If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:12:28

Transcrição de vídeo

RKA- Olá, meu amigo ou minha amiga. Tudo bem com você? Seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais uma aula de ciências da natureza. E, nessa aula, nós vamos conversar sobre os biomas brasileiros. Mas você sabe o que é um bioma? De forma bem simples e resumida, podemos dizer que o bioma é um conjunto de seres vivos de uma área. Ele é formado pelo ecossistema de uma região. A palavra bioma foi criada por um ecólogo americano chamado Frederick Clement que define o bioma como uma comunidade de plantas e animais, geralmente, de uma mesma formação. Mas, essas definições são muito simples para expressar toda a grandeza do que é um bioma. Por isso, que desde a sua criação, a palavra bioma vem sofrendo algumas modificações e muitas definições. Atualmente, nós podemos dizer que um bioma é um conjunto de vegetação que abrange grandes áreas contínuas em uma escala regional. Claro. E que contém flora e fauna similares que são definidas pelas condições físicas predominantes nessas regiões. O interessante é que os aspectos climáticos geográficos e litológicos, que está relacionado com as características das rochas, fazem com que o bioma seja caracterizado com uma diversidade biológica única e própria. Os biomas terrestres se constituem por três grupos de seres: aqueles que produzem, que são os vegetais; aqueles que consomem, que são os animais; além, é claro, dos decompositores que são os fungos e as bactérias. No Brasil, nós temos, basicamente, seis tipos de biomas. E quais são eles? Nós temos a Amazônia, o cerrado, a mata Atlântica, a caatinga, o pampa, e o pantanal. Já conhecendo quais são os biomas brasileiros, é legal a gente fazer um breve comentário sobre cada um deles. Por exemplo, o bioma Amazônia possui uma extensão territorial aproximadamente igual a 4.196.943 km². Isso corresponde a cerca de 50% do território brasileiro, ou seja, é o maior bioma de nosso país. Esse bioma cobre, totalmente, cinco estados que são: Acre, Amapá, Amazonas, Pará e Roraima. Além disso, ele também ocupa cerca de 98,8% de Rondônia, cerca de 54% do Mato Grosso, 34% do Maranhão e 9% de Tocantins. Ele é dominado pelo clima quente e úmido com uma temperatura média em torno de 25 graus. Um detalhe, não podemos deixar de falar que esse bioma é completamente dominado por florestas, além das chuvas torrenciais, bem distribuídas durante o ano e rios com o fluxo bem intenso. Por falar em água, o bioma Amazônia tem como uma de suas principais características a bacia amazônica, que escoa 20% do volume de água doce do mundo, ou seja, de toda a água doce que chega ao oceano, 20% é proveniente da bacia amazônica. 60% da bacia está no território brasileiro. Além disso, ela ocupa 40% da América do sul e 5% da superfície da terra. E sua área é aproximadamente igual a 6,5 milhões km². Ainda falando sobre o bioma amazônia, a sua vegetação característica é de árvores altas. Já nas planícies que acompanham o rio Amazonas e seus afluentes, encontra-se as matas de várzeas e matas de igapó. É bom a gente falar um pouquinho sobre essas matas. A mata de várzea é um tipo de floresta de planícies que são invadidas por enchentes de tempos em tempos. Já a mata de igapó são as florestas que ficam inundadas permanentemente. Uma das informações mais importantes sobre o bioma amazônia é que estima-se que ele abrigue mais de metade de todas as espécies vivas do Brasil. Isso é muita coisa. Por isso que é muito importante preservar esse bioma. Agora que já conversamos sobre o maior bioma brasileiro, vamos falar sobre os demais. O cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul com uma extensão territorial de, aproximadamente, igual a 2 milhões e 36 km². Cobre cerca de 22% do território brasileiro. Ele ocupa completamente o Distrito Federal, 97% de Goiás, 91% de Tocantins, 65% do Maranhão, 61% do Mato Grosso do Sul e 57% de Minas Gerais. Além de cobrir áreas menores de outros 6 estados. Um detalhe sobre o cerrado é que nele está a nascente das três maiores bacias da América do Sul que é a bacia amazônica, a bacia São Francisco e a bacia Prata. Isso faz com que o cerrado tenha um elevado potencial aquífero e uma grande biodiversidade. Por falar nisso, esse bioma abriga mais de 6,5 mil espécies de plantas já catalogadas. Em relação às características físicas e geológicas, no cerrado, predominam formações de savana e clima tropical quente subúmido. Com uma estação seca e uma chuvosa. A temperatura média anual está entre 22 e 27 graus celsius. Além dos planaltos com extensas chapadas, existem nessas regiões florestas de galeria e a vereda. As florestas de galeria, também conhecidas como mata ciliar e mata ribeirinha, são florestas que formam uma espécie de corredores ao longo dos rios e áreas úmidas. Inclusive, elas possuem folhas que persistem durante todo o ano. Já a