Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Como usar mapas celestes | Parte I

Nesta videoaula mostramos como localizar e reconhecer outras constelações no céu a partir da constelação do Cruzeiro do Sul e da utilização de mapas celestes.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA6MP - Olá, meu amigo ou minha amiga! Tudo bem com você? Seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. Nesta aula, vamos aprender a utilizar os mapas celestes. Desde o início das primeiras civilizações humanas, o ser humano sempre olhou para o céu e, com muita curiosidade, buscou compreender o que eram todos aqueles pontos brilhantes no céu noturno. Muitos desses pontos brilhantes são as estrelas, mas alguns também são galáxias, nebulosas e outros corpos celestes que, junto às estrelas, emitem luz. Alguns, inclusive, apesar de não possuírem luz própria, refletem a luz de outras fontes luminosas ou de outras estrelas. Com a nossa curiosidade, com uma tendência de encontrar padrões em tudo o que observamos, ao longo dos séculos e milênios, buscamos conectar as estrelas com linhas imaginárias e formar desenhos que se assemelhavam ao que conhecíamos ou que já tínhamos visto em algum lugar. Alguns desses desenhos pareciam animais, outros pareciam caçadores ou lutadores, e outros pareciam seres mitológicos, como o caso do Pégaso. Ao fazer essa relação entre as posições aparentes das estrelas que observamos, desenvolvemos o conceito de constelação. Mas o que é uma constelação, meu amigo ou minha amiga? De forma bem simples, podemos dizer que uma constelação é um conjunto de estrelas situadas no céu que produzem uma imagem. Apesar do conceito de constelação ter se alterado com o passar dos tempos, nós podemos falar sobre alguns tipos de representações das constelações. A primeira é a representação pictórica. Houve uma época em que os desenhos em cartas celestes eram bem mais marcantes do que as estrelas sugeriam. Essa é uma representação pictórica das constelações. Outra forma veio com o passar dos anos e foi a representação esquemática. Nessa representação, se passou a usar alinhamentos dos escolhidos aleatoriamente e que unissem as estrelas brilhantes. Atualmente, nós utilizamos regiões da esfera celeste que são delimitados por trechos de paralelos e meridianos celestes, que é algo muito parecido com o que usamos em mapas geográficos, só que utilizando coordenadas celestes, em vez de de latitude e longitude. Um detalhe muito importante: as representações para as constelações que utilizamos hoje são baseadas nas observações feitas pelos gregos da antiguidade. Mas, apesar disso, essa não foi a única sociedade que olhou para o céu e tentou encontrar padrões entre as estrelas. Podemos observar isso na história dos egípcios, dos chineses, dos maias e até mesmo na história dos índios do Brasil. Mas, por uma questão histórica e por ser mais usual, vamos conversar apenas sobre as constelações que utilizamos até hoje. Tem uma coisa muito legal que a gente pode conversar aqui rapidinho. Eu falei com você que atualmente a gente utiliza algo muito parecido com um mapa geográfico para representar e localizar as constelações. Esses mapas do céu são chamados de cartas celestes. Você deve estar fazendo uma pergunta agora: "O que são as cartas celestes?" Basicamente, meu amigo ou minha amiga, uma carta celeste é um mapa do céu noturno, porque a partir dele é que vamos identificar e localizar objetos astronômicos, tais como estrelas, constelações e galáxias. Um detalhe muito legal é que na época que ainda não tinha GPS e nenhum sistema de geolocalização com aparelhos eletrônicos supersofisticados, os seres humanos utilizavam os mapas celestes para se orientarem, inclusive, isso foi muito importante na época das grandes navegações. Um detalhe muito legal é que, normalmente, os mapas celestes são desenvolvidos a partir do céu observável, por isso eles costumam ter o formato de uma circunferência, pois estão representando a chamada esfera celeste. Por mais que muitas das estrelas e constelações estejam muito distantes umas das outras, quando olhamos para o céu temos a impressão que todas elas estão em uma espécie de esfera que circula ao redor da Terra ao longo do dia e da noite. Mas, como eu disse, isso é apenas uma observação aparente, afinal, isso ocorre porque a Terra está realizando o seu movimento de rotação ao longo do dia. Mas o mais legal nisso tudo é que, pelo fato de aparentemente as estrelas estarem em um globo que circunda a Terra, criamos o conceito de esfera celeste, que é uma esfera imaginária onde todas as estrelas estão. Apesar de ser algo aparente, utilizamos essa ideia para desenvolver os mapas do céu, ou seja, as cartas celestes. Enfim, meu amigo ou minha amiga, espero que você tenha entendido tudo direitinho que a gente conversou. Mais uma vez quero deixar para você um grande abraço! Até a próxima!