If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Reflexão da luz

Nesta videoaula abordamos os processos de reflexão regular e difusa da luz.

Transcrição de vídeo

RKA-MP - E aí, pessoal, tudo bem? Nesta aula, nós vamos falar a respeito de reflexão da luz. E a reflexão, como o nome já diz, é um fenômeno da luz que reflete as coisas. Então, um fenômeno que reflete as coisas. E, graças a essa reflexão, nós podemos enxergar corpos que não possuem luz própria, isso porque o que enxergamos é luz refletida, e essa reflexão pode ser classificada em regular ou difusa, mas eu vou falar mais disso mais para frente. Para entender bem essa reflexão, imagine que você tenha uma superfície aqui. Essa superfície é o que chamamos de "superfície refletora". É um plano, não é? Então, aqui nós temos a superfície refletora. E, nesta superfície, nós temos aqui uma reta normal (N) que vai ser a nossa reta de referência e, aqui, nós temos o raio de luz incidente, que é o raio que está incidindo sobre a superfície refletora. E aí, nós temos o raio de luz refletido. Então, esse aqui é o meu raio de luz refletido. Ou seja, esse ângulo aqui é o ângulo de incidência e vou chamar este ângulo aqui de "R", que vai ser o ângulo refletido, e é por isso que essa reta normal é uma reta de referência, porque você não mede esses ângulos aqui pela superfície refletora, você os mede pelo ângulo que os raios estão fazendo com a reta normal. E a reflexão da luz possui duas leis, e a primeira lei diz o seguinte: que os raios de luz incidentes e refletidos são coplanares, o que equivale a dizer que esses raios são contidos no mesmo plano. Então, deixa eu colocar outro desenho aqui. Aqui eu tenho um plano, aqui eu tenho a minha superfície refletora, mais ou menos assim. Aqui outro pedacinho do plano. E o que a primeira lei diz é que, aqui, nós temos a nossa reta normal e, aqui, nós temos o raio incidente e o raio refletido. E, claro, eu só vou mudar a minha representação de ângulo aqui. E o que a primeira lei diz é que os raios incidentes e os raios refletidos estão no mesmo plano. E eu ainda posso colocar também que a minha reta normal faz parte dessa primeira lei. Então, aqui a minha reta normal, que vai servir de referência, o ângulo de incidência e o ângulo refletido são coplanares, ou seja, pertencem ao mesmo plano. E a segunda lei diz que o ângulo de incidência é igual ao ângulo refletido, ou seja, esse ângulo aqui, que é o ângulo de incidência, é igual ao ângulo refletido. E eu coloquei algumas imagens aqui para você ver como acontece essa reflexão. Olha, aqui, nós temos a reflexão do castelo na água. Aqui, nós também podemos ver a reflexão no mar e, aqui, a mesma coisa, ou seja, tudo isso aqui é luz se refletindo. E observe que, em todos os casos aqui, a superfície refletora é a água. E, claro, a velocidade desse raio aqui não é alterada quando bate na superfície refletora. E, por isso, nós temos a mesma velocidade no raio de luz refletido. E lembra que eu falei que nós temos reflexão regular e reflexão difusa? Então, em uma reflexão regular, os raios refletidos ficam paralelos uns aos outros, ou seja, aqui, nós temos os raios incidentes, que são paralelos uns com os outros, e, aqui, os raios refletidos. E observe que, se eu prolongasse esses raios até o infinito, eles nunca se tocariam, ou seja, eles são paralelos. E isso é graças à superfície refletora, que é bastante regular. Nesse tipo de reflexão, os raios de luz ficam paralelos uns aos outros. E o interessante é que a imagem que se forma nesse tipo de superfície é altamente nítida, porém ela não pode ser observada de diferentes posições. É como se você tivesse um espelho, e você estivesse de frente para ele. Deixa eu desenhar um espelho aqui, mais ou menos assim. Então, aqui está você de frente para o espelho. E, nesse caso, a superfície refletora, que é o espelho, é bastante regular. Deixa eu desenhar aqui, também mais ou menos a sua imagem no espelho, algo mais ou menos assim. Mas, se você mudasse de posição, talvez você não conseguisse se ver, não é? Isso porque os raios refletidos deixariam de ser paralelos, e, por isso, nós não teríamos uma reflexão regular. Um outro tipo de reflexão: é a reflexão difusa. E isso acontece quando a luz incide sobre uma superfície irregular. Então, acontece quando a luz incide sobre uma superfície irregular. Observe, aqui no nosso desenho, que a superfície refletora é bastante irregular, e, por isso, os raios refletidos não vão ser paralelos. Então, mesmo que os raios incidentes sejam paralelos, os raios refletidos não vão ser paralelos. Isso por causa da superfície que não é regular. E, quando isso acontece, nós temos uma reflexão difusa, ou seja, os raios refletidos se propagam em diferentes direções, e é graças a isso que conseguimos enxergar vários objetos simultaneamente e de ângulos diferentes. E é por isso, também, que muitas pessoas podem ver o mesmo objeto ao mesmo tempo. Isso tudo graças à reflexão difusa, que é mais comum no nosso dia a dia, não é? E eu espero que vocês tenham entendido a importância da reflexão da luz no nosso dia a dia. Até a próxima, pessoal!