If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Impactos da poluição luminosa

Neste artigo abordamos os impactos da poluição luminosa nos seres vivos, incluindo os seres humanos.

Introdução

Você é daquelas pessoas que precisam de escuridão total para dormir?
Eu não preciso, mas percebo que meu sono é muito melhor se durmo no escuro; sinto que acordo bem mais descansada e disposta.
Os seres vivos – seres humanos incluídos – possuem um hormônio chamado melatonina, que é produzido e liberado à noite, ou melhor, quando está escuro.
Esse hormônio é muito importante para o corpo, regulando não apenas o ciclo do sono e vigília, mas também os ritmos e ciclos biológicos relacionados com a reprodução, o sistema imunológico, a regeneração celular e o crescimento.
Cabe ressaltar que animais de hábitos noturnos também produzem e liberam a melatonina durante a noite, mesmo estando em atividade. Isso significa que o gatilho para sua liberação é o escuro e não a diminuição da atividade metabólica do indivíduo durante o sono.
Isso atualmente é um problema, especialmente nas grandes cidades e em seu entorno.
Para você ter uma ideia do que estou falando, dê uma olhada no vídeo abaixo da Nasa, que mostra a Terra vista do espaço durante a noite. Nele aparecem as luzes das cidades e a luminosidade produzida por fornos industriais e por incêndios.
Invólucro do vídeo da Khan Academy
Imagine o impacto de tanta luz no nosso organismo e nos demais seres vivos.
É certo que nós, seres humanos, temos vários recursos para produzir o escuro necessário para a produção de melatonina e para dormirmos – janelas e cortinas, principalmente.
E os outros seres vivos, como fazem?
Vamos ver isso agora.

Impactos da poluição luminosa

Vimos na introdução que a poluição luminosa pode provocar alterações no metabolismo pela falta ou diminuição da produção da melatonina.
Entre as demais alterações provocadas no metabolismo dos seres humanos, cabe ressaltar as que ocorrem no ciclo de digestão por conta dos problemas que podem causar. As alterações dos ritmos ou ciclos naturais da alimentação estão relacionadas com o surgimento de doenças como obesidade, diabete e algumas doenças cardiovasculares.
E nos outros animais e plantas, o que causa a poluição luminosa?
É prática comum entre os criadores de frango usar iluminação artificial nas granjas para aumentar a produção de ovos.
E, infelizmente, dá certo. As galinhas acabam por botar mais ovos devido à alteração do ciclo sono-vigília. Por outro lado, os ovos ficam menores do que aqueles das galinhas que têm seu ciclo sono-vigília respeitado.
Figura 1: Granja. Crédito: USAID Afghanistan, domínio público. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bolan_Poultry_Farm-3.jpg. Acesso em: 18/03/2019.
A iluminação artificial acaba por impactar o ciclo circadiano dos animais que vivem nos centros ou no entorno das regiões iluminadas, alterando os ciclos de sono-vigília, da temperatura corporal e da digestão, entre outros.
Além disso, tem sido observado que a iluminação excessiva interfere nos processos naturais de acasalamento, de migração e de polinização.
Ou seja, a consequência última da iluminação artificial excessiva é, infelizmente, a extinção de algumas espécies.
Isso é muito sério, pois pode acarretar no desequilíbrio das cadeias alimentares dos ecossistemas, principalmente considerando que cerca de 30% dos vertebrados e mais de 60% dos invertebrados são seres de hábitos noturnos.
Quem nunca viu mariposas ou besouros morrerem em torno de lâmpadas?
Figura 2: Mariposas na luz. Crédito: Arley Cruzper, CC-BY-SA-4.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mariposas_na_Luz.jpg. Acesso em: 18/03/2019.
Pássaros migratórios se desviam da rota atraídos pelas luzes das cidades e de outdoors.
Os filhotes de tartaruga se guiam pelo brilho da luz do Sol, da Lua ou das estrelas no mar para alcançar a água. Observe no vídeo abaixo as tartarugas indo para o mar.
Invólucro do vídeo da Khan Academy
A iluminação das residências e hotéis construídos na beira-mar de praias usadas para desova tem desorientado os filhotes na busca do mar e provocado muitas mortes.
Por tudo isso você deve pensar duas vezes antes de deixar uma luz acesa durante a noite.
Não é apenas uma questão do consumo energético (extremamente importante!), mas diz respeito também à sua própria saúde, bem como à saúde do ambiente ao seu redor.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.