If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:10:09

Transcrição de vídeo

nos últimos vídeos nós vimos alguns destinos prováveis para estrelas nós vemos por exemplo que o maciço que uma estrela como o sol vai acabar no final da sua vida virando uma anã branca virando uma anã branca anã branca e naná branca o que impede a a força que impede a contratação gravitacional de agir é a pressão desde negativa de elétrons que são degenerativa de elétrons é a força que impede a estrela de encolher ainda mais ou seja a estrela já encolheu tanto que os elétrons dos átomos que compõem a anã branca simplesmente não não deixam mais que que a atração gravitacional faça com que os átomos fique mais próximo ou seja é essa pressão degenerativa dos elétrons que mantém estrela coisa e nesse formato de anel branca e em comparação por exemplo o tamanho de uma branca é no final quando já está no estágio de ana branca depois do da sequência principal é mais ou menos o tamanho da terra então só para uma noção de tamanho mas nós vimos também que existem outros tipos de estrela como por exemplo podem existir de estrelas e existem estrelas com 9 a 20 vezes a massa do sol a massa do sol e que vamos supor que quando essa estrela chega no seu estágio final de vida aquele núcleo denso dela aquele núcleo de ferro e níquel i qualquer outros elementos mais pesados tenha mais ou menos 1,5 a 3 vezes a massa do sol o que acontece é que essa estrela vai se transformar esse núcleo que sobe se transforma num chamado estrela de nêutrons uma estrela de nêutrons só desenhar a estrela de nêutron aqui ou melhor vou fazer ainda melhor porque a estrela de nêutron é isso é meio é é meio contraditório na verdade mas quanto menor o objeto que foi desenhar nesse vídeo mais massivo mais pesado ele é então eu realmente vou fazer isso agora que vou desenhar seu dinheiro eu vou fazer de azul desenhar mas pôde neutro bem pequena aqui isso daqui seria no caso então uma estrela de nêutrons tom que é uma estrela de nêutrons e assim como no caso da água branca o que impede essa estrela de nêutron de de comprimir ainda mais de diminuir ainda mais por causa da atração gravitacional é a pressão degenerativa de nêutrons então os nêutrons d'água antes eram os elétrons só que agora a força da atração gravitacional consegue ganhar dessa força de elétrons dessa pressão degenerativa de elétrons então o que acontece aqui agora o próximo limites são os nêutrons nêutrons não deixam mais os átomos ficarem ainda mais próximos então esses esse é o destino de uma estrela de 9 a 20 vezes a massa do sol e que no seu estágio final tem núcleo de 1,5 a 3 vezes a massa do sol mas agora existe um caso interessantíssimo em que vamos supor que a estrela na sua fase nas suas fases de sequência principal tenha mais que 20 vezes a massa do sol e vamos supor que o o o restante do sistema ou seja o núcleo que sobrar da estrela então acho que vou botar é gestante o o restante dessa estrela seja maior tenha mais do que de três a quatro vezes a massa do sol o que acontece nesse caso bom nesse caso a pressão degenerativa de nêutrons não vai ser grande o suficiente para contrabalancear a atração gravitacional então o que acontece realmente é que todo esse núcleo é contraído para um único ponto no espaço para um único ponto no espaço um ponto aqui é não é melhor desenho de um ponto e ficou muito grande comparado ao que deveria ser mais um único ponto no espaço que os cientistas chamam a singularidade singularidade singulare idade então você já pode estar pensando é onde é que os buracos negros então nessa história e um buraco negro nada mais é do que a singularidade a singularidade é o que fica dentro do buraco negro para vocês entenderem o conto com um bizarro é essa noção de singularidade a singularidade tem uma massa definida por exemplo a massa restante de três a quatro vezes a massa do sol só que ela fica tão comprimida ela chega um ponto de compressão em que toda aquela massa fica no exato mesmo ponto ou seja a singularidade tem densidade tem densidade densidade infinita infinita é realmente isso é brincando com vocês a densidade de uma singularidade é infinita e isso gera isso acaba fazendo com que várias complicações ou para as consequências acabam acabam ocorrendo por exemplo existe uma área ao redor essa singularidade