If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Lentes óticas profissionais

Nesta videoaula apresentamos alguns tipos de lentes e discutimos o conceito de qualidade das lentes usadas profissionalmente, seja na correção de problemas visuais, em observações micro ou macroscópicas ou na criação de fotografias artísticas.

Transcrição de vídeo

RKA - Olá meu amigo ou minha amiga, tudo bem com você? Seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. Nessa aula, vamos conversar sobre as lentes óticas profissionais, incluindo os tipos de lentes e como elas funcionam. Mas o que são as lentes? Provavelmente você já ouviu falar sobre as lentes em diversos momentos do seu dia a dia, afinal, existem diversos equipamentos óticos que utilizam lentes, incluindo os óculos, as máquinas fotográficas, os binóculos, as lunetas e os microscópios. Até o cinema em que você vai assistir um filme utiliza as lentes para projetar as imagens dos filmes nas grandes telas. E o legal é que as lentes podem ampliar ou reduzir a imagem de um objeto. É devido a isso que as lentes são utilizadas para realizar diversas funções que envolvem a luz, como, por exemplo, melhorar a capacidade de visão das pessoas, seja devido a algum problema nos olhos ou ainda para possibilitar que a gente consiga enxergar objetos pequenos, como os microrganismos, ou ainda objetos que estão muito longe, como um outro planeta do Sistema Solar. As lentes são sistemas óticos formados por algum material que permite a passagem da luz, por isso, esse material precisa ser feito de algo que seja homogêneo e transparente, como por exemplo, o vidro. As lentes costumam estar imersas em um outro meio, que na maioria das vezes é o ar, mas também é possível a gente ter lentes imersas na água, mas o mais comum é o ar. Assim, meu amigo ou minha amiga, a lente vai receber a luz que vem pelo ar, aí depois a luz vai atravessar o material e vai passar para o outro lado, que na maioria das vezes é o ar novamente. Ou seja, a luz que incidir sobre a lente vai refratar duas vezes, uma quando entrar no meio da qual a lente é feita, e depois quando sair desse meio. Os lados que recebem e projetam a luz são chamados de faces. É o formato dessas faces que vai dizer como a luz vai se comportar após sofrer refração e passar pela lente. Uma coisa que é importante conversar aqui com você, é que as lentes precisam ter pelo menos uma das faces sendo esféricas. É essa curvatura em uma ou nas duas faces que permite que um objeto seja ampliado ou reduzido. Bem, vamos conhecer aqui os tipos de lentes esféricas e qual é o formato de cada uma delas. Mas antes disso, é legal a gente fazer uma breve revisão aqui sobre o que é a curvatura. Para você entender o que é a curvatura e o nome que damos para o tipo de curvatura, imagine que a gente tem um pedaço de uma esfera aqui, um pedaço que a gente chama de calota esférica. Normalmente, essa calota esférica possui uma face chamada côncava e uma face chamada convexa. O lado interno da curvatura é a face côncava, e o lado externo é a face convexa. Para você ver isso na prática, pause esse vídeo aqui e pega uma colher. Vai lá, faz isso. Já pegou? Bem, então vamos olhar isso aqui agora. Se você olhar para o lado de dentro da colher, o lado que pega a comida, você vai estar olhando para a face côncava, e aí, a curvatura da colher vai estar voltada para o seu rosto. Agora, se você virar a colher e olhar para a face de fora, a face que não pega comida, você vai estar olhando para face convexa, e aí, a curvatura da colher vai estar voltada para o lado oposto ao seu rosto. Bem, agora que a gente já viu isso, a gente pode conhecer os tipos de lentes e o nome de cada um desses tipos. Bem, eu vou colocar aqui para você, cinco tipos de lentes diferentes, e aí a gente vai ver o nome de cada uma delas. Ah, uma coisa bem legal é que o nome da lente é sempre dado como se alguém estivesse olhando para cada uma das faces dessa lente e estivesse vendo um certo tipo de curvatura. Por exemplo, aqui nessa primeira lente, se tiver uma pessoa aqui do lado esquerdo olhando para a lente, a pessoa vai ver uma face com uma curvatura voltada para o lado oposto do rosto, ou seja, a pessoa vai ver uma curvatura convexa. Se ela agora for do outro lado, do lado direito, e olhar para a face da lente, ela também vai ver uma superfície com uma curvatura voltada para o lado oposto de seu rosto, ou seja, ela também vai estar vendo uma face convexa. Bem, como as duas faces da lente são convexas, a lente recebe o nome de biconvexa, já que ''bi'' significa dois, ou seja, duas faces convexas. Aqui na segunda lente, podemos fazer o mesmo teste. Se tiver uma pessoa aqui do lado esquerdo olhando para a lente, a pessoa vai ver uma face com uma curvatura voltada para o seu rosto, ou seja, ela vai ver uma curvatura côncava. Se ela agora for do outro lado, do lado direito, e aí olhar para a lente, ela também vai ver uma superfície com uma curvatura voltada para