If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Transcrição de vídeo

RKA - Olá, alunos da Khan Academy Brasil. Tudo bem com vocês? Hoje nós iremos falar um pouquinho sobre mapas, ou cartas celestes. Vocês já ouviram falar dessa denominação? Mapas ou cartas celestes são mapas que foram utilizados pelos antigos astrônomos para grandes navegações, para identificar períodos de caça, pesca e agricultura. Mas como eles faziam isso? Eles utilizavam três componentes. O primeiro componente são as "estrelas". As estrelas são esferas de plasma com muita pressão que produzem algum tipo de luz, e são visualizadas aqui no planeta Terra. Eles também visualizavam nesses mapas "constelações", que são uma junção de estrelas com um determinado formato, apenas assim você consegue algum tipo de constelação. Ou eles também observavam "galáxias". As galáxias são misturas de estrelas, gás e poeira condensada em uma grande mancha. Os mapas celestes são muito antigos. O mapa celeste mais antigo encontrado, na verdade, ele foi encontrado com a datação de, mais ou menos, 32.500 anos atrás. E ele foi esculpido em marfim de mamute, e era desenhado a constelação de Órion, aquela constelação que eu mostrei lá no começo da aula. O segundo mais antigo é um desenho em uma caverna rupestre, onde os artistas fizeram as estrelas de Plêiades, que é uma das constelações existentes. Esse desenho tem aproximadamente 31 mil anos. O terceiro mais antigo, na verdade, é uma carta celeste desenhada em uma gruta na França, que tem a representação da constelação de Touro, com 21 mil anos atrás de datação. Mas quando você pensa em mapa celeste, é importante que a gente pense em alguma coisa desenhada em um papel, em algum tipo de manuscrito, alguma coisa que a gente consiga ler e visualizar, não simplesmente esculpido em algum lugar, ou desenhado na parede de uma caverna. O primeiro mapa celeste manuscrito foi encontrado nas grutas de Mogao, que é essa imagem que você está vendo aí. Essa imagem é da China. O pergaminho referente a esse mapa celeste tem 210 centímetros de comprimento e 24,4 centímetros de largura, e tem a representação de mais ou menos 1.346 estrelas. Esse manuscrito foi datado de, mais ou menos, 700 d.C. Na sequência, uma outra datação bastante importante de manuscrito foi o manuscrito de um astrônomo chinês chamado Su Sung. Esse manuscrito, na verdade, foi um livro com 5 mapas diferentes, totalizando 1.464 estrelas. Esse manuscrito foi datado de, mais ou menos, 1.092 d.C. Mas a gente tem que ressaltar que esses manuscritos apareceram em vários momentos na história, na cultura islâmica, na cultura austríaca, na cultura alemã, até mesmo na nossa cultura ocidental a gente tem alguns tipos de marcações dessas constelações. O nosso país, Brasil, tem uma bandeira bastante interessante. A bandeira do Brasil é composta por um monte de estrelinhas, cada uma dessas estrelinhas representa um estado diferente do seu país. Eu vou mostrar pra vocês como que as constelações e os mapas celestes puderam organizar a bandeira do Brasil. A primeira constelação, e talvez a mais conhecida dos nossos céus, seja a "Cruzeiro do Sul". A Cruzeiro do Sul tem o formato de uma cruz e está representada ali na nossa bandeira, com "CRU", e ela representa os estados do Sudeste e Bahia: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo. É uma das constelações que mais é vista no Brasil, e uma das mais fáceis de ver no nosso céu estrelado. A segunda constelação é a constelação de Escorpião (SCO). A constelação de Escorpião, ela representa efetivamente o formato de um escorpião, e ela representa vários estados, como Piauí, Maranhão, Ceará, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. O mais curioso dessa constelação é que essa constelação possui uma estrela chamada de "Antares", é a estrela visualmente mais fácil de se identificar dessa constelação. Além de ser muito brilhosa, ela tem uma tonalidade vermelha. Se você lembrar, lá nos Cavaleiros do Zodíaco, nós temos um personagem que utiliza o nome dessa estrela como um de seus golpes fatais. Na sequência, nós temos a constelação de Cão Maior, ou CMA, ali no nosso mapinha. Essa constelação está relacionada com o cachorro de caça de Sirius, lá na cultura grega. Os estados que essas estrelas representam são Mato Grosso, Amapá, Rondônia, Roraima e Tocantins. O mais curioso é que essa constelação tem uma estrela chamada Sirius, que é muito parecida com o nosso Sol, tem o mesmo tamanho, tem o mesmo formato, e