If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

O estômago

Nesta videoaula vamos apresentar a anatomia do estômago humano e seu papel na digestão de alimentos.

Transcrição de vídeo

RKA - Olá, alunos da Khan Academy Brasil! Tudo bem com vocês? Hoje nós iremos dar sequência ao nosso estudo sobre o sistema digestivo. Eu começo apresentando para vocês esse esquema do sistema digestivo. No sistema digestivo, nós temos, inicialmente, a boca que é a primeira porção do nosso sistema digestivo, a faringe como segunda porção do sistema digestivo, sequencialmente, o esôfago como uma terceira porção e o estômago, a quarta porção do nosso sistema digestivo. E sobre essa quarta porção que nós vamos conversar um pouco agora. Eu vou mostrar para vocês, inicialmente, a morfologia desse estômago. Não se assuste com essa palavra, morfologia, nada mais é do que, simplesmente, como que ele é, quais são as características dele. Então, olha essa figura meio complicadinha. Vamos falar um pouco sobre essa figura. O estômago vem do esôfago, nessa cavidade aqui, tem uma abertura que vai dar para todo o conteúdo do estômago, esse conteúdo tem um nome, a parte onde todo o processo do estômago acontece se chama "corpo do estômago". Esse corpo do estômago é composto por três camadas de músculo que vão fazer todos os movimentos que o estômago precisa fazer, é composto por uma mucosa e uma submucosa, que eu já vou comentar um pouquinho sobre elas. No final desse estômago, temos o "piloro", que é uma estrutura que vai dar para o intestino, a primeira porção do intestino que é o "duodeno". Algumas coisas sobre o estômago para vocês saberem: primeira delas, o estômago possui mais ou menos 1.000 a 1.500 centímetros cúbicos de tamanho, eu falo esse valor que é, consideravelmente, bastante, de 1.000 a 1.500, porque o estômago tem a capacidade de se expandir. A digestão do estômago é muito variável, você já deve ter percebido quando come uma massa, por exemplo, você fica com fome muito rapidinho ou quando você vai para um churrascão de fim de semana com a família, essa digestão acaba demorando muito e você fica por muito tempo sem sentir fome. Pois é, a média de digestão, a média da parte onde fica o estômago é de mais ou menos 4 horas. Vale ressaltar que o alimento vem para o estômago no formato de bolo alimentar, o que a gente já viu nos vídeos anteriores desse sistema e ele vai sair do estômago em direção ao intestino sendo transformado em uma espécie de massa chamada de "quimo". Quando a gente olha o estômago dentro do nosso organismo, o que vemos, na verdade, é que ele está literalmente colado a vários outros, o baço aqui do lado, todo o intestino nessa parte de baixo, a vesícula biliar aqui que vai dar para o intestino, então, ele está no meio da nossa barriga, no meio da nossa cavidade toráxica. Mas, vamos falar um pouco sobre os líquidos que tem dentro desse estômago, porque a parte mais importante, é como que ele vai digerir as coisas. Começando que todos os líquidos do nosso estômago são chamados de "suco gástrico". É produzido aproximadamente 2 litros de suco gástrico por dia para fazer a digestão. É bastante coisa! E ele é composto por várias enzimas, alguns ácidos, alguns hormônios, e eu vou citar algumas, que são as mais importantes, como a renina, pepsina, quimosina, lipase e o ácido clorídrico. Desses, nenhum deles é hormônios, eu vou falar mais para frente. Mas, você vai me perguntar: o que é uma enzima? Um esquema muito legal é esse aqui que eu coloco no vídeo para vocês. A enzima é um conjunto de proteínas que tem a capacidade de se ligar a um determinado substrato, pode ser uma outra proteína ou algum outro tipo de substrato, e ela tem a capacidade de quebrá-los em porções menores. Essa é a função da enzima, como se fosse uma grande tesourinha para os compostos químicos. Falando um pouco sobre as diferentes enzimas, eu vou começar falando sobre a renina. A renina é produzida principalmente nos bebês recém-nascidos, em grande quantidade. Nós produzimos