If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Camada de ozônio

Nesta videoaula apresentamos a camada de ozônio e sua contribuição para a vida na Terra. Também tratamos das alterações causadas na camada de ozônio pela ação humana e suas possíveis consequências para a vida na Terra.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA- Olá, meu amigo ou minha amiga. Tudo bem com você? Seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. E, nessa aula, nós vamos conversar sobre uma das camadas de nossa atmosfera, a camada de ozônio ou ozonosfera. Como você já viu em aulas passadas, a nossa atmosfera é formada por diversos gases que se distribuem em diversas camadas a partir da superfície da Terra. Essas camadas são a troposfera, a estratosfera, a mesosfera, a termosfera e a exosfera. Na estratosfera, nós temos uma região que concentra uma grande quantidade de ozônio. "Mas, professor o que é o ozônio? O ozônio é um gás formado por moléculas de O₃, ou seja, ele é formado, basicamente, por moléculas de três átomos de oxigênio. De acordo, com esse esquema que eu estou colocando aqui do lado para você. Um detalhe sobre o ozônio, é que ele é muito menos estável que o gás oxigênio comum que é formado por apenas dois átomos de oxigênio. Porém, ele tem a capacidade de absorver a radiação ultravioleta, algo que é essencial para a manutenção da vida aqui na Terra, pelo menos, do jeito como a conhecemos. O ozônio é produzido, naturalmente, na estratosfera a partir do gás oxigênio, o O₂. Quando os raios solares ultravioleta incidem sobre as moléculas de O₂, eles são separados em dois átomos de oxigênio que, individualmente, se ligam a outras moléculas de O₂, formando, com isso, o O₃ que é o gás ozônio. Claro que depois de algum tempo, principalmente, nas partes mais baixas da ozonosfera, esses oxigênio se recombinam novamente e voltam a formar o gás oxigênio. Mas, tudo isso ocorre em uma taxa de tempo que faz com que a camada de ozônio seja sempre mantida. Uma das coisas interessantes que podemos falar sobre o ozônio é que ele possui uma cor azulada. Não é a toa que o céu que vemos durante o dia tem essa coloração. Além disso, ele também tem um cheiro muito forte e é um elemento tóxico, nocivo a qualquer ser vivo. Ou seja, não poderíamos nem pensar em respirar o gás ozônio. Isso afetaria drasticamente os órgãos respiratórios. Porém, ele costuma ser utilizado pela indústria como branqueador, como agente oxidante e, também, como esterilizante do ar e da água. Então, meu amigo ou minha amiga, além de nos proteger dos raios solares, o ozônio tem outras aplicações interessantes. Mas falando em proteção dos raios solares, vamos conversar aqui um pouco mais sobre a camada de ozônio que está localizada a mais de 20 quilômetros de altitude. Essa camada forma uma espécie de cobertor que impede que parte da radiação ultravioleta chegue na superfície da Terra, justamente pelo fato do gás oxigênio absorver essa radiação para produzir o gás ozônio. Além de absorver toda a radiação ultravioleta B, também chamada de UVB, ela absorve uma parte de outros tipos de radiação que, inclusive, são capazes de causar certos tipos de câncer, sendo um dos piores o melanoma que é comumente chamado de câncer de pele. A camada de ozônio também possui a função de manter a Terra aquecida, impedindo que todo o calor emitido sobre a superfície do planeta se dissipe. Ou seja, ela contribui para o efeito estufa moderado. Não podemos esquecer que o efeito estufa é algo essencial para a vida. No entanto, não podemos ter um efeito estufa acentuado, pois teríamos o aumento do aquecimento global, algo que prejudicaria e muito a vida na Terra. Ou seja, além de nos proteger dos raios solares que são danosos à nossa pele, ele nos mantém aquecidos dia e noite. Porém, o que aconteceria se a camada de ozônio deixasse de existir? Isso seria algo ruim? Bem, sim. Inclusive, teríamos um grande problema: a penetração de UVB e de outros raios solares que são danosos à vida na Terra. Quando o UVB incide sobre o ser humano, isso causa alguns problemas, incluindo o envelhecimento precoce, a mutação genética, problemas no sistema imunológico, e, como eu falei, câncer de pele. O UVB também tem impactos sobre as plantas podendo comprometer, inclusive a fotossíntese, algo que impactaria, significativamente, o sistema nutritivo das plantas. Meu amigo ou minha amiga, também não podemos deixar de falar que ocorreria a redução de espécies, tais como peixes, camarões, caranguejos e fitoplânctons que é a base da cadeia alimentar marítima. Outro efeito, também, que seria ocasionado com a diminuição da camada de ozônio, seria o aumento do aquecimento global. "Mas como assim professor? Você não falou agora há pouco que a camada de ozônio não contribui para o efeito estufa? Sim, isso mesmo, mas contribui de forma moderada. Se a gente diminuir a camada de ozônio, nós teremos uma penetração maior de raios solares, aumentando o aquecimento da superfície da Terra. E, isso, aliado a outros problemas, tais como a liberação de dióxido de carbono na atmosfera, faria com que toda essa radiação ficasse contida na atmosfera aumentando a temperatura média da Terra. Apesar de parecer apenas teórico, nós estamos, aos poucos, diminuindo a camada de ozônio. Já que estamos liberando muitos gases na atmosfera que fazem isso. Tem lugares, inclusive, que já possuem buracos na camada. Como eu já falei com você, existe um ciclo entre a produção de O₃ e de degradação de O₃ em O₂. Isso é algo normal. Porém, quando lançamos certos gases na atmosfera, nós estamos alterando o tempo necessário para que esse processo ocorra de forma a manter a camada de ozônio. Ou seja, esses gases fazem com que o O₃ se degrade em O₂ de forma mais rápida que o tempo que leva para o O₂ se transformar em O₃. Consequentemente, ocorre uma diminuição na quantidade de ozônio na atmosfera. E, com isso, a camada de ozônio acaba diminuindo ou até mesmo deixando de existir. Existem diversos gases que diminuem a camada de ozônio, incluindo, os CFCs e os halogênios. Os CFCs ou clorofluorcarboneto são compostos baseados em carbono e que também contém flúor e cloro. Eles eram muito utilizados em aerossóis e gases para refrigeração. Pelo fato de ser um gás que interage com O₃, ele acelera e muito a degradação do gás ozônio. Os halogênios correspondem a um grupo de elementos que incluem flúor, cloro, bromo, iodo, astato e, também, são encontrados em diversos aerossóis. O CO₂ liberado, principalmente, nas queimas de carvão, também, diminui a camada de ozôniom mas não tanto quanto o CFCs. Todos esses elementos contribuem para diminuir a camada de ozônio e provocar diversas consequências danosas à vida terrestre, tais como a diminuição de espécies e prejuízos à saúde das plantas e dos animais, incluindo o ser humano. Então, o ideal a ser feito é que produtos que contenham CFCs, ou esses outros gases, sejam proibidos ou limitados. E, isso, inclusive, já vem sendo feito em alguns países. Aqui no Brasil, é proibido o uso de materiais que possuem CFCs em sua composição. Seguindo procedimentos como esse, daremos tempo para que a camada de ozônio se recompunha e não acabe completamente. Enfim, meu amigo ou minha amiga, nessa aula, nós conversamos sobre o ozônio e sobre a camada de ozônio; quais são os problemas que são causados caso haja a diminuição do ozonosfera, e o que contribui para essa diminuição. Eu espero que você tenha gostado dessa aula e mais uma vez eu quero deixar, para você, um grande abraço e até a próxima aula.