irradia a mesma quantidade de luz que o Sol que nós temos aqui no nosso Sistema Solar. A próxima constelação, a Triângulo Astral. A Triângulo Astral, no nosso mapa, ela está representada pelas siglas "TRA". E ela é relativamente pequena com relação às demais constelações. Ela representa os estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná. Uma das constelações mais importantes na nossa bandeira é a constelação de Virgem, em especial porque é a única que tem uma pontinha ali em cima. Essa constelação é considerada a segunda maior constelação do zodíaco. Ela representa a deusa Ceres, que é a deusa das colheitas, da cultura grega. E ela representa o estado do Pará. Uma coisa curiosa é que existe uma estrela chamada Spica, que é a estrela que nós vemos na nossa bandeira. Vale ressaltar que, por ser uma das constelações maiores que existem no zodíaco, no Cavaleiros do Zodíaco essa constelação é representada por um personagem que é considerado um dos personagens mais fortes no anime. Na sequência, nós temos a constelação de Carina, ou "CAR". Nessa constelação, nós temos apenas o estado de Goiás sendo representado apenas por uma estrela dessa constelação. A estrela que é representada é a estrela chamada de Quilha, que é, na verdade, uma representação de uma peça estrutural de navios da época medieval. A próxima constelação é a constelação de Hidra, com a representação "HYA" do nosso esquema. Essa constelação é muito difícil de ver, e tem pouco brilho. Porém, essa constelação representa os estados do Acre e do Mato Grosso do Sul, e ela tem duas estrelas na nossa bandeira. Outra constelação encontrada na nossa bandeira é a constelação de Octante (OCT). A constelação de Octante, talvez, seja a mais importante da nossa bandeira. Ela representa o nosso estado do Distrito Federal, ou Brasília. E é uma constelação pequena, não muito representativa e com um brilho pouquíssimo imponente. Então, por que ela representa a nossa capital? Bom, existe um motivo para isso. Existe uma estrela que chama Sigma Octante, que é a estrela mais próxima ao Polo Sul Celeste. Todas as outras estrelas, quando o céu está girando, ficam girando em torno dessa estrela, mais ou menos desta forma. Então, o nosso Distrito Federal representa o centro da nossa nação, e todas as outras estrelas giram em torno da Sigma Octante. Mas daí, você deve estar me perguntando "Existe só essas constelações? Eu ouvi falar de várias outras constelações dos signos do zodíaco". Então, vamos falar um pouquinho sobre os signos do zodíaco. Os signos do zodíaco são 13 constelações que ficam localizadas em uma faixa entre dois paralelos latitudinais. Nós temos, mais ou menos, o Sol permanecendo aproximadamente um mês em cada uma dessas constelações, sendo que a constelação onde o Sol permanece por mais tempo é a constelação de Virgem, onde ele fica 44 dias, e a que ele menos aparece é a constelação de Escorpião, que ele fica aproximadamente 7 dias. Vale ressaltar que, quando nós falamos em signos do zodíaco, nós temos 12. E qual é esse décimo terceiro que eu comentei com vocês? Esse décimo terceiro, na verdade, é um outro signo do zodíaco que não aparece nos nossos signos de astrologia, e se chama "Ofiúco". Outra constelação bastante interessante é a constelação de Cassiopeia. A constelação de Cassiopeia também pode ser chamada aqui no Brasil de Taquaré, porque ela tem um formato muito parecido com um lagarto que a gente encontra no cerrado brasileiro. Mas lá na cultura grega, Cassiopeia era uma rainha muito vaidosa, que queria comparar a sua beleza, queria ser comparada com a das Nereidas. As Nereidas eram um grupo de criaturas ao qual a própria mulher do Poseidon fazia parte, e eram muito conhecidas por serem muito belas. E Poseidon ficou muito bravo com essa comparação. Então, o que ele fez? Ele deu uma punição para essa rainha Cassiopeia, falando assim: "Você vai pegar a sua filha e vai dar para um monstro marinho chamado Cetus". E essa filha da Cassiopeia tem um nome e tem uma constelação junto com ela. Essa constelação é a constelação de Andrômeda. Andrômeda é a filha da Cassiopeia que foi acorrentada em rochas para ser dada para o monstro Cetus. Uma parte curiosa dessa constelação é que existe uma estrela chamada Alpha Andromedae, que era inicialmente da constelação de Pégaso. Mas, com o passar do tempo, essa estrela foi parar na constelação de Andrômeda. Espero que vocês tenham gostado da aula de hoje. Muito obrigado pela atenção de vocês, e é isso aí!