de pegar trocou existe uma área esférica ao redor dessa singularidade em que tudo o que passar tudo que passar dentro dessa área vai ficar para sempre aprisionado na singularidade é aí que vem a parte que a ficção científica gosta muito de usar o buraco negro aquela idéia de que o buraco negro engole tudo e nada consegue escapar não é bem verdade porque vamos supor que um raio de luz ou fóton esteja aqui viajando nessa direção como ele não está dentro dessa área que nós vamos chamar de horizonte de eventos horizonte de eventos horizonte de eventos de eventos tudo que estiver fora do horizonte de eventos ainda consegue escapar da atração gravitacional do buraco negro mas vamos supor que você seja um fóton e você acabe caindo dentro dessa área dentro desse horizonte de eventos você não tem mais escapatória você definitivamente cair a uma hora dentro da singularidade e você só contribuirá para que a massa da singularidade aumente este horizonte de eventos também é chamado de raio de chuá child em homenagem ao cientista que calculou ele pela primeira vez é interessante que a idéia de buraco negro não é uma idéia nova mas a confirmação que eles existem é uma coisa um tanto quanto recente logo quando a gente tem feito a teoria da relatividade geral um cientista que no caso chamado de churchill o cara que deu nome ao raio de charged calculou uma possível esfera em que a atração gravitacional de um evento de um de um corpo é tão grande que a velocidade de escape tem que ser igual à velocidade da luz ou seja você só consegue escapar de dentro dessa de dentro do horizonte de eventos se você tiver uma velocidade a velocidade maior do que a velocidade da luz e isso até onde a gente sabe é impossível porque demanda energia infinita ok então como que a gente sabe que existem buracos negros a gente não a gente não consegue detectar buracos negros diretamente porque como o próprio nome sugere os buracos negros buracos negros são negros no sentido de que eles não emitem nenhum tipo de radiação eletromagnética ou qualquer outro tipo de forma de deixar a gente detectar ele então a gente só sabe que o buraco negro existe indiretamente a gente analisa a atração gravitacional exercida por eles por ele nos corpos que estão ao seu redor a gente consegue ver também quando existe algo nessas imagens aqui essas imagens são representações artísticas de buracos negros a gente consegue visualizar buraco negro quando existe esse disco de poeira que fica ao redor dele esse disco de poeira que cuidam dele que é chamado de disco de acreção disco de acreção a crê são quanto mais perto do buraco negro a outra coisa quase esquecendo de falar isso que vocês vêem aqui essa esfera preta que a gente vê aqui não é o buraco negro em si isso aqui e demarca o horizonte de eventos do buraco negro essa região aquilo que tem que ter velocidade maior do que a luz para escapar então o que a gente acaba vendo aqui é o horizonte de eventos porque a gente não consegue ver a singularidade diretamente aqui dentro desse horizonte de eventos que ficaria armazenado a nossa singularidade ok então quanto mais próximo todos os outros de eventos esse disco de acreção pai chegando mais luminoso ele fica é dado por causa do atrito entre os átomos que são exigentes neste disco de acreção então uma coisa até é meio estranha a 1º primeiro modo de pensar é que quanto é que os buracos negros às vezes a gente consegue detectar ele porque eles são muito brilhantes no céu mas esse brilho não vem dele esse brilho vem do disco de acreção em volta deles e esse disco de acreção ele é dado por exemplo quando o buraco negro se encontra perto de uma estrela perto de uma estrela a estrela é ao contrário do que aparece nos filmes de ficção científica não é engolida de uma vez pelo buraco negro mas aos poucos o gás que forma essa estrela como vocês podem ver aqui o gás que forma essa estrela vai sendo atraído até essa área ele forma esse disco de acreção que a parte brilhante a gente consegue ver de forma ele o disco de acreção e uma hora essa matéria que está no disco vai ou não cair dentro do horizonte de eventos e ser sugada para dentro do buraco negro então é isso basicamente o que buraco negro é um lugar que guarda uma singularidade e eu espero que nossos próximos vídeos a gente possa aprovar aprofundar mais essa idéia