também, mas em menor quantidade, e os recém-nascidos, em uma quantidade muito grande, em especial, porque ela atua diretamente no leite materno transformando-o em frações líquidas e em frações sólidas, permitindo que as outras enzimas do seu estômago consigam processar esse alimento. A próxima e, talvez mais importante, enzima do nosso estômago é a pepsina. A pepsina é produzida na mucosa do estômago, decompõe as proteínas em peptídeos pequenininhos que vão ser capazes de passar para a corrente sanguínea mais para frente. Sem ela, a gente não conseguiria digerir proteínas. Vale lembrar que a pepsina não está o tempo todo ativa no seu estômago, na verdade, fica em um formato chamado "propesina". Quando o estômago libera ácido clorídrico dentro dele, eu já vou explicar o porquê ele faz isso, esse ácido clorídrico faz com que o suco gástrico que tem ali fique mais ácido e a propesina se transforma em pepsina para poder fazer a digestão das proteínas. Uma outra enzima muito importante no nosso organismo é quimosina. A quimosina vai atuar na caseína do leite transformando-a em paracaseína. A paracaseína, por sua vez, vai reagir com alguns sais que tem no cálcio do leite, formando uma proteína insolúvel chamada de "coalho". O coalho pode ser, então, digerido pela pepsina, que a gente viu anteriormente, ou pela tripsina, que não faz parte desse vídeo, ela é produzida pelo intestino, mas também faz a digestão desse coalho. Uma outra enzima bastante conhecida é a lipase gástrica. A lipase gástrica vai fazer a digestão de gorduras transformando-as em glicerina ou em ácidos gordurosos que vão ser posteriormente absorvidos pelo organismo no intestino. Com relação aos hormônios que eu comentei com vocês, existem dois hormônios que são bastante importantes para o nosso estudo do sistema digestivo: a gastrina, que aumenta a produção de ácido clorídrico e, o ácido clorídrico, comentei que vai trabalhar lá com a pepsina, e a enterogastrona que vai diminuir o movimento peristáltico estomacal, ou seja, vai fazer com que o seu estômago não fique se movimentando muito. Vale lembrar que a enterogastrona não é produzida pelo estômago e sim pelo intestino. Vale lembrar que a gastrina também é responsável pela sensação de saciedade, o que faz com que a gente não coma tanto. Algumas coisas curiosas, a gente tem que falar sobre o estômago: primeiro, que o nosso suco gástrico é extremamente ácido por conta do ácido clorídrico, então, se o estômago não estiver propriamente protegido, ele pode causar alguns problemas como, por exemplo, câncer, gastrite e a úlcera. O nosso estômago tem uma mucosa que protege só que, se você come muita coisa ácida, esse ácido clorídrico que já faz com que o seu suco gástrico esteja bastante ácido, vai se tornar cada vez mais ácido e a sua mucosa não vai aguentar. Para você ter uma ideia, precisa de mais ou menos 3 dias para o seu estômago reconstituir completamente todas as células danificadas durante o processo de digestão. Uma outra coisa bastante interessante é que a gente pode sofrer um processo que chama "refluxo". O refluxo vai acontecer porque o esfíncter da parte de cima do estômago, que eu mostrei lá na frente, pode não se fechar por completo e isso faz com que esse suco gástrico vá na direção errada e isso faz com que você sinta essa vontade de vomitar. Por fim, uma das coisas mais interessantes é aquele ronco que a gente tem no nosso estômago. Isso acontece, em especial, quando a gente não tem comida dentro dele, porque, nesse momento, quando a gente não tem comida rolando ali no nosso estômago, ele fica preocupado em tirar todo o excesso de suco gástrico e de alimento que ficou parado ali. Então, ele começa a fazer mais movimentos peristálticos para eliminar e tirar logo isso daquela região, se não bastasse, nesse momento, nós temos uma quantidade muito grande de ar dentro do estômago, então, faz com que ele faça esse barulho de ronquidão. Eu espero que vocês tenham gostado da aula. Espero ver vocês novamente. Muito obrigado!