. Então, é isso aí, meu amigo ou minha amiga! Espero que você tenha compreendido tudo direitinho até aqui. E, mais uma vez, quero deixar para você um grande abraço! Até a próxima!