If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:01

A formação dos combustíveis fósseis

Transcrição de vídeo

RKA - Bem-vindos a mais uma aula de Ciências. Nesta aula, vamos falar sobre a formação dos combustíveis fósseis. Os combustíveis são compostos que, ao serem queimados, produzem calor, e esse calor é usado para movimentar alguma coisa, como uma turbina em uma usina termoelétrica, que vai gerar energia elétrica, e o motor de um carro, que vai gerar o movimento deste veículo. Os combustíveis fósseis têm esse nome, porque são formados a partir de restos de plantas, animais e outros seres mortos que se acumularam no subsolo terrestre e que, ao longo de milhares de anos, sofrem certas transformações físicas e químicas e se transformam em um componente que pode ser transformado em energia, a energia fóssil. Por isso mesmo, este é um tipo de energia não renovável. E por quê? Porque a quantidade que é usada não é reposta, e um dia vai acabar. Justamente porque foram necessárias eras geológicas para que esses combustíveis fossem produzidos na natureza. Além disso, não é uma energia limpa, a sua utilização, libera no ambiente diversos gases que contribuem para o efeito estufa. E mesmo assim, é um tipo de energia extremamente difundido no mundo. A energia fóssil começou a ser usada em grande escala durante a Primeira Revolução Industrial, entre os meados de 1700 e 1800. Naquele momento, era preciso aumentar a produção e reduzir os custos. Como o preço do carvão mineral era mais baixo e suas quantidades eram grandes, esse foi o combustível escolhido para alavancar a evolução da produção europeia. Aos poucos, o número de máquinas que utilizavam combustíveis fósseis cresceu a tal ponto, que era difícil mudar esta dinâmica, e com isso, o uso dos combustíveis fósseis foi disseminado, inclusive para outras partes do mundo. Os combustíveis fósseis podem ser de três tipos: de carvão mineral, de petróleo e de gás natural. Vamos falar agora de cada um deles. Como já dissemos, o carvão mineral foi uma das primeiras fontes de energia utilizadas em larga escala pelo homem. Contudo, ao longo do tempo, este combustível perdeu espaço para o petróleo e gás natural. A formação do carvão mineral se dá através do acúmulo de restos vegetais em águas rasas, o que deixa este material protegido da ação do oxigênio, e sob a ação de bactérias e do aumento da pressão e da temperatura, o que provoca uma transformação destes componentes em um combustível. Para se ter acesso ao carvão mineral, é preciso realizar a sua extração em uma área de mineração, que pode ser subterrânea ou a céu aberto. Isso irá variar de acordo com a profundidade em que o carvão é encontrado. É por isso que a extração do carvão mineral gera diversos impactos ambientais, porque é necessária a retirada da cobertura vegetal da área de extração, o que causa a degradação destas regiões. A intensificação de processos erosivos e redução dos lençóis freáticos, além da poluição das águas. O uso de um carvão depende de sua qualidade, sendo que os maiores produtores do mundo são: Estados Unidos, Rússia e China. O Brasil possui 1% das reservas mundiais. Mesmo assim, é um carvão de qualidade inferior e, portanto, utilizado apenas na geração de energia de termoelétricas. Quase 90% das reservas brasileiras são encontradas no Rio Grande do Sul. A formação do petróleo ocorre em regiões denominadas "bacias sedimentares". Estas são áreas que formam uma depressão em meio a uma área plana, o que permite o depósito de matéria orgânica, que são aqueles restos de plantas, animais e outros seres mortos, além do sedimento, que são os fragmentos de rochas. As bacias sedimentares podem ser marinhas ou terrestres. Nelas, o petróleo e o gás natural são encontrados em poros, buracos muito pequenos dentro de rochas sedimentares. O petróleo fica aprisionado nestas rochas porosas, e para ser extraído, é necessário que equipamentos perfurem as camadas rochosas e façam com que o petróleo suba para a superfície. O gás natural ocorre associado ou não ao petróleo e, portanto, resulta da degradação e transformação de fósseis de animais e de plantas pré-históricas, tendo que ser retirado da terra através de perfurações. O gás natural não tem cheiro e nem cor, por isso, é inodoro e incolor, e a sua queima é mais limpa que os demais combustíveis fósseis. Nos últimos anos, o Brasil tem se consolidado como um dos países com maior potencial de produção de petróleo no mundo. Tanto nas reservas existentes, quanto na tecnologia desenvolvida para sua extração. Aqui, o petróleo e o gás natural são explorados tanto na região do mar, quanto na região continental. Mas a maior parte encontra-se nos campos marítimos, principalmente no litoral da região Sudeste. Espero que tenham gostado desta aula, e até a próxima.