o seu rosto, ou seja, ela também vai ver uma face côncava. Sendo assim, como as duas faces da lente são côncavas, a lente recebe o nome de bicôncava. Agora olha aqui na terceira lente. Se a gente tiver uma pessoa aqui do lado esquerdo olhando para a lente, a pessoa vai ver uma face plana, ou seja, a face não apresenta uma curvatura. Se ela for agora do outro lado, do lado direito, e aí olhar para a lente, ela vai ver agora uma superfície com uma curvatura voltada para o lado oposto ao seu rosto, ou seja, ela vai estar vendo uma face convexa. Como uma face é plana e a outra é convexa, a lente vai receber o nome de plano-convexa. Agora aqui nessa outra lente, se tiver uma pessoa aqui do lado esquerdo olhando para a lente, a pessoa também vai ver uma face plana, ou seja, uma face que não tem curvatura. Se ela agora for do outro lado e olhar para a superfície, ela vai ver uma curvatura voltada para o seu rosto, ou seja, ela vai estar vendo uma face côncava. Como uma face é plana e a outra é côncava, a lente vai receber o nome de plano-côncava. Agora aqui, na última lente, se tiver uma pessoa olhando aqui do lado esquerdo para a lente, a pessoa vai ver uma face com uma curvatura voltada para o seu rosto, ou seja, vai ver uma face côncava. Se ela olhar aqui do outro lado, do lado direito, ela vai ver uma superfície com uma curvatura voltada para o lado oposto ao seu rosto, ou seja, ela vai ver uma face convexa. Como uma face é côncava e a outra é convexa, a lente vai receber o nome de côncavo-convexa. Resumindo meu amigo ou minha amiga, o nome da lente é sempre dado como se alguém estivesse olhando para face dessa lente, na verdade das duas faces dessa lente, e tivesse vendo algum tipo de curvatura. Conseguiu compreender direitinho essa ideia? Entendeu certinho? Beleza. Agora que conversamos sobre os tipos de lentes, a gente também pode conversar sobre o que acontece com os raios de luz que atravessam as lentes e como realizamos a classificação das lentes de acordo com isso. Em geral, as lentes podem fazer duas coisas com os raios de luz que passam por elas, ou as lentes convergem os raios de luz ou elas divergem os raios de luz. Quando as lentes convergem os raios de luz, elas recebem o nome de lentes convergentes, e quando as lentes divergem os raios de luz, elas recebem o nome de lentes divergentes. As lentes convergentes são aquelas lentes que convergem os raios de luz, já as lentes divergentes, são aquelas que divergem os raios de luz. Quando as lentes estão imersas no ar, uma lente biconvexa vai se comportar como uma lente convergente, e uma lente bicôncava vai se comportar como uma lente divergente. Agora, eu quero te fazer uma pergunta: Quando utilizamos uma lente convergente e quando utilizamos uma lente divergente? Bem, depende. Se o nosso objetivo é construir uma lupa ou óculos para quem tem hipermetropia, nós vamos utilizar uma lente convergente. Já quando a gente for construir um óculos para alguém que possui miopia, a gente vai utilizar uma lente divergente. O legal é que ao convergir ou divergir os raios de luz, uma lente pode ampliar ou pode reduzir uma imagem formada quando um objeto é colocado na frente dela, e o legal também, é que ao fazerem isso, elas não deformam nem destorcem as imagens, as imagens são apenas ampliadas ou reduzidas. Além disso, a lente não cria nenhum tipo de artefato estranho, como a formação de algo que não existe, elas só fazem isso se tiverem quebradas ou se forem construídas com essa função, como, por exemplo, as lentes olho de peixe, que são muito utilizadas nas câmeras fotográficas para realizar efeitos artísticos. Por falar nisso, é legal a gente conversar também sobre o uso profissional das lentes. Bem, as lentes possuem inúmeras aplicações, e eu já comentei aqui com vocês sobre algumas delas, mas em geral as lentes podem ser utilizados para realizar algumas coisas, como, por exemplo, ampliar uma imagem, inclusive, as lentes que fazem isso são chamadas de lentes de aumento. As lentes também são utilizadas para construir óculos de correção visual, principalmente para quem tem miopia ou hipermetropia. As lentes também são utilizadas em diversos equipamentos óticos, tais como microscópios, lunetas, telescópios e vários outros equipamentos. Elas também são utilizadas nas máquinas fotográficas, mas esse é um caso à parte, porque além de servirem para projetar a luz em um sensor ótico e formar uma imagem bem fiel aos objetos colocados na frente das câmeras, as lentes também podem ser utilizadas para distorcer as imagens e criar efeitos artísticos. Uma dessas lentes, como eu já conversei aqui com você, é a lente olho de peixe. Enfim meu amigo ou minha amiga, nessa aula você aprendeu sobre o que são as lentes, quais são os tipos de lentes e quais são os principais usos das lentes. Eu espero que você tenha compreendido tudo direitinho o que a gente conversou aqui, e mais uma vez eu quero deixar para você, um grande abraço e até a próxima!