vereda é um tipo de formação vegetal que, normalmente, se desenvolve em vales encharcados e que é composta de agrupamento de palmeira buriti sobre uma camada de gramíneas, que são constituídas por plantas de diversas espécies como gramas e bambus. Vamos falar agora sobre a mata atlântica que possui uma extensão territorial aproximadamente igual a 1.110.82 km² e é um complexo ambiental que engloba cadeia de montanhas, vales, planaltos e planícies de toda a faixa continental atlântica do leste brasileiro, além de avançar sobre o planalto meridional até o Rio Grande do Sul. Esse bioma ocupa, completamente, o Espírito Santo, o Rio de Janeiro e Santa Catarina, além de 98% do Paraná e áreas de mais de 11 estados brasileiros. Seu principal tipo de vegetação é a floresta ombrófila densa, que é normalmente composta por árvores altas e relacionada a um clima quente e úmido. A mata atlântica já foi um dos mais ricos e variados conjuntos florestais pluviais da América do sul. Mas, atualmente, é reconhecida como bioma brasileiro mais descaracterizado. E, isso, porque no início da colonização brasileira e com os ciclos de desenvolvimento do país, o homem ocupou e destruiu boa parte desse espaço. A caatinga é um outro bioma brasileiro e possui uma extensão territorial aproximadamente igual a 844.453 km². Uma coisa interessante que podemos falar aqui é que o nome caatinga é indígena e significa mata clara e aberta, algo característico desse bioma. E, por falar nisso, ele é, exclusivamente, brasileiro e ocupa 11% de nosso país. É o principal bioma da região nordeste, ocupando completamente o Ceará, 95% do Rio Grande do Norte, 92% da Paraíba, 83% de Pernambuco, 63% do Piauí, 54% da Bahia, 49% do Sergipe, 48% de Alagoas e, apenas, 1% do Maranhão. A caatinga também ocupa 2% de Minas Gerais. A caatinga possui uma grande riqueza de ambientes e espécies, algo que não é encontrado em nenhum outro bioma. A seca, a luminosidade, o calor característico de áreas tropicais contribui para que seja formada uma vegetação de savana estépica, espinhosa e decidual que é caracterizada pelas folhas caírem em determinada época do ano. Esse bioma também possui áreas serranas, brejos e outros tipos de bolsões climáticos mais amenos. A caatinga possui dois períodos secos ao longo do ano onde longo período de estiagem, seguido de chuvas intermitentes e um de seca curta, seguido de chuvas torrenciais que, inclusive, podem faltar durante anos. Infelizmente, dos ecossistemas originais da caatinga, 80% foram alterados, principalmente por causa dos desmatamentos e das queimadas. O penúltimo bioma brasileiro que podemos falar é o pampa que está presente apenas no Rio Grande do Sul, ocupando 63% do território do estado, algo que corresponde a 176.96 km². Mas, é legal a gente deixar claro que o campo brasileiro faz parte dos pampas sul-americanos, que se estendem pelo Uruguai e pela Argentina. E é internacionalmente classificado como estepe. O pampa é caracterizado por ter clima chuvoso sem período seco regular e com frentes polares e temperaturas negativas no inverno. A vegetação predominante do pampa é constituído de ervas e arbustos, que recobre um relevo nivelado levemente ondulado. Um detalhe, não é comum nesse bioma ter a formação de florestas, mas quando ocorrem são do tipo floresta ombrófila densa, que é aquela que possui árvores altas, e também floresta estacional decidual, que é aquela com árvores que perdem as folhas no período de seca. Por último e não menos importante, nós temos o pantanal. E, com uma área territorial aproximadamente igual a 150.355 km², cobre 25% do Mato Grosso do Sul e 7% do Mato Grosso. Não podemos esquecer que esses limites coincidem com os das planícies do pantanal, mais conhecida como pantanal mato grossense. O pantanal é um bioma praticamente exclusivo do Brasil, pois apenas uma pequena faixa dele está em outros países, que são o Paraguai e a Bolívia. Ele é caracterizado por inundações de longa duração devido a ter um solo pouco permeável. Essas inundações ocorrem anualmente na planície e provocam alterações no ambiente, na vida silvestre e no dia a dia das populações desse bioma. A vegetação predominante é a savana. É bom a gente fala sobre isso. A savana é o nome dado a um tipo de cobertura vegetal que, geralmente, é constituída por gramíneas, além de árvores esparsas que são árvores que estão longe umas das outras. Não podemos deixar de comentar que a cobertura vegetal original de áreas que circundam o pantanal foi, em grande parte, substituída por lavouras e pastagens, um processo que também já está ocorrendo na planície do pantanal. Bem, meu amigo ou minha amiga. Nessa aula, nós conversamos sobre os biomas brasileiros e as principais características de cada um deles. Eu espero que você tenha compreendido tudo direitinho e quero aproveitar aqui para deixar para você um grande abraço. E dizer que nos vemos na próxima aula.